Ir para o Conteúdo
imgcentral

Café com o Sensei

Pensamentos e comentários do Sensei


Últimas postagens:

23-mai-2007

Uchigote 1

Vários golpes no kenjutsu visam acertar o uchigote, ou seja a parte interna do antebraço. Em linguagem anatômica, seria a parte anterior dos antebraços. 
Apesar de não estarem plenamente protegidos pelo kote1, no sentido de assimilar os impactos da shinai2, fazem parte das técnicas a serem aprendidas por todos os alunos, segundo regulamento da CBKO - Confederação Brasileira de Kobudô. 
Na realidade, a técnica verdadeira com a espada não é a de bater, mas sim a de cortar. Portanto, basta apenas encostar no uchigote e definir o corte. Aqueles que dizem que é preciso ter impacto ou o som do impacto da shinai com o kote são praticantes com a visão restrita e nunca imaginarão o quão grande é o universo dos golpes com a espada japonesa.

Não é necessário fazer movimentos amplos com os braços para golpear com a espada japonesa.
O movimento tem que ser curtíssimo.


Golpe no uchigote em técnica do estilo Niten Ichi Ryu aplicado na luta com bogu. 
O Niten Ichi Ryu é um dos muitos estilos nos quais há este tipo de corte.




Uchi= dentro
kote (gote)= antebraço
1kote =aqui designado como o protetor do antebraço
2shinai=espada de bambu

22-mai-2007

Alguns Benefícios de Usar Nito

"Deve-se treinar desde o início o uso simultâneo das duas espadas, a longa e a curta, empunhadas uma em cada mão." - pag 38 do pergaminho da Terra,  O Livro dos Cinco Anéis - Miyamoto Musashi 

No kenjutsu da CBKO (Confederacao Brasileira de Kobudô), da qual o Instituto Niten faz parte, o uso das 02 espadas simultaneamente faz parte do aprendizado de todo aluno. 
Sendo assim, depois de ter o contato básico com o manejo de 01 espada (no caso, a espada maior denominada tachi), a utilização das 02 espadas é permitida. 
O fato de estar com 01 espada em cada mão proporciona que o praticante, entre outros beneficios: 

a) melhore ainda mais a coordenação motora, (sayuu dosa) 
b) tenha maior consciência dos seus braços em separado, direito e esquerdo (sayuu ishiki) 
c) aguce o olhar de uma forma global, pois são 02 "armas" na mão do oponente que não se sabe de onde virão (toyama no metuke) 
d) melhora e aprimora as técnicas de pequena amplitude (kowaza no heiho) 
e) melhora e aprimora as técnicas de grande amplitude (owaza no heiho) 
f) curta distância (tanma no heiho) 
g) utilização de vários grupos musculares bilaterais que não são possíveis com a prática de 01 espada, principalmente os músculos peitorais e os bicipitais (ude no kitae)
h) fortalecimento dos "pulsos" das duas mãos (tekubi no kitae) 

Por hoje chega.

21-mai-2007

Fato x Opinião da Maioria

Hoje falo de um inglês que vive no Japão e mantém um blog sobre Niten Ichi ryu para estrangeiros, principalmente.
Pelo fato de estar lá, se aproveita de histórias e situações e coloca-as no fórum de maneira absurda e falsa, iludindo os internautas.
A razão é simples: tomou gato por lebre e acabou por aprender com um falso professor. Um "professor" que recebeu, digamos, uma "faixa preta" do seu "mestre" que por sua vez não recebeu de ninguém uma faixa preta. O único que poderia ter dado era o shihan1 Gosho Motoharu ( 18 abril - 88 anos ), nosso shihan. E dele, sabemos que não foi conferido ao tal "mestre". 
Não resta ao inglês, que escolheu o caminho errado, defender por todos os meios a sua decisão, como que tentando convencer os leigos a acreditarem na sua estória e assim, com a maioria, mudar o curso da história. 
Seu texto é em inglês e ele se aproveita da distância do japonês para o inglês. No Japão, não tem credibilidade e é visto como mais uma das formas "não limpas" dos "estrangeiros" de resolver as coisas, envergonhando os ocidentais.
Fato é fato e não se muda com opinião da maioria. Ou muda?

18-mai-2007

10 anos atrás

Estava arrumando a papelada e me deparei com um rascunho de um dos artigos da coluna que eu mantinha num jornal.
Na época, vivia todo de branco, com mais de 5 empregos. Pronto socorros, ambulatórios, cirurgias, enfim, o tempo todo tomado pela medicina.
Carregava 2 bips e 2 celulares que não paravam de tocar. E eu gostava. Gostava de agitar. Desde as 6 da manhã salvando pacientes, dando a espada que dá vida, escrevendo... lutando.
Era o único entre os médicos que andava com um notebook. Não por vaidade, mas por necessidade. Afinal de contas, a minha vida não se restringia a medicina. Administrava o Niten do consultório. Escrevia os artigos com o notebook.
Passados 10 anos, acho que não mudei muito. 
E por pelo menos 50 não vai ser diferente, espero eu!

18-mai-2007

Leveza e Graciosidade

Recebi esta mensagem da Exma. Sra. Nilza Itajay e transcrevo para você: 

"Gostaria que fosse transmitido ao Sensei Jorge Kishikawa o grande prazer que tive em participar do VI Torneio Brasileiro de Kobudo, representando o Dr. César Gonçalves, Subsecretário de Turismo do Governo do Distrito Federal.
Vocês podem ficar certos que fiquei realmente impressionada com a leveza e a graciosidade, apesar de ser uma luta, dos Samurais brasileiros que conseguiram captar do Sensei Jorge Kishikawa o amor que ele tem por essa arte marcial.
Parabéns a vocês todos do Instituto Niten."
 Nilza Itajahy
Assessoria Especial da Subsecretaria de Turismo do Distrito Federal"

 Leveza e graciosidade, apesar de ser uma luta. Isto é o kenjutsu.É o kobudo.

16-mai-2007

Tom Zé

Falei ontem nos Momentos de Ouro, aqui na Unidade Ana Rosa (Hokkaido) sobre Saishi Sai ni Taoreru.
Eis que me deparo, hoje no meu café, com uma reportagem. É com o Tom Zé, cantor e compositor que teve entre seus sucessos mais famosos Estudando o Samba(1976), além de fundar a Tropicália com Gilberto Gil em 1967. 
- Se você pudesse mudar algo em você, o que seria? - pergunta o repórter.
- A prepotência. - retorna Tom Zé, sem hesitar.
Muita coincidência, mas foi com esta palavra que fechamos os Momentos de Ouro.
Gostei da reportagem, Tom Zé.

16-mai-2007

Acredite, se quiser

Falei de um ex-aluno que se passava por um expert de naginata em seu blog.( Nama Heiho - 11 de maio ).
Escrevi no Shin Hagakure - Pensamentos de um Samurai Moderno, lançado em 2004, quando ainda blog eram poucos e orkut nem existiam:

SE VOCÊ TEM TEMPO PARA LER E ESCREVER EM BLOGS OU FÓRUNS, VÁ TREINAR QUE ESTÁ FALTANDO TREINO

Com o advento da Internet, muitas informações inúteis têm tomado o tempo daqueles que procuram a Verdade. Mais que inúteis, muitas são informações falsas, escritas por personagens que se camuflam covardemente atrás de um nome virtual.

O Samurai que busca a Verdade em sua técnica não deve perder tempo com isso e deve treinar exaustivamente. Caso contrário, não chegará a lugar nenhum, muito menos descobrirá a essência das coisas.

Não me sinto o Profeta, mas hoje, passados já 03 anos, trago a você um artigo da revista Época que confirma o que eu já dizia:

Convenhamos, aquele que acredita em blogs e orkut, se não é tolo, é definitivamente, um péssimo estrategista.

14-mai-2007

Dia das Mães

Espero que o seu Dia das Mães tenha sido tão bom quanto o meu.
Vi num certo programa de TV um dos apresentadores dizendo que "estou aqui para fazer virar em grandes momentos, os momentos mais felizes". Ele, sim, tem que fazer isto, por ser apresentador de TV.
O Dia das Mães não é dar presentes, ligar holofotes ou levar a refeições suntuosas. Basta um jantar (e almoço, dependendo de quantas mães você tem), uma pequena flor, e a presença de todos os membros da família. Com saúde e alegria. Sem mágoas. É tê-la ao seu lado. De corpo e alma...
E, antes de encerrar o nosso cafezinho de hoje, te pergunto:
- Ontem a sua mãe ficou feliz de verdade?

11-mai-2007

Nama Heiho

Fiquei hoje de traduzir o "Nama Heiho wa Ookega no Moto". 
Já faz uns 5 anos quando ouvi falar de uma certa apresentação de um grupo de espadas no Rio de Janeiro, que os "demonstrantes", um em frente ao outro, após o cumprimento começaram a fazer katas1 com espadas com fio. 
Eis que, num determinado momento, um deles (ou talvez, os dois), foram um de encontro ao outro e, literalmente, se  cortaram. 
A partir daí , acho que você já imagina o cenário. 
Bem, mas estas e outras cenas acontecem em locais onde os praticantes, ávidos em demonstrar a sua técnica e a sua força, acabam por se machucar - entre si e aos outros. 
Infelizmente, o You Tube, Orkut e fóruns têm incentivado muitos principiantes (a maior parte deles exibicionistas) a cometer mais erros e exporem os seus "Nama Heiho". 
Só para você ter idéia, vou te contar o caso de um ex-aluno, também do Rio de Janeiro, franzino e que não tinha jeito com a espada. Sua postura de combate, tanto física quanto espiritual era depreciável. O jeito de lutar, a forma de se portar, não agradava a ninguém. Se vencia, era de uma forma "covarde" e, no nosso termo: "suja". Como era de se esperar, vivia trazendo problemas para o coordenador.  Eis que um dia, aparece no seu blog como "o entendido no uso da naginata2", aconselhando e ludibriando seus amigos e todos aqueles que entravam no seu blog. E olha que ele nunca havia pego a naginata! Estes e outros casos tiram o foco, o dinheiro e o tempo das pessoas, e faz com que as consequências sejam fatais e irreparáveis, como os da espada com fio: "ookega no moto". 

09-mai-2007

Kenjutsu é Xadrez

Apesar de que muitos de nossos alunos já devem estar acostumados a ouvir, digo que o combate de kenjutsu é como jogar xadrez.
O combatente tem que primeiro conhecer as armas, posições e técnicas do adversário: espada curta, longa, duas espadas, outras armas; posições com a espada ao alto, baixa, direita, centro e mais 60 delas.
Depois disso, tem que armar a "jogada", de acordo com as peças e a movimentaçao que ele lhe apresentar. Se vier com a espada baixa, você espera; se vier com as duas espadas, em jumonji*, você entra pelo centro e por aí vai, e não tem fim.
Somente depois de saber utilizar as várias armas e posições de combate, e aplicando a estratégia adequada para a situação estará preparado para vencer o adversário.
Por isto, em kenjutsu, o aprendizado é longo... são mais de 60 posições, "trocentas" técnicas e infinitas formas de agir.
É longo. E prazeroso, principalmente quando damos o esperado xeque-mate.

*jumonji = ideograma do 10 (ju = dez; monji = ideograma)
Trata-se de uma das posições de combate com as duas espadas, cruzando a menor com a maior, assemelhando-se assim com o ideograma '10' em japonês , que é o sinal da cruz




topo

(+55 11) 5539-3587 seg-sex 9h-18h
(+55 11) 99734-6497 seg-dom 9h-22h