Ir para o Conteúdo
imgcentral

Mural

Murais das unidades e posts de alunos


Palestra da Monja Coen no Niten Rio / Relatos

por Niten Rio de Janeiro - RJ/Rio de Janeiro - 25-nov-2002

"A mente é a nossa maior traidora"
por Daniel Senos, 12 anos
O jovem samurai refletindo sobre o significado da sua espada!

Essa é uma frase que me fez refletir o dia todo. Uma frase que mudou todo o meu conceito sobre a mente. Eu pensava que, minha mente era minha fiél companheira, mas nesse dia, ao ouvir as palavras da sensei Coen, quando essas palavras tocaram nos meus ouvidos, foi como se fosse uma voz da verdade. Comecei a me lembrar de situações que minha mente provavelmente tinha me traído, e eu, ingênuo, culpava outras coisas que não tinham nada a ver. Essa foi uma das mais importantes lições da minha vida

Outra coisa que me fez refletir no dia, foi o que a sensei Coen falou sobre a espada. Sensei Coen disse que é mais fácil enxergar a espada como uma arma assassina, ou seja, é mais fácil um praticante trilhar o Caminho da ‘’espada que tira a vida’’ do que o Caminho da ‘’espda que dá a vida’’. Minha conclusão sobre isso, é que a espada é uma arma ofensiva, pois você corta, você mata para dar a vida. Mas a filosofia da ‘’espada que dá a vida’’ é bem diferente da filosofia da ‘’espada que tira a vida’’ pois, no Caminho da ‘’espada que tira a vida’’ o objetivo é tirar a vida e pronto. No caminho da ‘’espada que dá a vida’’ você tira a vida para proteger uma outra vida.

Terminando: A palestra foi super-interessante, a sensei Coen é extremamente simpática e tem uma vasta sabedoria.

Domo Arigato Gozaimashitá, Sensei,
Por me dar essa grande oportunidade
Domo Arigato Gozaimashitá Sensei Coen,
Por aceitar com entusiasmo o nosso convite
Domo Arigato Gozaimashitá Wenzel & Célio Sempai,
Por tudo o que vocês tem feito por nós

Sayonara
Senos

UMA OPORTUNIDADE ÚNICA
por Alexandre Ormond
Reflexão sobre estar "preparado" e a procura do aluno pelo mestre

Com a palestra da Monja Coen, realmente tivemos uma oportunidade única aqui no NitenRio. Vários são os “Budas”, como disse a própria Sensei, mas as pessoas que os veiculam e os momentos em que nos encontram são sempre únicos. Assim como somos diferentes de quem éramos 10 segundos atrás, a próxima palestra ou mestre nos serão muito distintos.

Isso ficou bem claro para mim, pois muitos dos ensinamentos da Sensei eu já havia ouvido antes, de outra forma. Isso me mostrou uma harmonia e uma noção de “Todo” que aumentou a minha percepção do mundo. Muito que para mim era conflituoso e incoerente começou a fazer mais sentido e sentimentos irrequietos atingiram um certo grau de calma bem pacificante.

É muito comum ouvir que quando o aluno estiver pronto o mestre o encontrará. Em momento algum eu me senti “preparado” ou que estivesse fazendo à Sensei Coen o favor de aprender alguma coisa. A Sensei provou definitivamente algo que, no fundo, todos sabemos: “Estar preparado” é uma ilusão e, de fato, é o aluno que deve procurar o mestre.

A vida, em toda a sua forma e extensão, é um eterno estado de preparação, para tudo e para o nada, então “estar preparado” é apenas uma ilusão egoística. É o ego tentando puxa-lo para escuridão da prepotência e da ignorância.

Também, é o aluno que deve buscar o mestre. É a busca genuína do coração que coloca o conhecimento em nosso caminho e nos aproxima da verdade. É verdade que temos que ser um pouco passivos, render nosso ego para aprender, mas ficar “parado” é algo diferente disto, e muito nocivo.

Um verdadeiro aluno deve colocar em prática o que aprende e sente. Esta, talvez, seja a parte da jornada em que provamos nossa força. Só para ilustrar isso, eu decidi evitar usar a palavra “não” e outros termos negativos. Com exceção deste parágrafo, acho que fui razoavelmente bem sucedido, mas foi muito difícil. A cada frase sempre havia um primeiro pensamento que me impelia a negativizar a sentença.

Isso me mostra que o caminho apenas se delineou, nem começou ainda, e eu estou com mais dúvidas que antes. Entretanto, como todos os verdadeiros mestres, a Sensei substituiu as dúvidas nocivas por aquelas que impulsionam e iluminam, ajudando-me a aliviar um pouco os véus que me cobrem a vista.

Sensei Coen, Arigatô Gozaimashitá Sensei Kishikawa, Arigatô Gozaimashitá.

Ormond – Unidade Rio de Janeiro

 

Sua tranqüilidade contagiante, suas palavras calorosas, seu sorriso sincero...
por Cristina Hodge
ainda temos muito a aprender. Ainda bem!

Conheci a Monja Coen pela primeira vez em uma revista. Li sua entrevista e fiquei bastante impressionada. Mas jamais pensei que a conheceria pessoalmente. E por duas vezes! A mistura do rosto sereno, com sua voz doce e suas palavras hipnotizantes me fizeram, de imediato, sua admiradora. Ao sair de suas palestras, me senti mais forte, mais tranqüila, mais feliz... Neste mundo individualista e agitado em que vivemos é muito raro encontrarmos uma pessoa como a Monja. Sua tranqüilidade contagiante, suas palavras calorosas, seu sorriso sincero... Nos faz parar para pensar que apesar da vida ser dura, há muitas e muitas coisas boas nela. E que ainda temos muito a aprender. Ainda bem!

Deixo aqui meus sinceros agradecimentos à Monja Coen, pelas horas maravilhosas em que passei ouvindo suas palavras.

Domo arigato gosaimashita!

Cristina Satchko Hodge

 

A DIFICULDADE É ILUSÃO
por Luís Eduardo Jason
Lá estava ela mostrando que não devíamos precisar dela

A expectativa era grande e, como sempre, errada;
A reverência pelo conhecimento produziu em mim a ilusão - esperava ver uma mestra sagrada e misteriosa, guardiã de segredos além da compreensão mortal. Coen Sensei, entretanto, veio destruir a ilusão; aliás, muitas ilusões.

Numa simplicidade que me tocou pessoalmente mais do que qualquer outra coisa naquele dia, ela conseguiu mostrar, apesar da imensa dificuldade da tarefa, que somos incapazes de ver que não precisamos aprender nada novo. Acho que este é o verdadeiro objetivo de todo mestre: nos mostrar, dentro de nós mesmos, o conhecimento.

Somos todos feitos das mesmas moléculas que as estrelas, e lutamos as mesmas batalhas todos os dias contra ar e água, fogo, terra e vácuo. Somos todos o mesmo. E foi nas palavras simples e no sorriso fácil da monja Coen que eu vi - pela primeira vez um pouco mais nítido. Lá estava ela me mostrando que não devíamos precisar dela. Todas as coisas ao nosso redor são maravilhosas, há tanto de maravilhoso em nós mesmos, que podemos aprender o infinito em qualquer coisa. Mas é preciso ter uma sabedoria muito especial para mostrar isso; só os maiores mestres conseguem transmitir o óbvio - o conhecimento que se revela por trás de toda a realidade; a verdade que está em cada um de nós. E o único jeito de aprender é lutando consigo mesmo. Só tenho a agradecer ao Kishikawa Sensei e ao Instituto Niten. É um lugar onde o aprendizado nunca acaba. É um lugar onde aprendemos a aprender cada vez mais.

Arigatô Gozaimashita

Luís



Retornar para últimas postagens


    topo

    (+55 11) 5539-3587 seg-sex 9h-18h
    (+55 11) 99734-6497 seg-dom 9h-22h