Ir para o Conteúdo
imgcentral

Café com o Sensei

Pensamentos e comentários do Sensei




Tag  dia_do_samurai        Retornar para últimas postagens

30-abr-2010

Dia do Samurai 4

Deixo o comentário de dois alunos sobre o Dia do Samurai em São Paulo.
O primeiro por expressar com detalhes os acontecimentos no dia.
O segundo aluno , por este ser nao apenas ser aniversariante, mas sim por ter se mostrado samurai com retidão e coragem em sua Unidade o que desencadeou a renovação completa da unidade.

 




Parabéns


"Me chamo Douglas Lima Daniel e sou aluno do Niten BH.
Esforço-me para merecer o “título” de “discípulo”.
Estive em São Paulo nas comemorações do Dia do Samurai 2010, com os Senpais Sartori e Fonseca.
Confesso que continuo com o espírito intenso, ainda aquecido com as batalhas das comemorações, que aliás, não há maneira melhor de comemorar o Dia do Samurai do que combatendo, elevando o Senki ao máximo.
Comecei a semana empolgado e ansioso para a chegada do grande dia, organizei os preparativos para a viajem, conferi as armas, as provisões, chequei o itinerário, calculei as horas. Estou pronto.
Chegamos bem cedo, pude conhecer a ADM, os Senpais responsáveis, as regras...
Já estava em treinamento, comecei com os katas do Bushido.
Logo na chegada percebi que a diferença de idade entre os Senpais que estavam na ADM e eu não influenciou na nossa conversa, nos tratamentos. O Niten inspira nos jovens um respeito que não existe nos dias de hoje, filhos que desrespeitam os pais e os mais velhos, brigões, arruaceiros...
Na chegada à Unidade Faria Lima tive a mesma impressão, mesmo com uma grande quantidade de pessoas, os mais jovens mantiveram o respeito, focaram a atenção quando conversávamos, fiquei impressionado, como se a unidade tivesse se transformado em outro país, bem diferente do lado de fora. Os princípios do Bushido estavam aflorados!
Mais contente do que estar treinando em São Paulo foi estar na presença do Sensei, que logo nos recebeu com um belo sorriso, neste momento todo o meu nervosismo se foi. O Sensei é um amigo e não um monumento que se admira ao longe.
Logo no início, nos kihons, o Sensei me observou, corrigiu minha postura, Hajime! Foi uma surpresa! Meus golpes melhoraram com uma dica aparentemente simples. Arigato Gozaimashita Sensei!
Medir forças. Fiquei empolgado! Me armei com Nito. No auge do meu 7º Kyu fui para a batalha, gostaria de ter lutado com todos, mas a experiência que tive valeu vários meses de treinamento. Fiquei imensamente honrado ao ser convidado para auxiliar com os iniciantes sem bogo, mais ainda de ser chamado de Senpai, logo pensei: “Eu! Senpai!”. Aprumei a postura e pensei comigo: “Serei o melhor exemplo que puder, vou inspirar como os meus Senpais me inspiram”
Uma manhã que eu não gostaria que tivesse acabado.

Mas ainda tem muito mais, treino livre de kenjutsu antes dos katas da tarde!
Lanche rápido. Molhei a garganta, Kiai!
Muitos quiminos azuis só aumentavam a minha empolgação! “Tenho que aprender o máximo que puder!” Olhei para os lados, somente eu como 7º Kyu. Tomei muito kotes, muitos mens, alguns eu nem vi! Mas dei trabalho, não foi tão fácil me acertar, inclusive acertei alguns, neste momento o agradecimento dos Senpais me encheram de orgulho. Ganhei boas dicas do Senpai Fabrício. Arigato Gozaimashita Senpai Fabrício!
O que aprendi? Ganhei destreza com Nito, diminui a minha rigidez, defini melhor os golpes, minha postura melhorou bastante, melhor análise do oponente, sem desespero, encontrando a abertura.
Katas do Niten. Quantos alunos! É um momento raro ver tantos alunos juntos num mesmo objetivo, todos empenhados, concentrados. É possível sentir a energia, o Senki estava afiado. Quanto a mim, aprendi a 6º e a 7ª sequência, refinei as 5 primeiras, ganhei boas dicas do Senpai Gilberto, mais uma vez pude melhorar a minha postura. Arigato Gozaimashita Senpai Gilberto!
Nas apresentações do áudio visual constatei o quanto ainda tenho que melhorar. Belíssimas. Impressionou-me muito a forma, o segredo da postura é fundamental para realizar o kata com eficiência para atingir a eficácia. O resultado depende de “fazer certo as coisas certas”.
Sobre a confraternização, posso dizer que estivemos como uma família. Tinha acabado de conhecer vários membros e era como se fôssemos amigos de infância, sem resistência, muita alegria e a certeza de uma batalha ganha. Quanta honra, quanto orgulho, sentar-me frente ao Sensei, servi-lo e ser servido. É preciso viver estes momentos, só assim se aprende o Gokui.
Vencemos mais esta batalha, foi uma bela vitória, mas ainda há uma guerra a vencer e para ela vale o nosso lema: “Treinar, Treinar e Treinar”

Parece-me extenso este relato, mas é certo que não foi o suficiente para passar o quanto valeu este momento. Está na memória os aprendizados, as boas dicas, não somente em relação ao treinamento, mas para a vida, pois a convivência em si só já é uma batalha. E esta nós travamos todos os dias. Perder ou Ganhar só depende de nós

Sayounará.
Domo Arigato Gozaimashita.

Douglas Danie- Niten Belo Horizonte



Dia do Samurai. Dia de encontrar nossas raizes


"Desde o retorno de São Paulo, venho me preparando para enviar-lhe minhas impressões sobre um dos melhores aniversários que já passei. Não me sai da cabeça uma pequena frase dita pelo Sensei em um dos E-GANS passados, no qual o Sr. desabafa a respeito de um biru-dô que considerava merecido àquele momento. Numa dessas frases não exatamente com as palavras que agora escrevo para recordar o Sr. dizia: "quero comemorar neste biru-dô algumas coisas importantes, pois muitas coisas perdemos pelo caminho" ou alguma coisa parecida com isso.

Semelhanças desse seu desabafo imediatamente fizeram um "link" na minha mente com as minhas impressões essoais sobre minha vida, também perdi muitas coisas pelo meu caminho, não penso nas materiais, mas nas pessoas que pelo caminho que passei ficaram para se tornarem hoje o meu passado. E como todo solitário que ficou sem companhia sinto falta delas e sinto a perda delas também. Algumas morreram, outras me esqueçeram, outras estão eternamente em minhas orações e envio a elas meus sentimentos mais profundos sempre que posso.

Venho lutando sozinho, seguindo o meu "BUSHIDO", fazendo cada dia o meu trabalho, o meu aperfeiçoamento espiritual, minha busca incessante como qualquer ser humano pela simples e completa sensação de apenas ser feliz e viver bem com as pessoas. Este meu aniversário deste ano me levou a ter momentos de profunda felicidade, confirmando o que senti quando a primeira vez pisei um Dojo do Niten quando após me assentar para assistir, escutei aquela "gritaria estranha" que todo aluno faz ao adentrar no Dojo. Me senti em casa naquele momento, me senti perto da porta de algum castelo medieval japonês, me senti em um contexto de situações passadas, me senti forte, me senti no caminho certo, e disse para mim naquele momento: "achei a minha turma". Vou praticar um dia isso pois tudo aquilo me parecia ao mesmo tempo desconhecido e familiar, mas nem por um segundo essa sensação paradoxal me confundiu, pois a sensação que tive naquele dia foi que me senti MUITO BEM.

Durante o treino olhava todo aquele cerimonial de cumprimentos e reverências à Katana no Torei, ali começei a perceber o que eu realmente senti. A espada seria então meu caminho daí em diante.
Neste dia 24 de Abril, no meio de tanta gente desconhecida, me livrei um pouco da minha solidão, alguns chegaram até a mim e me deram um caloroso "OMEDETÔ GOZAIMASS". Agradeço ao Senhor pelas palavras ditas a meu respeito a todos que ali estavam e nunca haviam me visto. Me senti naquele momento "dentro do castelo" com meus companheiros, me senti cercado de proteção e de boas energias, mais uma vez me senti bem por fazer parte de algo que acredito verdadeiramente que é a busca por um caminho espiritual de auto conhecimento e de sinceridade.

Hoje percebo o quanto foi bom resistir e agora poder dizer que minhas dúvidas muitas vezes me incomodaram enquanto treinava sob a coordenação do Tamietti, não posso negar que sentia um desconforto estranho com aqueles antigos companheiros que se foram, me senti várias vezes incomodado com a presença deles mas não tinha um explicação lógica. Sentia através daquilo que considero "percepção das energias das pessoas". Na vinda do Senpai Adeval essa sensação mudou completamente e inclusive registrei isso em um e-mail para o meu Senpai na época: AKIRA, quando disse a ele a minha impressão sobre o senpai Adeval, resumindo numa frase: Senpai Akira, gostei muito do novo senpai e tudo que posso dizer a respeito dele é que se assim me for permitido opinar: "ele é um dos nossos". Estou muito satisfeito com o Senpai Adeval o qual tenho uma grande admiração e espero que também pelas minhas atitudes e posturas tenha da parte dele os mesmos sentimentos.

Para finalizar Sensei, gostaria de dizer que neste, na verdade "nosso aniversário" me senti muito honrado em estar ao seu lado comemorando não só a data dos nossos nascimentos, mas acredito que muito mais que isso, apesar de todas as nossas perdas pelo caminho, comemoramos nossas vitórias em encontrar junto a tantas pessoas que buscam as mesmas coisas que buscamos apenas um pouco de momentos de felicidade e sorrisos no meio de nossos terríveis campos de batalhas pessoais e coletivos que dia a dia enfrentamos a cada nascer do sol.
Que este seja um grande ano do Tigre para todos nós, e que possamos sorrir muito mais e juntos.


Trivelli - Niten Belo Horizonte

OBS.O aluno Trivelli , citado no Cafe, iniciou os treinamentos na Unidade Curitiba com o coordenador Akira.
Posteriormente mudou -se para Belo Horizonte onde permanece hoje.




Mais Fotos do Dia do Samurai

Tags: Dia do Samurai,
26-abr-2010

Café com Sensei

Segunda, 26 de Abril de 2010

Dia do Samurai 3

Dia do Samurai.
Sem duvida, para termos este dia tão auspicioso foram necessários uma boa dose de coragem, determinação, honestidade, sinceridade, paciência, humildade e, principalmente, a ajuda dos deuses.
Sou suspeito para falar sobre este dia mas, felizmente, tenho a sorte de ter encontrado brasileiros como este meu aluno do Rio de Janeiro que expressa nitidamente a importância desse dia no mundo hodierno.
Omedeto a todos os guerreiros!
Ei-lo:
 

" Por vezes, pessoas curiosas me indagam do que se trata o Dia do Samurai e o que fazemos no Niten. Não é incomum olhares de estranheza após a explicação e questionamentos como: "- Para que isso tudo?; - "vocês querem ser mais japoneses que os japoneses!" ; "- o Brasil não combina com isso.". Essas pessoas olham com olhos muito limitados, não enxergam e não ouvem, pois em qual lugar do mundo o aprendizado sobre honra, lealdade, corajem, justiça, compaixão, sinceridade e educação são incabíveis? Em que lugar do mundo a busca pela perfeição, o fortalecimento do espírito e do corpo são desnecessários? Talvez em uma cultura degradada onde o importante é ser "esperto" e onde ser honrado é ser "otário" não caibam este aprendizado. Engano-me, pois penso que na verdade é nesta cultura degradada que os ensinamentos do Sensei são necessários, como um dos faróis para aqueles que não concordam com o desvalor que é apregoado na sociedade e como um instrumento de mudança da sociedade.

Em mais de dez anos de trabalho na Justiça como Defensor Público, já vi milhares de mazelas sociais e conflitos que seriam resolvidos, ou simplesmente não ocorreriam, se as pessoas minimamente adotassem os princípios ensinados no Instituto Niten.

Não sou puritano, não tenho vínculos políticos e minha religiosidade é vacilante, mas não tenho dúvidas que os ensinamentos passados pelo Sensei são corretos e verdadeiros alicerces para sermos pessoas melhores, cidadãos melhores."



Participantes do Dia do Samurai na unidade Faria Lima (tarde)


Participantes do Dia do Samurai na unidade Faria Lima (manhã)


MATÉRIA DO DIA DO SAMURAI COLOCADA NO EGAN


O “Dia do Samurai” foi instituído no ano de 2007 na cidade de São Paulo e depois em Piracicaba, Ribeirão Preto, Campinas, além dos estados do Paraná e do Amazonas em homenagem ao sensei Jorge Kishikawa por ser o difusor da tradição guerreira da espada samurai, o KOBUDO, e da filosofia dos samurais, o BUSHIDO, em todo o Brasil. Dois legados que foram os principais fundamentos para a formação do Japão e para torná-lo umas das nações mais importantes e respeitadas no mundo. O dia escolhido para essa homenagem é 24 de Abril, data de nascimento do Sensei.

Desde a infância, o Sensei Jorge Kishikawa teve uma educação profundamente influenciada pelos costumes samurais. A educação tradicional japonesa foi complementada a partir dos seis anos quando iniciou a prática do kendo ao lado de seus pais, Yoshiaki e Mitiko Kishikawa, e de seu irmão mais novo, Roberto. Nessa época, ele conquistou muitos títulos em torneios brasileiros de kendo nas categorias mirim, infantil e juvenil. Conquistou a primeira medalha do kendo brasileiro em torneios mundiais na categoria individual ao obter o 3º lugar no Campeonato Mundial Juvenil de Tóquio em 1977, e a medalha de Honra ao Mérito. Detém o recorde de ser por duas vezes consecutivas Pentacampeão Brasileiro de Kendo na década de 80, uma vez na categoria juvenil e a outra na categoria máxima. Em 1990, recebeu pela Federação Paulista de Kendo o título de “Atleta Super Campeão” por seus inúmeros títulos.

Trouxe para o Brasil a conquista do 3° lugar por equipes no Campeonato Mundial Juvenil de Tóquio em 1977, sendo a sua participação decisiva contra a forte equipe de Taiwan. Foi mais duas vezes Vice-Campeão Mundial por equipes: uma delas no Campeonato Mundial de São Paulo em 1982 e a outra no Campeonato Mundial de Paris em 1985. Em Paris, conquistou o Vice-Campeonato Mundial Aberto Individual na categoria 4° e 5° Dan. Foi ainda capitão no 3° lugar por equipes no Campeonato Mundial de Seul em 1988 onde também recebeu a medalha de Honra ao Mérito.

Em 1998, o Sensei Jorge Kishikawa foi o primeiro mestre brasileiro a prestar e a receber o título de 7o Dan Kyoshi em Kendo pelo Japão, a maior graduação existente no Brasil e reconhecida pela Federação Internacional de Kendo (IKF – Internacional Kendo Federation), após ser aprovado por unanimidade por uma banca examinadora composta por mestres japoneses.

Formado em Medicina Esportiva pela Faculdade de Medicina da UNIFESP, antiga Escola Paulista de Medicina, o sensei atuou, entre outros, como oficial médico nas Forças Armadas e foi o primeiro diretor medico da então Federação Paulista de Kendo ( ainda não havia sido fundada a confederação Brasileira de Kendo), sobretudo, na década de 90. Também foi um dos fundadores da Academia Saga de Kendo junto com a sua família, formando inúmeros campeões brasileiros e mundiais no kendo, desde mirins até os mais graduados.

Em paralelo aos treinamentos de Kendo e na participação em torneios brasileiros e mundiais, o Sensei Jorge Kishikawa já nutria um interesse em se aprofundar e buscar as origens dos estilos de combate criados pelos samurais, ou seja, o kenjutsu e o kobudo. Dentre eles, podemos destacar o Hyoho Niten Ichi Ryu de Miyamoto Musashi, Suio Ryu Iai Kenpo, imortalizado nas páginas do Lobo Solitário e Filhote (Kozure Ookami), o Shindo Muso Ryu Jojutsu de Muso Gonnosuke Katsuyoshi , o Tenshin Shoden Katori Shinto Ryu criado por Iizasa Choisai Ienao há quase 700 anos, Ishin Ryu Kusarigama jutsu, Ikkaku ryu Jitte jutsu, Uchida ryu tanto jutsu, Nito Shinkage ryu Kusarigama jutsu, Kasumi Shinto ryu Kenjutsu, Hojo jutsu, Battodo e outros. Devido a essas influências, foi também um dos primeiros a treinar com duas espadas no Brasil e vencer o Torneio Paulistano na categoria máxima se utilizando delas.

Para conhecer ainda mais a respeito desses estilos antigos, o sensei segue uma rotina de treinamento, fazendo dela “a sua prece diária", como ele mesmo costuma dizer. Além desse treinamento diário, com início já na madrugada, viaja anualmente ao Japão para praticar diretamente com os mestres os vários estilos antigos em shugyo, peregrinação ou jornada que os samurais faziam pelo Japão para aperfeiçoar suas técnicas e o seu espírito.

Dentro dessa tradição guerreira dos samurais, possui o Menkyo Kaiden, a graduação mais alta, no Hyoho Niten Ichi Ryu, estilo criado pelo Samurai Miyamoto Musashi, sendo reconhecido como Shihan, Mestre, da 10a Geração do estilo e possui o título de Shidosha, docente e representante na America Latina dos estilos citados.

Em 2004, lançou o livro Shin Hagakure: Pensamentos de um Samurai Moderno. Por meio de uma linguagem acessível, a obra trouxe à tona os ensinamentos da filosofia e da cultura samurai para que os leitores possam encarar a vida na sociedade moderna com o espírito samurai e, com isso, “despertar o tigre adormecido em seus corações”. Agora em 2010, ano do Tigre, o Shin Hagakure será relançado brevemente em uma nova edição totalmente revisada e ampliada com novos pensamentos. Frutos de mais reflexão e conteúdo filosófico passado aos seus alunos, eles manterão a essência da edição anterior: fazer com que os leitores reflitam a respeito de como viver a vida e enfrentar as suas adversidades com a mesma harmonia, coragem, confiança, tranquilidade, disciplina e autocontrole dos samurais do passado. Além disso, em 2006, o sensei Jorge Kishikawa escreveu a introdução e foi o revisor técnico da tradução d’O Livro dos Cinco Anéis, Gorin no Sho, de Miyamoto Musashi.

Atualmente, o Sensei Jorge Kishikawa é uma das principais autoridades na arte da espada e na filosofia samurai fora do Japão e continua a difundi-las no Brasil e na América do Sul como Presidente da Confederação Brasileira de Kobudo e por meio do Instituto Niten que congrega 40 unidades espalhadas pelo Brasil, Chile e Argentina com aproximadamente 600 alunos.

Essa difusão é feita aos alunos via Método KIR. "KIR” é a sigla da expressão em inglês Ken Intensive Recuperation, ou em português, Recuperação Intensiva Através da Espada. Método único desenvolvido pelo Sensei Jorge Kishikawa com o objetivo de potencializar ao máximo as competências do indivíduo.

O conhecimento que ele adquiriu em mais de 40 anos de treinamento dos diferentes estilos, além de sua educação austera; o convívio com os últimos mestres samurais no Japão; a sua formação e experiência como médico do esporte; a experiência de 10 anos no meio militar e o fato de ser brasileiro compõem os seis pilares do método KIR, e juntos tornam as aulas imensamente mais enriquecedoras, uma profunda viagem em busca da essência da espada e da filosofia samurai. Desse ponto de vista, o Método KIR é a ferramenta fundamental que canaliza os treinamentos e os ensinamentos da filosofia e da cultura japonesa no dia-a-dia do praticante para que eles adquiram, sobretudo, tranquilidade, controle, disciplina e autoconfiança.

Isso significa que por meio do treinamento samurai ultrapassamos limites e chegamos cada vez mais longe na busca em atingir a perfeição e despertar o nosso potencial oculto que possibilita viver mais plenamente.

Esses ensinamentos vão além do dojo e contribuem para tornar o mundo um lugar mais justo. Ao longo dos anos, o Instituto colaborou com diversos programas sociais e ajudou diversas associações, dentre o qual se destacam: programa Fome Zero, programa de combate à desnutrição infantil em Fortaleza (IPRED) com a doação de 25 mil litros de leite; doações à Cruz Vermelha Internacional; projeto Pequeno Cidadão; casa de tratamento de Hanseníase de Betim; Associação Crianças de Belém que atende crianças, adultos e idosos da comunidade carente além de ter um trabalho exemplar com crianças portadoras do vírus da AIDS; e doações para o Abrigo do Idoso. Estas doações exercitam a compaixão, virtude tão importante para os Samurais e sempre presente nas ações do Instituto Niten. O Niten também mantém programas de bolsas de estudos em que beneficia pessoas carentes e estudantes da rede pública e inicia em 2010 o projeto Niten-Vurtudes totalmente voltado para este público.

O sensei Jorge Kishikawa acredita que o treinamento austero , a pureza e a sinceridade são os combustiveis para se aprofundar na prática, motivo pelo qual discorda do critério de seleção de jurados de bancas examinadoras de graduação de instituições que impõem a participação de seus jurados em torneios e eventos sociais como requisito básico, ao invés de relevar, sobretudo, os critérios técnicos. A busca desenfreada por graduações e o grande número de torneios promovidos por estas instituições estão longe de ser o palco onde se desenvolver enquanto Caminho, segundo o sensei Jorge Kishikawa.

Para o Sensei o importante não é ensinar aos seus alunos como adquirir graduações ou como vencer competições, mas sim o de transmitir uma filosofia de vida baseada na aplicação da espada, da disciplina samurai e das outras artes no dia-a-dia do praticante com o objetivo de educar, forjar o espírito guerreiro e formar “Samurais Modernos”, participativos no bem comum da sociedade, verdadeiros campeões na vida.

Além do Dia do Samurai, o sensei Jorge Kishikawa recebeu diversas homenagens por seus esforços na divulgação da espada e da filosofia samurai. Em 2008, o ano do Centenário da imigração japonesa no Brasil, foi uma das personalidades da colônia japonesa homenageada no Palácio do Planalto com a “Medalha Alusiva ao Centenário” em cerimônia oficial na presença do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do Príncipe Herdeiro do Japão, Naruhito Kotaishi Denka. No mesmo ano, foi nomeado “Guardião da Soberana Ordem da Fraterna Integração Nipo-Brasileira” pela CICESP (Centro de Integração Cultural e Empresarial de São Paulo). Ainda por conta do centenário, recebeu a “Medalha de Honra ao Mérito Legislativo do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil”; o “Diploma Kasato Maru ” da Assembleia Legislativa do Mato Grosso do Sul e “Votos de Louvor” da Academia Brasileira de Arte, Cultura e História.

Em 2006, foi homenageado pela Câmara Municipal de São Paulo. Em 2007, foi agraciado com o Premio Especial na 50ª Edição do Prêmio Paulista de Esportes ao lado do judoca e vereador Aurélio Miguel. Recebeu também da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo o prêmio "Personalidade das Artes Marciais” em 2007; o “Diploma do Mérito Profissional em Medicina do Esporte” da Academia Brasileira de Arte, Cultura e História; a “Medalha de Legião Joana d’Arc da Soberana Ordem dos Cavaleiros de São Paulo Apóstolo”; a “Soberana Ordem da Fraterna Integração Nipo-Brasileira”; “Cruz do Mérito da Fraterna Integração Nipo-Brasileira”; a “Medalha Comemorativa dos 100 Anos do Tratado de Amizade, Comércio e Navegação Brasil-Japão”.

Todo esse trabalho do sensei Jorge Kishikawa em difundir os valores samurais foi e é possível graças ao incentivo e à aceitação dessa proposta pelos imigrantes japoneses, pelos nipo-descendentes, pelos brasileiros e pelas outras nações da América do Sul.

O Dia do Samurai simboliza, portanto, toda a cultura milenar e emblemática dos samurais e o espírito de luta dos primeiros imigrantes japoneses que contribuíram para o crescimento do Brasil. Com isso em mente, o sensei Jorge Kishikawa se motiva cada vez mais em continuar a transmitir a arte e a filosofia samurai às gerações futuras por meio do Instituto Niten, cumprindo assim a sua missão, em suas próprias palavras, “transmitir a arte da espada que dá a vida. Em abundancia”.

Tags: Dia do Samurai,
23-abr-2010

Dia do Samurai 2

As vésperas do Dia do Samurai , recebi este cartão que deixo aqui para lermos enquanto tomamos o Café:








Clique para ampliar

Tags: Dia do Samurai,
22-abr-2010

Dia do Samurai 1

Recebi este email de um aluno e que fala sobre o Dia do Samurai, que aliás , é depois de amanhã.

konbanwa
, Sensei,

Caso a Erika já não tenha mandado, sexta-feita, eu fui treinar com eles em Piracicaba e ocorria uma reportagem no Jornal de Piracicaba sobre kenjutsu. Segue um scan da matéria.

Na foto, somos eu e o Nosaki.
sayonara


Clique para Ampliar

Tags: Dia do Samurai,



topo

(+55 11) 5539-3587 seg-sex 9h-8h
(+55 11) 99734-6497 seg-dom 9h-22h