Ir para o Conteúdo
imgcentral

Café com o Sensei

Pensamentos e comentários do Sensei Jorge Kishikawa


Últimas postagens:

05-dez-2008

Gashuku 4



"Alcançar a liberdade pode ser descobrir que pode ir muito além de onde está. E o treinamento como no Gashuku nos enche de coragem e energia para sermos livres, com o espírito afiado para que consigamos viver plenamente nossas vidas, preparados para as circunstâncias mais severas."
- Participante do Gashuku

04-dez-2008

Gashuku 3



"Me lembrou uma passagem escrita por Musashi Sensei: 
'No verdadeiro Caminho da espada alcança-se a liberdade e, através dela, grande potencial e capacidade. Chegará o momento em que se encontrará a harmonia no combate, não mais sentindo a espada em sua mão. A espada e o samurai são unidos, um só corpo. Um só espírito.' 
"
- Participante do Gashuku

03-dez-2008

Gashuku 2

"E os momentos de ouro...
Neste, o Sensei explanou sobre algo muito importante. A Liberdade! Era mais ou menos assim:

'Essa coisa de liberdade.
O cara.
Você não ganha este princípio das outras pessoas.'
Ninguém vai nos dar a liberdade ela deve ser conquistada com suor, determinação, coragem...muita coragem. "
- Participante do Gashuku

01-dez-2008

E o Gashuku?

-E o Gashuku? - é a conversa do dia aqui no Niten.
Então vou lhe falar.
Cheguei há pouco do Gashuku em São José e vi o email de meu aluno de Brasília.

"Treinamos muito durante o Gashuku, a ponto de às vezes passar um pouco do limite físico, mas o objetivo era justamente romper essa barreira, e fortalecer o espírito com a superação. Fiquei bastante empolgado com os ensinamentos sobre Goshin, muito interessante aprender sobre os pontos vitais, e sua utilidade para se defender.
Conviver com o Sensei, os Senpais e os mais principiantes, involuntariamente aprendemos, a cada momento ali com o Sensei, é algo para se levar para casa, para a vida.
"

Este aluno, de fato, superou seus limites. Com os seus 20 anos, faz canoagem e (me disseram) ser bom no le parkour, aquele esporte maluco de pular muros e escadas.
No segundo dia (sábado), apresentou câimbras no final do treino da tarde, e pelo que ouvi, dormiu (ou não dormiu) com ela à noite. No domingo, entre pequenas pausas para espantá-la, finalizou seu Gashuku com menção honrosa até os últimos 20 minutos fatais.

Menção honrosa?
Sim. Porque vi fazendo o treinamento com as câimbras.
É. Mesmo para os atletas foi pesado...
E é por isso que digo a todos que estiveram lá, meus parabéns e meus agradecimentos.
Sei que não foi fácil, mas fizemos o que tinha que ser feito.

Goshinjutsu, defesa pessoal
Explanaçao do Goshinjutsu (defesa pessoal no Kobudô)

28-nov-2008

No Gashuku

Um pouco do que vamos vivenciar neste Gashuku estão nestas duas imagens:
A primeira é Gosho sensei fazendo o tobitigai do Sekiguchi Ryu.

A segunda é a prática do Goshin. As origens de todas as artes samurai.
Encontro vocês lá.

Sekiguchi Ryu

 
 

27-nov-2008

Gashuku, arigato!

Começamos amanhã com a tradição: os katas de Musashi Sensei. A seguir, a aplicação destes no combate. A estratégia
no combate.
Depois de amanhã, revisamos as técnicas. Voltar ao espírito de iniciante.
Batemos o pé e estamos em São José. Começamos com o iai. Saltar e gritar para os mais antigos. É o Sekiguchi ryu.
Depois, conceitos novos de Kobudô: é o Goshin. Vem do Goshinjutsu, técnicas de defesa pessoal que os antigos desenvolveram.
Novamente combate. Até aqui já descobrimos, por nós mesmos, alguns conceitos. Faz parte do Caminho. Passar pela exaustão e no final do dia, ter a satisfação de ter chegado ao limite. E descoberto um algo mais.

Um gole de cerveja para os marmanjos e refri para os menores. Afinal de contas, todos merecem.
Depois de uma noite bem dormida, o Hino Nacional... Olha o sapinho, aquele que é brasileiro.
Para pegar fogo; o Nito Kihon. Pulem! Pulem!
Depois uma demonstração da nossa tropa de elite com o Jo, Kogusoku, Jitte e kusarigama. Treinos.
Bogu wo tsuke*!
Entre combates e mais combates, vamos ver se estamos sendo eficientes.
O meu golpe vale um Yuko? Um ippon? Ou não vale? - estas dúvidas têm que ser respondidas para não perdermos tempo em fazer coisas inúteis.
Será que depois disso tudo vão sair alguns bons árbitros? - é o que espero.

E o que interessa a todos:
- Vamos entrar com a consciência tranqüila nas festas, pois, no mínimo, teremos perdido 5000 calorias!
Gashuku*, Arigato!

*colocar a armadura *gashuku=treinamento intensivo, concentração

26-nov-2008

Impressões do Encontro em Buenos Aires 4


"Volto para o Brasil com imensa gratidão após um encontro memorável aonde aprendi do Sensei a importância de viver cada momento da vida intensamente, seja ele um treino com muito kiai ou refletindo sobre a vida sentado numa escada nas margens do Rio de la Plata em El Caminito." - Dierk Rosler



"As horas passam e é chegada a hora da partida. Daí nos damos conta que nos preparamos para o começo da missão e esquecemos de nos preparar para o seu término. Uma sensação de paz e angústia invade todo o nosso ser.
É nesse momento que nos damos conta que essa quase dor é, na verdade, a vida acontecendo em sua plenitude.
" - Lupo

25-nov-2008

Impressões do Encontro em Buenos Aires 3


"Makimono. Lágrimas de emoção. Aplausos de reconhecimento. Sei exatamente o que eles sentem e porque choram. Isso eu sei."- Ricardo Donegá



"Sempre ouvi relatos que estar ao lado do Sensei era uma experiência inigualável, hoje depois da viagem a Buenos Aires posso dizer com segurança e muita certeza que "sim". Meus treinamentos não serão mais os mesmos." - Carina Caous

24-nov-2008

Impressões do Encontro em Buenos Aires 2


"Pode-se pensar que uma viagem com o Sensei é algo muito sério, reflexivo, sisudo, mas na verdade nunca faltam os momentos de descontração, diversão, alegria, até mesmo comédia (quase sempre involuntária, na verdade). posso dizer com certeza que é muito melhor que uma excursão comum, por envolver muito mais que entrar numa maratona de pontos turísticos, como as excursões geralmente (e infelizmente) são."- Bruno Urbanavicius



"Nesse Encontro vi também uma enorme vontade em aprender do Sensei do que é certo, por parte dos Samurais Chilenos, Argentinos e Brasileiros, e é nessa vontade que está o futuro. Vi samurais que transmitiram com verismo o que aprenderam, vi os mais novos aprenderem corretamente, e se dedicando em continuar a aprender, garantindo a continuidade." - Danilo Correa



"No caminho, não há espaço para essas mediocridades e coisas pequenas. Somos todos samurais, guerreiros comprometidos com nosso aprimoramento. Argentinos, brasileiros, chilenos, japoneses, africanos, italianos....somos todos Niten!"- Ricardo Donegá

21-nov-2008

Impressões do Encontro em Buenos Aires 1


"A atenção fica ligada em tudo sem perder as diretrizes que são passadas, a todo momento, pelo sensei. Elas darão a tônica do ritmo de treino que iremos realizar" - Lupo



"Tivemos hora para passear, treinar, confraternizar e alguma para dormir, se deixasse o nó afrouxar, o Sensei estava lá, pronto para apertar e apertou...o S.A.P.O. segui!" - Victor de Palma



"Esses três dias de convivência com o sensei mostraram que os katas do bushido são realmente mais complicados e difíceis de apreender do que os que aprendemos durantes os treinos" - Gustavo Ribeiro




topo

(+55 11) 5539-3587 seg-sex 9h-18h
(+55 11) 99734-6497 seg-dom 9h-22h