Ir para o Conteúdo
imgcentral

Café com o Sensei

Pensamentos e comentários do Sensei




Retornar para últimas postagens

    11-abr-2012

    56º Prêmio Paulista de Esportes 2

    Matéria Publicada no Site do Jornal Nippak (www.nippak.com.br).

    ESPECIAL: 56º PRÊMIO PAULISTA DE ESPORTES

    Cerimônia na Câmara Municipal de São Paulo homenageia atletas e dirigentesEm cerimônia bastante concorrida, foi realizada no dia 3 de abril, na Câmara Municipal de São Paulo, a cerimônia de entrega do 56º Prêmio Paulista de Esportes. Foi a primeira vez que o evento ocorreu na maior casa legislativa municipal do país. Foi um acontecimento histórico tanto para a Casa como para os homenageados. Não à toa, o Salão Nobre João Brasil Vita ficou lotado.Realizado pelo Jornal Nippak e Nikkey Shimbun, com apoio do Governo do Estado de São Paulo, Prefeitura da Cidade de São Paulo e Buffet Arnaldo’s, o Prêmio Paulista de Esportes tem como objetivo valorizar os jovens atletas e reverenciar o trabalho de dirigentes abnegados que tanto se empenham para manter vivas modalidades trazidas pelos antepassados – muitas já assimiladas pela sociedade brasileira – contribuindo, desta forma, para a integração entre os dois países.Este ano, além das 18 modalidades tradicionais, foram entregues outros três Prêmios Especiais. Fumiko Komori, da modalidade Park Golf, foi homenageada também por amigos de Atibaia. As ausências ficaram por conta de Gabriel Maruyama Ogawa, da Natação – que foi representado por sua mãe, Margarete Maruyama, e Ricardo (Kaisei Ichiro) Sugano, do Sumô, representando por seu pai, Luis Sugano.Foram agraciados com o 56º Prêmio Paulista de Esportes:


    Kobudô - Alessandro Rabello Barbosa (Foto: Jornal Nippak)



     


    Kendô - Mitiko Kishikawa (Yoshiaki-marido) (Foto: Jornal Nippak

    Câmara Municipal de São Paulo deu um clima “aconchegante” à cerimôniaO Salão Nobre da Câmara Municipal de São Paulo ficou pequeno para comportar a grande quantidade de pessoas que foi prestigiar a solenidade de entrega do 56º Prêmio Paulista de Esportes. Realizado pelo Jornal Nippak e Nikkey Shimbum, com apoio do Governo do Estado de São Paulo, Prefeitura da Cidade de São Paulo e Buffet Arnaldo’s, o evento tem como objetivo homenagear os atletas e dirigentes e dirigentes que se destacaram em diversas modalidades ao longo do ano.A cerimônia reuniu diversas personalidades e autoridades. Estiveram presentes o deputado federal Walter Ihoshi (PSD-SP); o deputado estadual Jooji Hato (PMDB); o vereador Ushitaro Kamia (PSD); o presidente do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), Kihatiro Kita; o presidente da Acal (Associação Cultural e Assistencial da Liberdade), Hirofumi Ikesaki; o presidente da Associação Cultural e Esportiva Piratininga, Seiti Sacay; e o presidente da Associação Nikkey do Brasil, coronel Yoshio Kiyono. Também compuseram a mesa de trabalho presidente de diversas Confederações, entre eles o presidente da Confederação Brasileira de Beisebol e Softbol (CBBS), Jorge Otsuka; o presidente da Confederação Brasileira de Sumô, Issao Kagohara; o presidente da Confederação Latino-Americana de Kendô, Ciutoco Kogima; o presidente da Confederação Brasileira de Kendô, Tadao Ebihara; e o presidente da Confederação Brasileira de Kobudô, Jorge Kishikawa, entre outros.Abrindo a série de discursos, o presidente do Jornal Nippak, Raul Takaki, em nome da Comissão Organizadora, agradeceu ao vereador Ushitaro Kamia “por ter aberto as portas da Câmara Municipal de São Paulo” para a cerimônia. “É uma prova do reconhecimento da importância do Prêmio Paulista de Esportes, cujo objetivo é o de valorizar o trabalho de atletas e dirigentes”, disse Takaki, acrescentando que “pode ser apenas uma placa, mas tem o peso de 56 anos de tradição”.Takaki destacou ainda o empenho de todos que contribuem para manter viva as modalidades que praticam, “muitas das quais trazidas pelos pioneiros”. “São pessoas como vocês que, através do esporte, ajudam a preservar e dar continuidade à história da imigração japonesa”, lembrou. Anfitrião – “Anfitrião” da festa, o vereador Ushitaro Kamia observou que, “literalmente, fiquei com a sensação de que a cerimônia de entrega do 56º Prêmio Paulista de Esportes foi realizada em casa”. “A cada ano que passa o evento ganha mais prestígio e credibilidade. Para nós é uma honra receber esta solenidade porque é um acontecimento que tem a cara de São Paulo, uma cidade multirracial que tão bem acolhe todas as nacionalidades. E o Prêmio Paulista de Esportes é um dos mais aguardados pela comunidade nipo-brasileira por ser o único que valoriza e reconhece o esforço e empenho dos nikkeis no setor esportivo”, justificou o vereador, afirmando que “o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, tem incentivado a prática de esportes entre as crianças não só por contribuir para um melhor desempenho escolar mas também por formar o cidadão de amanhã”.“O esporte é uma ferramenta que integra as pessoas e um mecanismo eficaz de solidariedade e de respeito ao próximo”, observou Kamia que, no entanto, lamentou o fato de “a paixão desvairada ter diminuído seu significado, como tem acontecido no futebol”.O deputado federal Walter Ihoshi destacou a contribuição do esporte ao longo dos 103 anos de imigração japonesa no Brasil. “Cada qual em sua modalidade, muitas das quais incorporadas pela sociedade brasileira, carrega consigo uma trajetória de títulos e vitórias que acabam  se tornando não só uma referência em seus setores como também verdadeiros líderes”, explicou Ihoshi. “E não só aqui no Brasil como também no Exterior. É o caso do sumotori Ricardo Sugano que hoje infelizmente não está aqui com a gente justamente por estar representando o nome do sumô brasileiro no Japão”.Aconchegante – Já o deputado estadual Jooji Hato cobrou mais investimento não só na cultura e na educação como também no esporte, segundo ele, um instrumento de combate à violência. “O Prêmio Paulista de Esportes é um evento que serve de exemplo a ser seguido porque fortalece a todos nós e garante o direito que é mais sagrado, ou seja, o direito de ir e vir”, comentou Jooji Hato.“Trata-se de um elo que traz a união e promove a integração”, concluiu o vereador Ushitaro Kamia, para quem a cerimônia de entrega do 56º Prêmio Paulista de Esportes ficou “bem aconchegante” com sua realização na Câmara Municipal de São Paulo. Para dirigentes, Prêmio Paulista de Esportes é uma referênciaPara os dirigentes esportivos, o Prêmio Paulista de Esportes é uma referência não só para os atletas mas também para quem comanda as modalidades. “Trata-se de um evento único da comunidade nipo-brasileira e por isso mesmo é sempre prazeroso poder participar”, destacou o presidente da Confederação Brasileira de Beisebol e Softbol (CBBS), Jorge Otsuka.

    Segundo ele, tanto o beisebol como o softbol já conseguiram “transpor a barreira do preconceito”. “Aos poucos, conseguimos acabar com o estigma de ‘esporte de japonês’. Tanto que hoje cerca de 50% dos praticantes são de não descendentes de japoneses”, conta Otsuka, afirmando que a “tendência daqui para frente será levar para fora da comunidade”. “A Confederação mantém um projeto com a Prefeitura Municipal de Ibiúna intitulado Beisebol Social que visa oferecer uma oportunidade de treinamento aos alunos da rede pública no Centro de Treinamento da Yakult, em Ibiúna”, explicou o dirigente, acrescentando que a entidade teve que voltar “à idade da pedra” sem o repasse da Lei Agnelo-Piva. “Sempre conseguimos sobreviver, com ou sem ajuda. É lógico que com o incentivo melhorou bastante e tanto o beisebol como o softbol evoluíram, mas depois tivenos que nos readaptar vendendo rifas e dependendo do paitrocínio”, observou Otsuka.

    Para o presidnete da Confederação Brasileira de Kobudô, Jorge Kishikawa, “nos sentimos honrados e felizes em apresentar à comunidade nikkei um pouco da tradição do Japão”. O Kobudo é formado por uma grande quantidade de estilos (em japonês ryu), que ensinam as técnicas das diversas armas utilizadas pelos Samurais, como por exemplo o Kenjutsu (técnicas com espada), Jojutsu (técnica com bastão), Naginatajutsu (alabarda), entre outras. “São estilos que possuem mais de 700 anos de história”, afirma Kishikawa, que tinha motivo de sobra para comemorar. Explica-se. Além de apresentar a tradição guerreira dos samurais, Kishikawa também comemorou o fato de sua mãe, Mitiko Kishikawa – que na ocasião foi representada pelo marido, Yoshiaki Kishikawa –, ter sido a indicada ao Prêmio Paulista de Esportes deste ano pela Confederação Brasileira de Kendô. Desta forma, a festa em família ficou completa, já que o próprio Jorge Kishikawa recebeu a homenagem há sete anos e seu pai, Yoshiaki Kishikawa, foi agraciado há cerca de 20 anos.

     


    Imaginava que esse dia chegaria e alguém faria a pergunta:
    -Por que vocês, do Kobudo, vem sempre vestido de "kimono" em todos os anos?
    E chegou esse dia. No jantar apos a entrega dos prêmios, fui abordado por um senhor de 70 anos, cuja modalidade esportiva não
    sei qual era. Mostrou-se admirado e curioso com o nosso traje.
    O tal "kimono", a que se refere este senhor, é o que chamamos de "cerimonial", utilizado pelo Niten em ocasiões oficiais e comemorativas.
    Representamos uma modalidade que nasceu no Japão há 700 anos.
    Assim sendo, não poderia ser melhor representada, se não fosse com o traje cerimonial. O tradicional. O Nihon shiki.


    Nihon Shiki




    topo

    (+55 11) 5539-3587 seg-sex 9h-18h
    (+55 11) 99734-6497 seg-dom 9h-22h