Ir para o Conteúdo
imgcentral

Relatos dos Alunos


Lembre-se de suas origens.

por Por Gleidson Sobreira Leite

“Você não pode se esquecer daqueles que lhe ajudaram a chegar onde você está agora. Aquele Sempai que estava lá empurrando você dizendo para continuar quando você dizia que não dava mais, ou aquele outro que corrigia pequenos detalhes no seu kata para que você se aprimorasse cada vez mais.”
Não podemos esquecer que todos nós fomos e ainda somos iniciantes e o quanto mais andamos no caminho não podemos esquecer aqueles que estão começando.
Essas e muitas outras foram as palavras do Sempai Gilberto nos momentos de ouro que tivemos nesses cinco dias de treinamento.
Estamos todos muito agradecidos por sua vinda a fortaleza para compartilhar esse e muitos outros ensinamentos que nos foram passados.
Domo arigatou gozaimashita ao Sensei, ADM, Sempai Ariel, Sempai Gilberto e a todos os que nos permitiram ter essa grande oportunidade e com certeza espero que o Sempai venha nos visitar novamente.
"Temos todos que crescer juntos como uma unidade"
Essa é uma mensagem que não iremos esquecer e espero que na sua próxima vinda nós possamos mostrar-lhes uma unidade mais forte, equilibrada e unida.
Mais uma vez, Domo arigatou gozaimashita

36 horas em 5 dias

por Por Emmanuel Victor

Estes cinco dias em que Senpai Gilberto esteve em Fortaleza poderia ser considerado como se ele estivesse aqui por alguns meses, ao final do ultimo dia no almoço colocamos no papel quantas horas de treino foi realizado durante estes dias, o que foi aproximadamente 36 horas.
Em 36 horas todos tiveram oportunidade de conviver dentro e fora do dojo com um samurai bastante técnico, forte e acima de tudo humilde. Senpai Gilberto sempre falava que quanto mais graduado você fica mais você é necessário para voltar ao inicio para trazer todos que estão no inicio do caminho.
Foram cinco dias fantásticos repletos de ensinamentos e descobertas.

Domo arigatou gozaimashita pela sua vinda a Unidade Fortaleza Senpai Gilberto. Estamos de fato "cheios" e com certeza iremos demorar vários meses para digerir tudo que foi repassado para nos.

Narabê - Sempai Gilberto em Fortaleza

por Por Antônio Valdenísio

O destino sorriu para mim e, no mês do meu aniversário, não apenas eu, mas toda a Unidade de Fortaleza foi agraciada com um presente inestimável: a presença do Sempai Gilberto para 5 dias de treino intensivo dentro e fora do dojo. O espírito de todos recebeu uma grande quantidade de energia enviada pelo Sensei Jorge Kishikawa e por todos da Administração do Instituto Cultural Niten. Barreiras foram devastadas, limites superados e o cansaço físico completamente esquecido! Treinos com bogu para fortalecer a chama dos guerreiros, treinos de Iaijutsu para harmonizar o espírito e, ao final, o III Workshop de Niten Ichi Ryu da Unidade de Fortaleza! Terminado o evento, todos exaustos, mas os olhares não deixaram dúvida: missão cumprida e satisfação de ter vivido essa experiência. O adjetivo intensivo foi trazido à sua literalidade, pois ao empunhar novamente a katana sinto o kiai desses dias memoráveis. Hoje entendo com maior amplitude o sentido de "kuden", pois é inexprimível em palavras tudo que nos foi transmitido. Já havia aprendido que o "Shoshin Wasurubekarasu: não esquecer o espírito do iniciante" torna-se uma tarefa menos árdua quando conseguimos sentir na pele a excitação de se ouvir o grito: "Narabe", mas pude descobri que eventos como este tem a magia de conseguir renovar esse sentimento.

Domo Arigato ao Sensei Jorge Kishikawa e à Administração do Niten por tornarem possível a realização do evento; ao Sempai Gilberto por ter nos honrado com o seu afinco em fortalecer nosso espírito; aos Sempais Ariel e Anderson e aos monitores da Unidade de Fortaleza pela organização e por todos os esforços no sentido de viabilizar tal acontecimento; e a todos os samurais de Fortaleza pelo esforço em conjunto, fazendo com que esses dias fossem tão proveitosos.

Otsukaresamadeshita! Domo Arigato Gozaimasu!

Postura dentro e fora do dojo.

por Lucas Honor

Não adiantaria nada saber empunhar uma espada e lutar se nunca compreender e aplicar o significado disso fora do treino. Fora do dojo, as lutas são os deveres que devemos cumprir...

No Instituto Niten uma das coisas que aprendi que mais valorizo é a postura. A postura é o seu comportamento, é como trata os outros, é o olhar, o jeito de caminhar, a atenção entre outras coisas que refletem o seu estado de espírito. É saber ser sério quando necessário. Não o tempo todo, claro, cada coisa tem a sua hora. Mas ter uma postura de respeito pelos outros, principalmente pelos mais antigos que você, é importante até nos momentos de descontração.

Quando fui ao evento Grandes Mestres 2009 em Brasília, além de treinos rigorosos, houve um seminário realizado por Baba sensei, no qual ele falou muito sobre a conduta dos samurais, em especial o respeito(rêi, reverência). Muitos dos assuntos que Baba sensei tocou já haviam sido tratados em momentos de ouro nos treinos, mas só fui compreendê-los melhor depois de alguns dias, pois começei a olhar muitas coisas sob o ponto de vista do que foi dito por ele.

Estou cursando engenharia mecânica na UFC. Gosto do curso, apesar dos relatórios que tenho que escrever, mas é uma pena que quase metade dos meus colegas fazem muita bagunça, e quando não estão em aula, conversam e riem alto o suficiente para serem ouvidos do outro lado do Centro de Tecnologia da UFC.

Durante uma aula de introdução à engenharia, o professor, que também é o coordenador do curso, tentava falar sobre as qualidades do engenheiro. Depois da primeira hora de aula tinha que pedir silêncio a cada uma frase que ele terminava. Interrompiam o professor constantemente com conversas paralelas e perguntas fora do tema da aula. Dava para ver a paciência do professor acabando. Em certo momento, um aluno, ironicamente um dos mais estudiosos, jogou seu chinelo em outro colega. O coordenador interrompeu a aula. Disse que havia perdido a linha de raciocínio e não podia continuar. Deu um sermão sobre postura e comportamento, e lembrei-me na mesma hora do Niten e da palestra do Baba sensei.

Conclui que ter uma boa postura é mais importante que as técnicas de luta; estas são apenas o resultado. A luta é uma maneira de evidenciar como está a sua postura. Se não estiver boa dentro do dojo, é muito provável que não estará fora dele. Quem não presta atenção e quem desiste com qualquer dificuldade, não consegue aprender. Não adiantaria nada saber empunhar uma espada e lutar se nunca compreender e aplicar o significado disso fora do treino. Fora do dojo, as lutas são os deveres que devemos cumprir.

No final do evento dos Grandes Mestres de Brasília, me recordo do sensei Jorge falando que "o Instituto Niten não precisa de atletas, precisa de samurais!". Agora eu entendo perfeitamente o que ele quis dizer. Não devemos apenas saber lutar com uma espada. Também devemos ter postura correta, demonstrando um espírito firme e estar pronto para qualquer coisa, em qualquer lugar.


Lucas Honor

Treino em São Paulo

por Ariel Scafuri

Durante um treinamento profissional pessoal, tive oportunidade de voltar a minha terra (São Paulo) e pela segunda vez participar dos treinos no Hokkaido (quinta-feira) e na Unidade Faria Lima (no sábado), além de treinar na sexta-feira a noite em Campinas, onde conheci a Unidade orientada pelo Senpai Daniel. O ambiente diferente povoado de senpais e graduados da primeira vez me foi algo assustador. Na verdade o maior medo era acima de qualquer coisa de decepcionar como representante da Unidade Fortaleza.

Com o espírito todo voltado para a vinda dos Grandes Mestres, no treino de quinta feira no Hokkaido pude rever alguns detalhes do treino de jô e ver treinando senpais mais antigos. Sexta de noite dirigi 3 horas no transito paulista (um dos motivos pelos quais sai de São Paulo) para chegar à Unidade de Campinas, onde me receberam como um conhecido de longa data, me deixando muito à vontade para treinar. Novamente treino de Jô, seguido de kenjutsu para esquentar o espírito. Conheci Senpai Daniel e Senpai Rolsch (acho que é assim que se escreve), que estiveram sempre solicitos para corrigir e orientar. Terminamos o treino quase 11 horas da noite e eu retornei a São Paulo em 45 minutos com o sangue fervendo nas veias (treino forte e muito técnico).
No sábado de manha, cheguei um pouco antes e encontrei Senpai Bárbara, onde matei minha nostalgia paulista, terra da garoa. De tarde, ainda com o calor da manha, treino de Jô com Senpai Kato, todos mais graduados que eu, tive oportunidade de receber coisas novas e rever coisas já passadas.

No final do treino da manha, o Sensei Jorge Kishikawa acompanha o treino e finaliza com os 15 minutos de ouro. Coloca a frase no quadro que eu copio imediatamente para dentro do cérebro pensando ¨preciso mostrar isto pro Senpai Sampaio!!!¨. A mensagem poderosíssima – Ishi no ue ni san nen – se você perseverar, serás recompensado. O treino de sábado foi ilustrativo, ficando até o final treinei com Senpai Kato que me mostrou coisas novas de Jô.
A experiência de treinar em São Paulo foi ótima, tanto pelo que se aprende, como pelo que se traz para a Unidade dos ensinamentos do Sensei Jorge Kishikawa e dos senpais. Senti-me muito grato a todos que me receberam com firmeza e ao mesmo tempo com vontade de que eu aprendesse. É também muito grande o orgulho de saber que o que se recebe na Unidade Fortaleza lhe prepara para o desafio de treinar em São Paulo com senpais mais experientes. E sempre muito grande a vontade de retornar.

Doomo Arigatoo Sensei Jorge Kishikawa
Doomo Arigatoo a todos os Senpais e Kohais das Unidades Faria Lima e Campinas

Ariel Scafuri,
Coordenador do Niten Fortaleza


topo

Instituto Niten Ceará
(085) 99118-4258
(085) 99931-4127
fortaleza@niten.org.br