Ir para o Conteúdo
imgcentral

Café com o Sensei

Pensamentos e comentários do Sensei Jorge Kishikawa


Últimas postagens:

21-out-2013

Convívio no 12ºTBEK


Foi um fim de semana agitado, produtivo e,acima de tudo, feliz.
O 12ºTBEK (Torneio Brasileiro de Kobudo por Equipes) teve a cobertura da imprensa local (Diário de Guarulhos 18/10/2013) e o apoio da Prefeitura de Guarulhos, que não só abriu as portas mas nos solicitou para incluirmos no calendário oficial da cidade, o Torneio de Kobudo do Instituto NIten.
A minha mensagem do dia foi cumprida e vi, nos olhos de cada um, a compreensão de que no Niten não existe a rivalidade, a competição por medalhas ou arrogância decorrente da vitória.
A convivência comigo após o Torneio, como anunciada anteriormente, além dos depoimentos dos colegas que me acompanharam ao Japão, conseguiram, se não enriquecer o Caminho de cada um dos presentes, pelo menos acordar do que é e como é constituída a nossa família Niten.
É o esforço e a dedicação de cada um de nossa família Niten que fez "do limão uma boa limonada", de um dia de guerra, em um dia agradável em que todos os presentes sairam, e ouso dizer, mais do que vitoriosos.
Segue os resultados e as palavras de uma das "vitoriosas".
Arigato a todos os alunos e acompanhantes por fazer deste fim de semana em um verdadeiro "treino para o espírito".




Shitsurei shimassu,

Ohayou gozaimassu Sensei,

Felicidade. Se tivesse que resumir esse final de semana seria com essa palavra. Senti verdadeiramente que estava no lugar certo, na hora certa. Percebia através das conversas, orientações, e até mesmo nos momentos de descontração que meu coração sorria.

Durante o Torneio, percebi uma diferença na atitude de encarar o desafio. Antes, ficava mais tensa, com vergonha. Agora, senti um pouco mais de confiança e mesmo que o coração ainda bata mais rápido quando falam "Hajime!", consegui manter o foco (só um pouquinho a mais) naquilo que devia fazer. Percebi o inesperado, errei coisas que não costumam aparecer nos dias de treino. Ganhar ou perder começaram a ficar em segundo plano, eu só pensava em sobreviver.

Senpai Uehara e Senpai Barreto trouxeram diversas informações valiosas e interessantes sobre o convívio com Sensei e os Mestres do Nihon, detalhes de planejamento, estratégia e mesmo os momentos de descontração eram fontes de novas descobertas. Devo confessar que uma questão me intrigou após a palestra, qual teria sido a refeição da aranha naquele dia?

Depois que Sensei explicou que o Torneio fazia parte principalmente do treino espiritual, revisei minhas atitudes. Consegui repassar aqueles momentos, e tive mais vontade de treinar. Treinar para superar os obstáculos da técnica, das limitações do próprio corpo para que num próximo desafio, conseguisse enxergar além. Equilibrar garra e técnica num momento decisivo; mais uma vez percebi que o Caminho é longo e pequenos detalhes fazem toda a diferença. Escutar Sensei, Senpai Uehara, Senpai Barreto, Senpai Wenzel, Senpai Sanchez e o colega de treino Mauricio (Belém-PA) deram a tônica do que seria Trilhar em diferentes momentos do Caminho.

Vontade de viver.

Arigatou gozaimashita por esta oportunidade,

Shitsurei Shimassu,
- Toshi (Ana Rosa)






12º Torneio Brasileiro por Equipes de Kobudo
RESULTADOS


KIR JOVEM
1º – Pedro-SP
Yoshimitsu-SP
Alexandre-SP
Kevin-SP
2º – Julia-SP
Takemitsu-SP
Hiromitsu-SP
Tiago-SP
Alex-SP
JOJUTSU
1º – Fugita-SP e Marques-SP
Massao-SP e Vaz-RJ
Beatriz-SP e Tengan-STS
2º – Luciana-SP e Alves-PR
Ana Tomita-SP e Joyce-SP
Drawin-BH e Fonseca-BH
Toshi-SP e Marcia-SP
3º – Danilo-CAM e Holschuh-CAM
Bhering-DF e Huarte-ARG
Del Vechio-RIB e Varela-CAM
3º – Hiroshi-SP e Fukuta-SP
Guilherme-CAM e Silva-SP
Impieri-RJ e Villela-BH
Brandolin-SCA
JITTE
1º – Hiroshi-SP e Fugita-SP
Marques-SP e Massao-SP
Villela-BH e Brandolin-SCA
2º – Danilo-CAM e Guilherme-CAM
Bhering-DF e Holschuh-CAM
Drawin-BH e Fonseca-BH
KUSARIGAMA
1º – Fonseca-BH e Drawin-BH
Holschuh-CAM e Guilherme-CAM
2º – Hiroshi-SP e Danilo-CAM
Marques-SP e Massao-SP
IAIJUTSU
1º – Danilo-CAM
Guilherme-CAM
Varela-CAM
Demberg-SOR
Souza-ES
2º – Fukuta-SP
Ana Lucia-SP
Leite-SP
Siqueira-STS
Coutinho-SP
3º – Wenzel-RJ
Folly-RJ
Severino-SP
Impieri-RJ
3º – Drawin-BH
Heredia-SP
Numa-UBE
Arthur-ES
KENJUTSU MASC.
1º – Delfino-SP
Felipe-SJC
Regis-SJC
Sá-SP
Augusto-SP
Gilberto-SP (Técnico)
2º – Stefam-RJ
Cesar-SP
Osmar-SP
Eduardo Martins-SP
Adeval-SP (Técnico)
3º – Edgar-SP
Del Vechio – RIB
Victor – SCA
Italo-SP
Chiozini-SCA
Brandolin-SCA (Técnico)
3º – Folly-RJ
Amargos-SP
Garcia-SP
Francesco-SP
Vaz-RJ (Técnico)
KENJUTSU INICIANTE SEM BOGU
1º – Rezende-SP
Severino-SP
Cavalcante-SP
2º – Gabriel-STS
Mauricio-RN
KENJUTSU SENIOR
1º – Cadu-DF
Osmar-SP
Cesar-SP
2º – Del Rio-RJ
Edgar-SP
Impieri-RJ
3º – Numa-UBE
Takeshi-SP
George-STS
3º – Bhering-DF
João Paulo-SP
KENJUTSU FEMININO
1º – Carol-RS
Bianca-PR
Silvia-SP
Marcia-SP (Técnica)
2º – Luciana-SP
Machado-ES
Gabriela-SP
Silva-SP (Técnico)
3º – Nuria-SP
Beatriz-SP
Stefanie-SP
Wenzel-RJ (Técnico)
3º – Ana Tomita-SP
Ana Lucia-SP
Kate-SOR
Vaz-RJ (Técnico)
NAGINATA
1º – Danilo-CAM
Osmar-SP
Cesar-SP
2º – Drawin-BH
Fonseca-BH
3º – Del Rio-RJ
Cadu-DF
Guilherme-CAM
3º – Marques-SP
Massao-SP
Amargos-SP
KOBUDO
1º – Danilo-CAM
Holschuh-CAM
Guilherme-CAM
2º – Del Rio-RJ
Cadu-DF
Demberg-SOR
3º – Silva-SP
Osmar-SP
Cesar-SP
3º – Massao-SP
Marques-SP
Amargos-SP
KENJUTSU 3ºKYU E ACIMA
1º – Marques-SP
Massao-SP
Marchese-SP
2º – Danilo-CAM
Holschuh-CAM
Guilherme-CAM
3º – Drawin-BH
Fonseca-BH
3º – Fugita-SP
Numa-SP

18-out-2013

20Anos - Feras 6


A espada menor talvez tenha sido a primeira das armas perfuro-cortantes a ser utilizada pelo homem, até antes que as espadas.
Denominadas no Japão de Kodachi, Wakizashi, Tanto, Kogatana, Metezashi, Kaiken e vários outros nomes, existiam nos katas de praticamente todos os estilos ou escolas tradicionais de Kenjutsu, Hyoho Niten Ichi ryu Kenjutsu, Suiyo ryu, Sekiguchi ryu, Tenshin Shoden Katori Shinto ryu, Kasumi Shinto ryu, Shindo Muso ryu Jojutsu e vários outros.
De maneira que deixara de estudar as suas peculiaridades, vantagens e desvantagens seria leviano para todos aqueles que almeja senão a invencibilidade, o conhecimento na senda do guerreiro samurai.
A partir de hoje, serão exibidas as 4ª de finais do grande Torneio dos Feras do Niten, onde os combatentes farão 3 duelos, sendo o 1° escolha livre de arma (pode usar a sua preferida), o 2° e o 3° por sorteio de arma (tem que usar a arma sorteada).
Isto quer dizer: Você não pode ficar apegado a nenhuma arma.
Isto quer dizer: Você não pode ficar acomodado em uma só postura.
Isto quer dizer: Você tem que dominar todas as técnicas e o mais importante: tem que ser livre para lutar.
Uma das estratégias quando se utiliza a espada menor é a de imobilizarmos o oponente, seja no braço, mão ou outras partes para depois desferir o golpe da misericórdia e é o que também será visto no combate a seguir. Se o golpe for desferido logo na sequencia da imobilizacao, vira Ippon, 1 ponto. Em não ocorrendo o golpe seguida da imobilização, temos um Yuko (bom golpe), ou seja, 0.5 ponto.
Amanhã, também no 12° Torneio por Equipes, veremos quem é "fera" com a espada menor...



Gilberto (unidade Ana Rosa) x Breno (unidade Rio de Janeiro)

16-out-2013

20Anos - Demonstração 6

As imagens a seguir são a prova de que ao longo destes 20 anos, as Unidades do Niten distantes de São Paulo souberam assimilar os ensinamentos e levá-las para suas cidades a ponto de serem tão boas quanto as de São Paulo. Eu diria: o suficiente para nem um japonês lá do Japão "botar defeito".
O Nível de Curitiba no Jojutsu é um exemplo:





Jojutsu - Rocco e Adrian


14-out-2013

20Anos - Feras 5

"A manhã do domingo mostrou de que fibra são moldados os samurais do Niten. Mulheres e homens se degladiaram em combates épicos. Como em um Coliseu, guerreiros saltavam e golpeavam, para a admiração do público (que eram os próprios colegas de treino), mas sem o caráter pejorativo de uma disputa por mera diversão; ao invés disso, era uma demonstração do que aprenderam e treinaram ao longo dos anos, um agradecimento explícito em kiais e golpes ao Mestre que dedicou sua vida a nos ensinar.
Creio que não estou sendo incoerente em chamá-los de gladiadores, pois havia energia, técnica e disposição, como se fosse o último combate da vida de cada um. Mas reforçado pelos padrões samurais de respeito mútuo, honra e lealdade."
- Ricardo (Unidade Brasilia)

Vaz vai para o ataque frontal sobre Drawin e é golpeado no abdome no contra golpe. Idem ao segundo ponto.
Poderia ter mudado sua tática. Se tivesse alternado os pés ou a posição da espada não teria tomado o mesmo golpe:



Vaz x Drawin



Uma demonstração de até onde a ousadia e determinação podem chegar.
Ignacio portador de deficiência física (ausência do antebraço esquerdo) luta com todas as suas forças.
Foi um combate de igual para igual. Épico...





Ignacio x Alessandro

11-out-2013

Mulheres e Kendoca do Japão 1


"O treino de ontem foi muito especial. Além da presença majoritária feminina na aula de Jojutsu, foi muito gratificante presenciar a parte final com as demonstrações de Kenjutsu juntamente com o visitante do Nihon e 2° Dan de Kendo.
Tivemos a bela oportunidade de ver a diferença das técnicas utilizadas no Kenjutsu versus Kendo. Nosso caro visitante demonstrou reflexos rápidos  pelos 10 anos de treino, mas não o suficiente para defender os golpes do Kenjutsu. Ficou evidente a eficácia de cada kata aplicado, junto com os diferentes kamaes utilizados pelos Senpais Delfino, Silva e Fugita. Ele pôde comprovar a eficácia de cada golpe, todos explicados com detalhe e muita paciência pelo Sensei.
Com o uso das palavras do Senpai Fugita, ontem não teve Momento de Ouro, mas sim, Momento de Platina!"
  - Toshi (Unidade Ana Rosa)

Você vai achar que a foto foi montada, combinada, marcada ou planejada.
Pior: fui ao Japão e na minha ausência as mulheres "tomaram o espaço" no Jojutsu, de maneira que quando eu cheguei a situação era, com todas as letras, esta:



   
"Mulheres dominando o Jojutsu"


É gratificante ter tantas mulheres no treinamento, mas não precisavam ter "expulsado" os colegas durante a minha ausência...
Não posso deixar de citar também o Kenjutsu no mesmo dia. Tivemos a visita do Sr. Watanabe, 28 anos, do Japão. Praticante de kendo há 10 anos,  veio conhecer o NIten e teve as seguintes impressões, exteriorizadas em português pelos nossos alunos:


"Fiquei encarregado de mostrar a ele nossos KAMAES (posturas) e técnicas. Ele batia bem o MEN (cabeça), mas muitas vezes agia como se fosse um total iniciante pois estranhava segurar a espada com inclinação lateral e bater no plano dessa inclinação, na altura do HIMÔ (cordão) do MEN. No que o SENSEI explicou depois ser um golpe originalmente pensado para acertar entre o pescoço e o tronco. Estranhou também os golpes com uma só mão.
Interessantíssimo observar o combate no final, onde o SENSEI colocou seus mais graduados presentes para lutar com o visitante apenas em espírito demonstrativo, utilizando muitos KAMAES diferentes.
Apesar dele ser rápido, fica evidente a diferença de uma pessoa treinada para vencer uma luta real. Mãos e pés livres, desferindo golpes que para ele eram inesperados. Restava-lhe correr pelo DOJO tentando desvencilhar-se dos golpes.
De tudo entretanto, mais importante, ao final, ouvir um KENDOÍSTA japonês dizer que somos muito disciplinados no treino e gentis no modo de recebê-lo.
Essa é a impressão que todo brasileiro deveria causar para qualquer estrangeiro, mas conseguir isso com um japonês foi muito gratificante." -
João Paulo (Unidade Vila Mariana/templo Nikkyoji)



João Paulo, Sensei e Watanabe


Durante a luta, percebi 3 pontos que ao meu ver são importantes :
1) O Kendoca ficou bastante acuado quando lutou contra os diversos kamaes (posturas), principalmente o Chudan Nito (duas espadas do meio) e Kodachi (espada menor);
2) No tsubazeriai (clinche), praticamente ficava anulado e aberto a golpes, pela falta de soete (posicionar a mão no dorso da espada) no Kendo;
3) Mesmo afastado durante vários anos do Kendo, demonstrou uma movimentação excelente, algo que devemos treinar forte.
Fora da luta, conversando um pouco com ele, percebi que ele estava realmente de “coração aberto” para conhecer o que fazemos, e ficou impressionado com a nossa disciplina durante o treino, resultado direto do convívio com o Sensei. Acredito que durante aqueles momentos, ele se “encontrou” com o Niten. "
- Delfino (Unidade Ana Rosa)



"Se encontrando no Niten"





10-out-2013

20Anos - Demonstração 5

“Outro momento, para mim, inesquecível foi ver Ignácio realizando a apresentação de Jojutsu e Iaijutsu. Confesso que quando o Senpai Wenzel anunciou que ele iria realizar os kata do Shindo Muso Ryu e Suio Ryu fiquei um pouco confuso, me perguntando como ele iria fazê-lo, já que ele tem somente o braço direito e o esquerdo é amputado até o cotovelo.
 Que Men Ippon do Sensei!
 Arigato gozaimashita Sensei e Ignácio, agradeço de todo o meu coração, por proporcionar a honra de poder assistir aquele momento! Acho que esse foi um dos pontos mais altos do evento, porque mostrou de maneira simples uma das faces mais fantásticas do Instituto: formar indivíduos, que não acreditam no impossível dentro de suas vidas e de que podem melhorar um pouco a sociedade na qual vivem!”
- Kalawatis (Unidade Volta Redonda)









Fico satisfeito em saber que consegui o efeito almejado: mostrar a todos que com a obstinação por parte do aluno e a paciência por parte do mestre, consegue-se o inimaginável.
Alguns, como o autor do depoimento acima, conseguem enxergar que "vendo-se o aluno, se conhece o mestre".
Acredite, se quiser.

09-out-2013

20Anos - Feras 4

"Em segundo, destaco os kamaes, ou melhor a "ausência" deles. Devido ao grande conhecimento técnico, os feras muitas vezes não adotavam kamaes específicos, dando mais fluidez e surpresa aos combates. Pude observar o uso de técnicas de Niten Ichi Ryu em combate. Isso me deu muito o que pensar."  - Caran (Unidade Vitoria)


Uma boa disputa em que um dos lutadores tem um condicionamento invejável com muita mobilidade, mas não conseguiu fazer frente ao avanço impiedoso das duas espadas:

20 Anos - Feras do Niten - Adeval x Marques


Nesta disputa, encontramos dois lutadores com muita versatilidade.
A versatilidade, aliada a posição do gedan (ponta apontada para o solo) é uma estrategia de poderio letal se acertar o oponente. Como certas aves de rapina, nos mostraram vôos rasantes em direção a sua presa a fim de capturá-la e dar o golpe de misericórdia.


20 Anos - Feras do Niten - Gilberto x Costa

08-out-2013

Torneio para lavar a alma

Neste Torneio por Equipes (12º TBEK) que se realizará nos dias 19 e 20, semana que vem, falaremos "como ao redor de uma fogueira", e alguns sabem de que "fogueira"estou falando, sobre vários temas, entre eles o Shugyo no Japão com meus dois alunos e os "boatos", fotos e vídeos. Os nossos 20 anos de Niten com as "lendas", verdades e momentos mais marcantes para mim. E outros como estes que estao no depoimento a seguir: de alguém que veio aqui para "lavar a alma".

 

"Iniciei minha peregrinação no dia 1º de outubro vindo à São Paulo para retirar a moleza que tomava conta do meu espírito; para lavar a alma. Quando encontrei o Sensei ele sorriu e disse: - vou ter que te aguentar uma semana? Hai Sensei!

No meio da tarde o Sensei se desculpou e me informou que não poderia participar do treino devido a um encontro com um grande apoiador do Instituto, ou seja, a primeira lição: Agradecer aqueles que são importantes para sua vida, Giri (gratidão).

Fui para o treino de Jojutsu (bastão) que seria coordenado pelo Fugita, suei muito nos kihons (fundamentos básicos) e o Fugita sempre prestando atenção e me corrigindo quando necessário, estaria satisfeito só com os kihons mas pude treinar os katas do Shindo Muso Ryu para Omote II (nível intermediário) com o Kimura e o Senpai Danilo que deram muitas dicas sobre os katas junto com o Fugita. Quando o Fugita deu "Yame!" (parem!), o Sensei entrou no dojo (local de treino), fizemos o narabe (perfilar) e o Sensei brincou que conseguiu chegar a tempo. Nos Momentos de Ouro, Sensei contou sobre quem vem tirar a moleza do espírito. Essa frase cai como um men na sua cabeça, muitas reflexões após o treino.

Na quarta ,7 horas, estava na frente do Hokkaido (unidade Ana Rosa) esperando o Meloni e o Senpai Wenzel para o treino de Kenjutsu que teve muita luta inclusive arbitrada onde o perdedor sai, confesso que não vi muitos golpes mas Senpai Wenzel sempre orientava nestes casos e também pedindo para ter mais clareza na hora de arbitrar o golpe. Dois treinos ao mesmo tempo, shiai (valendo ponto) e arbitragem. Para terminar men men men (golpes consecutivos sobre a cabeça) para fortalecer o corpo, saí do treino cansado e meu espírito falando: - Eu te avisei, melhor ficar em Porto Alegre...

- Sai moleza, tudo é da minha conta a partir de agora!

Essa reflexão me acompanhou em todo o Shugyo (retiro espiritual com o Sensei), a cada conversa com o Sensei e a cada Momento de Ouro ficava mais forte "varrendo a moleza".

No final Sensei chamou, Gilberto, Fugita, Silva e eu para lutarmos e demonstrarmos as técnicas para os alunos valendo ponto. Detalhe: perdeu paga 50 flexões.

Paguei 150...

Na quinta, treino com o Sensei e o Silva pela manhã, como está no relato do Café com o Sensei (Café com Sensei - 04 out 2013- Espírito de Musashi na manhã ) A noite treino de Iai (sacar espada de metal) com kihons exigindo o máximo de mim, depois detalhes nos katas do Suio Ryu e o pessoal treinando forte para o torneio. E os Momentos de Ouro dando men indefensáveis no meu espírito. 

Na sexta de manhã pude treinar com o Fugita, pois o Sensei estava em mais uma reunião logo pela manhã. Muito shiai, Fugita com uma precisão e rapidez impressionante e eu tentando absorver tudo. Gratificante. 

No final de semana participei do Encontro Hayabusa e Kir Jovem na APM. Jovens, crianças, pais e a família do Sensei todos reunidos . Videogames e tablets? Nem pensar. Sensei fez questão de avisar aos pais que tomaria de quem ousasse em abrí-los!!! Só Sensei para fazer uma coisa dessas...


Sensei fez questão de avisar ...



Foi um evento diferente que contou com a excelente palestra do Heder sobre as aves de rapina, acho que todos querem ter uma Jolie em casa depois dessa palestra.


Foi um evento diferente...



Todos com o falcão


 

Saber que o Hayabusa é uma espécie de Vingadores, grupo formado por heróis, para as crianças foi uma surpresa. O Kir Jovem tem heróis de verdade que passam um grande exemplo de como se viver. 

A noite, música, risadas, ensinamentos, tudo perfeito.

No final reflexões do evento, conclusão? Esse encontro tem que se tornar uma tradição do Niten. Sensei falou que o evento era para relaxar e que somente eu que estava em Shugyo deveria me estressar. Acho que fui bem no envento.
 

















Muitas conversas com o Sensei.





O problema é que por esse motivo relaxei no treino da segunda de manhã, esqueci minhas graduações do Kimono, tudo é da sua conta inclusive seu kimono. Fiquei pensando nesse deslize a tarde inteira. Paguei uma volta de sapinho e 200 flexões no treino do Kir Jovem a noite, bom para não esquecer mais minhas graduações.

Tive a oportunidade de servir de uke para o Sensei treinar Kusarigama (foice e corrente), isso eu conto em outro relato. Levei os meninos com o Sensei para casa, aprendi com os seus filhos, durante a minha subida no elevador para deixá-los, na volta mais ensinamentos do Sensei. Continuei no treino da noite com bastante técnica e o Sensei ensinando todos.

Fecho meu Shugyo com os Momentos de Ouro na minha cabeça e com todos os ensinamentos passados pelo Sensei. Volto para Porto Alegre com o espírito fortalecido para encarar meus problemas e fazer mais pela unidade.

Domo arigato gozaimashita Sensei pelos anos de ensinamentos.

Sayounara!" - Alessandro - Porto Alegre

07-out-2013

20Anos - Demonstração 4

As técnicas de desembainhar a espada para se defender ou atacar se chamam Iaijutsu.
Inicialmente surgidas para a sobrevivência há 700 anos, lamentavelmente, tem sido amplamente divulgada como prática esportiva por beneficiar vários aspectos na saúde. Conseqüência disto são o surgimento de praticas que não condizem com a sua origem, que seria a de combate,  para o lado estético e meditativo, distorcendo as técnicas ao longo dos tempos.
Preste atenção: no Iai, o importante é vencer. Não importa postura, estética ou regras.
Importa é o sobreviver. 



04-out-2013

Hidensho 39 - Espírito de Musashi na manhã



Cheguei do Japão e encontrei o aluno de Porto Alegre aqui para mais um shugyo.
Shugyo, treinamento para aqueles que anseiam por uma mudança interior.
É louvavel e gratificante como mestre, ter alunos que dão a "cara a tapa" para tentar fechar o ano com chave de ouro
Sim. Ainda há tempo. Estamos em Outubro.
Que tal seguirmos este exemplo?


"Estou em São Paulo para acabar com a moleza e frouxidão que estava tomando meu espírito. Aqui a rotina é treinar cedo às sete horas com o Sensei, Sempais(veteranos), colegas da Adm e a noite participar dos treinos nas unidades de São Paulo.

Quero contar a vocês a experiência do treino desta quinta de manhã. Levantei cedo para treinar com o Silva, sete horas estávamos no Hokkaido, não sabíamos se o Sensei participaria visto que ainda estava se adaptando ao fuso horário, lembrando que o Sensei retornou do Japão e Portugal ha pouco tempo.

Começamos o treino, shiai (disputa valendo ponto) para começar o dia bem preparado. Logo, o Sensei apareceu e imediatamente colocou o bogu, fizemos o sonkyo (cruzar a espada com cumprimento) junto com o Sensei e o Sensei começou a lutar alternando entre eu e o Silva. Levei vários golpes de tachi (espada longa) do Sensei que alternava conosco muito rápido, lutava comigo e já virava para lutar com o Silva. Depois com Nito (duas espadas) o Sensei mostrou uma versatilidade impressionante, num dado momento Sensei comentou: - "São fortes os kamaes de Musashi Sensei, você não acha?"

Naquele momento eu já estava me sentindo um Yoshioka no duelo do pinheiro, tamanha a quantidade de golpes que levava da Nito do Sensei. Mais uma rodada de kodachi (espada menor) do Sensei vindo com uma energia contagiante desferindo golpes sem parar, às vezes parecia flutuar no dojo.

No final do treino fiz três shiais com o Silva, a cada derrota deveríamos pagar cinquenta flexões, resultado? Paguei cento e cinquenta.

Então nos Momentos de Ouro veio a surpresa, Sensei comentou que fazia um mês e 10 dias que não colocava bogu (equipamento de proteção). Como assim? E quem era este lutando incansavelmente conosco?

Sensei explicou que quando voce treina por um longo periodo, você não esquece da luta e que graças ao treinamento a sua saúde era boa podendo lutar por horas conosco. Disse que, em vez de perder tempo com coisas inúteis, treinava , treinava e treinava. Por fim, disse me que o treino nunca será uma perda de tempo.
 
Nessa manhã vi que o Sensei trouxe consigo do Japão o espírito de Musashi Sensei e okagesama (graças aos céus) tive a oportunidade de vê-lo em ação.

E você, está esperando o quê para ter essa oportunidade?
Sou grato ao Sensei por me proporcionar essa oportunidade e me guiar no caminho."
Alessandro (Unidade Porto Alegre)




 





topo

(+55 11) 5539-3587 seg-sex 9h-18h
(+55 11) 99734-6497 seg-dom 9h-22h