Ir para o Conteúdo
imgcentral

Café com o Sensei

Pensamentos e comentários do Sensei




Tag  todos        Retornar para últimas postagens

18-set-2017

Momentos de Diamante no Nippon 3

"O local ofereceu silêncio e beleza para que a leveza e concentração se manifestasse em cada golpe, cada orientação dos senpais e Sensei. O corpo não me deixa esquecer o que foi esse Gashuku: renovação do espírito!






























 
Os momentos de Diamante ecoam no meu kokoro (sentimento, coração) e a cada instante reflito se estou atuando com algum dos perfis que Sensei mencionou. Senti que tenho muito a melhorar, mas a alegria é maior quando percebo que Sensei generosamente nos indica o Caminho a percorrer. E junto com a dor sempre chega o sorriso.
As meninas, após horas treino intensivo no período da tarde, ainda que cansadas, estavam felizes e satisfeitas!"
Toshi Nagumo (Unidade Sumaré)
 

 

Tags: Egan2017_Ago,
15-set-2017

Momentos de Diamante no Nippon 2

"Os Momentos de Diamante foram outro presente de inestimável valor.
Ontem à noite, repassei os ensinamentos em família e, ao terminar, ouvi um comentário que dizia: "imagina estes ensinamentos na voz do Sensei!"...











... Apesar dos diamantes brilharem menos em nossas mãos, eles ainda transportam a energia e a sabedoria do Sensei mesmo após tantos Km de viagem, após tantas horas - ainda foi possível trazer parte intacta de seu brilho e energia ao seio do lar. "- Durval (Unidade Juiz de Fora)






















 

12-set-2017

Momentos de Diamante no Nippon 1


 

Ao escutar (e anotar!) os Momentos de Diamante reconheci que por vezes me encaixo naqueles perfis das "pessoas que não avançam" no Caminho. Não posso dizer que foi ruim, afinal, desta maneira, sei onde posso - e devo - mudar.

 



 

Mas o que mais me impressionou nesse Gashuku foi perceber o quão dedicado o Sensei é com seus alunos: seja ao corrigir um Kata (sequência) no Iaijutsu, um Kamae (postura) no Kenjutsu, mas principalmente ao mostrar como as coisas imperceptíveis é que realmente fazem a diferença.
 




 

Hoje percebo que somente subindo a montanha e convivendo com o Mestre que trilharei o Caminho da Espada e me tornarei uma pessoa melhor.
Fontes (Unidade Porto Alegre)
 



 

01-set-2017

CONSCIENTIZAÇÃO YAMATO 5 - Nikkey Shimbun

Matéria Publicada no NIKKEY SHIMBUN 
31 de Agosto de 2017







Emoção no evento Confraternização Yamato  do Instituto Cultural Niten

Legenda da foto: Participantes e o Mestre Kishikawa no centro

O Instituto Cultural Niten Promoveu nos dias 5 e 6 de Agosto a Confraternização Yamato na sua 3ª Edição em Memória  aos 72 anos da rendição do Japão na 2ª Guerra Mundial, no Templo Nikkyioji e no Cooper Cotia.
O Mestre Jorge Kishikawa é Menkyo Kayden (Graduação máxima do estilo de Miyamoto Musashi - Niten Ichi Ryu) e, com o objetivo de transmitir os fundamentos e a tradição dos samurais, fundou o Instituto Cultural Niten, atualmente com 800 alunos espalhados pela Argentina, Chile, México, Uruguay, Portugal, Colômbia e Estados Unidos em 50 Dojos afiliados que praticam Kenjutsu, iaijutsu e Jojutsu. 
O evento contou com a participação de 120 alunos e o tema deste ano foi  a rivalidade entre as  facções vencedoras (Katigumi) e perdedoras (Makegumi) e suas consequências no Brasil.
Logo após o Mestre Kishikawa teceu comentários sobre suas experincias ao longo da vida relacionadas a 2ª Guerra mundial.
O Sentimento nacionalista do Japão elevado ao extremo de seus desdobramentos, arrancaram lágrimas de muitos alunos.
Suzuki Flávio de Ribeirão Preto comentou: "os nossos ancestrais passaram por uma série de dificuldades, para propiciar-nos o conforto deram muito suor e sangue. Nós nunca devemos esquecer", acrescentou:  "O Instituto é um local onde podemos  resgatar o espírito Nipônico Yamato"

Após o audiovisual evento deu continuidade no Cooper Cotia com o apoio do General Akira Obara, onde foram realizados treinamentos do Shindo Muso Ryu Jojutsu, Isshinryu Kusarigamajutsu, Ikakuryu Jittejutsu, Sekiguchiryu Iaijutsu e outros, supervisionados pelo Mestre Kishikawa durante pelo menos 10 horas.

 
Nota da Administração: A Bandeira foi encontrada nas Filipinas e entregue ao Sensei por um dos alunos Americanos - Bandeira da rendição do Japão nas Filipinas





General Akira Obara e Sensei no Evento 

22-ago-2017

Gashuku de Setembro




21-ago-2017

CONSCIENTIZAÇÃO YAMATO 3

Konbawá Sensei
 
Shitsureishimassu
 
Foi o meu primeiro gashuku! Quanta emoção e aprendizado. Mas o momento mais marcante foi apresentação do audiovisual.
 
O filme trouxe lembranças tristes. Sou nissei, nasci no interior de São Paulo. Meus pais vieram do Japão pós-guerra. Meu pai se lembra das bombas caindo: assobiando e explodindo. A fome, o frio e a tristeza eram terríveis. 
 
Eles vieram no começo da década de 60, eram lavradores. Os atritos entre os japoneses ainda eram presentes. Esse conflito não atingia apenas aqueles que se diziam makegumi ou katigumi, mas desse conflito surgiu um forte sentimento de xenofobia. Fomos severamente criticados e agredidos pelo povo a nossa volta. Lembro-me que estava com os meus pais, estávamos no ponto de ônibus. De repente as pessoas em volta começaram a nos ofender, gritar nos nossos ouvidos que tínhamos que retornar à nossa terra! Eu era apenas uma criança, não entendia nada. Apenas segurava a mão do meu pai, que não reagiu, não falou uma única palavra. 
 
Eu ainda escuto de algumas pessoas que eu deveria voltar para a minha terra!!! Que os estrangeiros deveriam voltar para seus lugares... 
 
Fomos para o Rio de Janeiro. Aqui a presença de nipônicos era bem menor, portanto éramos vistos como figuras estranhas ou bizarras. A minha adolescência foi muito triste, tive vergonha de ser uma descendente oriental, queria ser loira e ter olhos azuis. Era horrível a sensação de não pertencer a lugar nenhum. 
 
Com o passar do tempo, fui percebendo e assimilando a cultura japonesa. E, depois de uma viagem ao Japão, eu realmente me encontrei. O Japão é o Lugar. Há um provérbio japonês que resume minha vida: "Nanakorobi yaoki": Cair sete vezes, e levantar-se oito. 
 
Mais tarde eu encontrei o Niten! Conheci o Sensei, um Homem Especial que valoriza, difunde e incentiva a cultura japonesa! E aqui conheci muitos brasileiros com espíritos nipônicos, verdadeiros Samurais. E esse gashuku CONSCIENTIZAÇÃO YAMATO foi extremamente especial, reforçou toda admiração e respeito que eu tenho pelo Niten, pelo Sensei. Hoje sou Nipônica com muito orgulho e valorizo os meus olhos puxadinhos... 
 
Arigatou Gozaimashitá. Sayounará
 
Yumi - Unidade de Niterói-RJ







Niten Rio de Janeiro no Gashuku - Yumi ao lado do Sensei




topo

(+55 11) 5539-3587 seg-sex 9h-8h
(+55 11) 99734-6497 seg-dom 9h-22h