Ir para o Conteúdo

Mural Niten Gaúcho


Reencontrando a família no Niten

por Mendes-Cax - 27-nov-2013

Aproveito para compartilhar o texto dos  Alunos Kiyoshi e Juliana, casal no qual iniciou os treinos no Niten de Caxias praticamente juntos:

(...) o que mais nos alegra, nesse momento, é a identificação que sentimos com o grupo. Finalmente, após tantos anos, voltamos a sentir que fazemos parte de uma comunidade pela qual temos muito respeito e carinho."

Confiram o relato na íntegra:

" Konnichiwa Senpai Joé e Senpai Mendes
Yoroshiku Onegai Shimasu

Shitsurei Shimasu,

Envio nessa mensagem  algumas palavras sobre o treino, nossas impressões e o início em conjunto no Caminho:

Em meados de 2010, enquanto eu e minha esposa, Juliana, almoçávamos na praça de alimentação de um shopping em Caxias do Sul, vimos um homem de hakama na fila de um dos restaurantes. Na hora, a Juliana, que já havia praticado Kendo há muitos anos, levantou-se e foi lhe perguntar se praticava Kendo. Meio surpreso, ele a indagou por que, e ela disse que havia percebido pela sua postura. Tínhamos acabado de conhecer o Senpai Joé.

A conversa foi breve, mas alegre. Ele esclareceu que praticava Kenjutsu, passou informações sobre o local do treino, assim como um telefone de contato. Os olhos da Juliana brilhavam com a vontade de praticar. Entretanto, como ela estava grávida de nosso primeiro filho, decidimos esperar.

Os anos seguintes passaram rápido. O primeiro filho nasceu. Cerca de um ano depois, veio a segunda gravidez. E víamos a vida seguindo, veloz, muitas vezes com a impressão de que estávamos sendo atropelados por ela. Foi só após seis meses do nascimento da nossa segunda filha que percebemos como havíamos passado a viver em função quase exclusiva das crianças, e de como precisávamos, entre outras coisas, voltar a praticar esportes.

Dado o fato de não termos família em Caxias, decidimos criar um sistema de “revezamento”: enquanto um cuidasse das crianças, o outro praticaria algum esporte. Ela começou a correr, mas eu não sabia o que fazer. Foi quando ela me lembrou do Kenjutsu. Fiquei um pouco receoso, pois nunca tive um espírito muito combativo, mas decidi tentar.

No primeiro dia, percebi como esse Caminho faria bem a mim. A despeito da fadiga física, e de ter chegado a passar mal depois de sair do local do treino (certamente resultado do sedentarismo), eu me sentia alegre, realizado, instigado. Como não podia deixar de ser, com o passar dos meses, a vontade da Juliana de treinar só aumentava. Entretanto, como havia prática apenas aos sábados, concluímos que não valeria à pena que cada um treinasse apenas a cada quinze dias. Mas, num certo momento, a vontade dela não podia ser mais contida. Acertamos com a babá para que ela ficasse com nossos filhos nos sábados de manhã, e enfim a Juliana pôde começar a treinar.

Ainda que nem sempre possamos participar tanto quanto gostaríamos, praticar juntos tem sido especial. Por mais atribulada que uma semana tenha sido, sempre temos a sensação de que ficamos renovados após o treino, o que nos motiva mais e mais a nos aprofundar no Caminho. Também, é evidente como nosso corpo e espírito vêm se fortalecendo, resultado dos ensinamentos que nos são passados. Entretanto, o que mais nos alegra, nesse momento, é a identificação que sentimos com o grupo. Finalmente, após tantos anos, voltamos a sentir que fazemos parte de uma comunidade pela qual temos muito respeito e carinho.


Sayounara
Arigatou Gozaimashita

Kiyoshi e Juliana "


 Kiyoshi e Juliana com seus filhos: Aprendendo os Katas do Bushido em família.


Tags: Relatos,
comentários  

Joé Campos - Caxias do SulA sensação de reencontrar velhos amigos é uma constante. Seja ao visitar uma unidade, seja no primeiro contato com o treino, nunca nos sentimos `desconhecidos`.
Esta sensação nos primeiros treinos torna tudo um pouco mais especial.
Mas ver este sentimento vivo em `sangue novo` não só torna tudo muito mais especial como também muito gratificante. Mantendo, assim, o espírito de iniciante vivo dentro de cada um de nós.
Arigatou gozaimashita por este `reencontro`!

Kiyoshi Matsuda - Caxias do SulArigatou gozaimashita a todos pela acolhida.

Achei bem interessante a expressão `reencontrar velhos amigos` usada pelo Senpai Joé, pois expressa muito bem a sensação que tenho.

Fico muito feliz de estar entrando nessa família. Arigatou gozaimashita.

Alessandro Rabello Barbosa - Porto AlegreOmedeto Kiyoshi e Juliana, traduziram bem o sentimento da Família Niten!

Bruno Selau - Caxias do SulArigatou Gozaimashita aos colegas Kiyoshi e Juliana pelo seu relato, que tão bem exemplifica o sentimento de participar dessa `família Niten`. Arigatou Gozaimashita os senpais que nos disponibilizaram o texto.



Retornar para últimas postagens


    topo

    Instituto Niten Rio Grande do sul
    (051) 99543-2469
    portoalegre@niten.org.br