Ir para o Conteúdo
imgcentral

Mural

Murais das unidades e posts de alunos


Tag  familia        Retornar para todas postagens

Cuidando de Pérolas - Família Pierin

por Niten - blog - 06-fev-2017




Pierin é Coordenador na Unidade FLorianópolis do Instituto Niten
Seu filho Massaru o acompanha no dojo, desde pequeno, até que chegou o dia de colocar o treino em prática pela primeira vez.
Desde então, pai e filho são companheiros de treino também.
Companheirismo que fortalece os laços e dá ânimo para enfrentarem as batalhas, Juntos!




Relato Pierin, Pai, treinando há mais de 7 anos no Niten:
"Iniciei meus treinamentos no Niten quando meu filho tinha por volta dos 2 anos e meio. Ele ainda pequeno me acompanhava e gostava muito de toda a novidade. Porém quando eu saia para treinar ele pedia pra eu ficar brincando com ele, as vezes fazia uma birra e tal. Certa vez ele parou em frente a porta e não deixou eu sair. Então me abaixei e disse a ele que estava indo para ficar mais forte. Não sei porque, mas ele na hora saiu da frente e desde então não teve mais nenhuma atitude dele em relação a eu não ir treinar.

Passaram-se alguns anos e, eu e mãe dele nos separamos, foi um momento difícil e muito delicado. Eu acabei absorvendo mais os cuidados com ele, pedi para ficar mais tempo com ele durante a semana e aos finais de semana ela ficava com ele. Então, me dediquei a preparar a comida, montei meu trabalho em casa e um rotina bem puxada. Nesse periodo ele já estava com quase 5 anos, e eu estava ajudado na coordenação do Niten em Florianópolis, então ele começou a ir aos treinos e participar livremente, como podia. E ele se divertia muito, conhecia todos os alunos e deste esta época ele treina, sabe o nome de todos e sempre quando falta alguém ele me pergunta se se o aluno esta bem. Ainda assim só matriculei ele quando ele fez 6 para 7 anos, não havia KIR jovem, foi um momento de muitas tarefas de escola, trabalho e treino, mas nos fortalecemos.

Hoje temos o Kir Jovem em Florianópolis, todos os alunos amigos de meu filho. Há um ano atrás viajamos para um treino em Santos, onde ele de Bogu treinou durante 2h a 3h direto, com um intervalo pra água, eu me afastei dele nesse momento do treino, pois pensei que ele não conseguiria...mas conseguiu e foi transformador, para ele e para mim.

Desenvolvi mais confiança nele e em seguir nos treinos. Ele esta ficando forte!
Treinar juntos é um presente, é dar significado a todas as dificuldades que enfrentamos. Temos um sentimento unificador entre nós, que é reforçado durante os treinos e quando encontramos o Sensei e sua família. Sinto que para meu filho estar no Niten é algo natural, ele se sente feliz, as tristezas deixam o olhar e uma alegria e confiança interior crescem. Arigatougoimashita Sensei por trazer a nós essa nova oportunidade de crescer."






Relato Massaru, 9 anos, mais de 3 anos treinando firme no Niten:
Quando estou treinando e lutando com meu pai, parece que é pra valer...sinto que estou em um campo, bem grande, e lutamos somente nós dois. Isso é bom, porque a gente se entende pelo olhar, mesmo fora do Dojo, a gente consegue se entender melhor no dia a dia.

E quando estou na escola e preciso prestar a atenção, lembro dos treinos e consigo ficar focado no que preciso.

Eu sinto que o Niten fez a gente ficar mais ligado um no outro. Os treinos ajudam a ficar com o espirito acordado.



Tags: Familia,

Cuidando de Pérolas - Família Parachin

por Niten - blog - 06-jan-2017


Os irmãos Ivan e Basílio Parachin são braço direito do Sempai Joel desde os primórdios do Dojo em Buenos Aires.
As crianças deles nasceram, cresceram e seguiram treinando junto.
Fortalecendo a união da Família e do Niten na Argentina!




Leon, Ariel, Ivan, Basílio e Ciro



CIRO:

Konitiwa Yoroshiku Onegaishimassu
Entrenar con la familia me parece muy importante, después hay que llevar el entrenamiento a casa.
Entrenar en Niten me permite realizar una actividad en familia, con mi papa, mi tío y mis hermanos. Hacer otra actividad con toda la familia seria muy difícil.
Niten me enseña a tratar bien a los mayores y ser respetuoso.
Aprender del que mas sabe, saber reconocer cuando te equivocaste, decir ¡hai! en voz alta y hacer caso rápido cuando te llaman.
Aplicando todo esto me va mejor en la escuela y en la vida.
Lo que mas me gusta es practicar iaijutsu y hacer keiko con mis hermanos.
Estoy muy agradecido con mi papa por haberme metido en este camino y me pone muy contento hacerlo con mi familia.
Arigato Gozaimashita Sensei!
Sayounara Arigatou Gozaimashita!
Ciro Parachin, 12
Unidad Buenos Aires



Desenho de León, 8,  para Sensei.





IVAN:

Hai Sensei!
Konnichiwa yoroshiku onegaishimassu
Shitsureishimassu:
Hace doce años comencé a entrenar en Niten con, Ariel, mi hijo mayor, que tenía en esa época siete años.
Ya al realizar el Aula Experimental, me di cuenta que Niten no era una escuela más. Me di cuenta que el asunto era serio, que la “cosa iba en serio”… Salí de esa primer clase pensando “mi hijo y yo tenemos que entrenar aquí”… Inmediatamente me di cuenta que Niten, además de ser un lugar donde aprenderíamos un arte marcial milenario, sería el lugar donde transitaríamos un camino juntos. Y así fue. Mi hermano Basilio, también comenzó a entrenar y me ayudó muchísimo a sostener el entrenamiento de Ariel.
Con el tiempo se sumaron mis otros hijos, Ciro (hoy de 12 años) y León (de 8)… y no tengo mayor placer que ir a entrenar con ellos y verlos aprender todo lo que Niten nos ofrece… Sobre todo, la parte espiritual.
Porque soy testigo de que Niten ha transformado a mi hijo en un muchacho fuerte y seguro, con capacidad para liderar, con iniciativa y con voluntad. Y ahora estoy viendo cómo lo hace con sus hermanos menores.
Sin duda, Niten nos une. Somos una familia entrenando. Y sé que pronto se sumarán mis pequeñas sobrinas, hijas de mi hermano Basilio…
Niten es tema de conversación familiar, es parte de los planes familiares, es una rutina familiar, es un elemento siempre presente en la vida familiar pero, por sobre todo, ha sido un impulso positivo para todos, sobre todo, para los más chicos de la familia y eso es algo por lo que nunca terminaré de agradecer a mi Sensei.
Arigato gozaimashita!
Arigato gozaimashita!
Domomo arigato gozaimashita Sensei!
Sayonara arigato gozaimashita
Unidad Buenos Aires
Iván

--------------------------------------------------------------------------------------------------



ARIEL:


Konitiwa Yoroshiku Onegaishimassu
Hai Sensei!
Entrenar en Niten siempre ha reforzado nuestros lazos familiares. Desde luego entre aquellos que entrenamos, pero también, esa energía es contagiada a los familiares que no lo hacen, o no por ahora.
Durante las reuniones familiares siento que llevamos la responsabilidad de pertenecer a Niten. Estar atento a los demás y con todo lo que pueda ser necesario colaborar… es un peso no sufrido que dirige nuestras acciones y conductas por el mejor camino que conozco.
He notado que puntualmente después de usar el bogu y cruzar espadas nuestras expresiones cambian, tenemos una sonrisa en el rostro difícil de ocultar, volvemos a nuestras casas felices, con un espíritu más tranquilo.
Estoy muy agradecido con mi padre por haberme incorporado a este camino y de una manera sabia nunca haberme permitido desistir. Y con mi tío Basilio, que siempre me ha incentivado y ayudado en el camino de todas las maneras posibles. También quiero mencionar a Flavio Fontana a quien considero parte de mi familia y ha sido compañero de entrenamiento desde que comenzamos.
Me pone muy feliz ver a mis hermanos Ciro y León dando los mismos pasos que yo ya he transitado, pero viviéndolos a su manera. Espero que cada palabra de Sensei en los momentos de oro les quede grabada y les sirvan tanto como a mí me sirvieron, me sirven y lo seguirán haciendo
Arigato gozaimashita Senpai Joel! A quien siento como un hermano mayor que hace que la familia Niten Argentina siga creciendo.
Domo Arigato Gozaimashita Sensei!
Sayounara Arigato Gozaimashita
Ariel Parachin
Unidad Buenos Aires

--------------------------------------------------------------------------------------------------

BASÍLIO:

Konitiwa Yoroshiku Onegaishimassu Sensei
Onegayshimassu Sensei,
Me inscribí en Niten para hacer una actividad deportiva ya tiempo atrás hacia mucho ejercicio pero me encontraba en un momento muy sedentario ya que estaba todo el día sentado frente a una computadora trabajando... eso ya hace 12 años.
Desde el principio me gustaba la idea de además sea una actividad que compartiría en familia, pero nunca hubiera imaginado que al día de hoy seguiría practicando y que mi familia se involucrase tanto. Hoy soy feliz de que seamos 5 practicando pero aun mas feliz es que en nuestro futuro habrá muchos Parachines Niten (la familia crece rápido)
Tengo la gracia que nuestra familia (que no practica) respeta nuestra practica en Niten. Los cumpleaños o encuentros son movidos para otras fechas, no tenemos que explicar que en alguna fecha no estaremos ya que tenemos un evento de Niten, se nos desea suerte o éxitos cuando salimos para entrenar. En fin, saben que es parte de nuestras vidas.

En la vida nos educamos para sobrepasar los obstáculos y ser felices. Aprendemos de nuestros padres, nuestro entorno y de nuestras propias experiencias. Resulta difícil, así pues, prepararnos para obstáculos que no están en nuestro ámbito actual y por eso, si uno no tiene el don natural para superar algún obstáculo nuevo simplemente cae.

Niten me permite (nos permite) adquirir y practicar conductas y habilidades que es prácticamente imposible encontrar o practicar fuera; me permite extender mis limites y me muestra mis puntos a mejorar. Me ayuda a crecer como persona, como profesional, como hijo y como padre.

Fuera de Niten pasando cierta edad nadie mas se preocupa para que aprendamos, nadie mas te muestra los puntos flacos para que crezcas (salvo la familia).

Este crecimiento lo vivo en familia, veo crecer a mis sobrinos que ya adquieren habilidades que yo adquirí mucho tiempo después (o algunas que todavía sigo entrenando), veo a mi hermano, explicándoles cosas mas fácilmente ya entienden mejor a través de la practica y lo que es mas importante, los veo felices compartiendo en familia como lo estoy yo.

Será la receta con "amor y bushido" como una vez escuche decir a Sensei?

Ni bien mis hijas puedan iniciar las practicas estarán ahí en el dojo de Kimono y Hakama y por suerte verán caras conocidas y por suerte conocerán nuevas caras.


Domo arigatou gozamashita Sensei

Sayounara domo arigatou.
Basílio Parachin 


Tags: Familia,

Cuidando de Pérolas - Família Pontes

por Evandro Pontes - SP/São Paulo - 25-nov-2016




Depoimento da Cristiane Pontes (mãe)

"Konnbawa Sensei, Arigatou gozaimashitá pela oportunidade.
Tenho que confessar que, de início, quando meu marido falava sobre Kenjutsu, me mostrava o site do Niten, falava sobre o Sensei, eu pensava que não teria condições de participar de tal atividade, não tinha habilidade ou coordenação, não tinha força e, além do mais, não tinha energia e tempo para mais nada: trabalhava muito durante a semana, tinha que cuidar de duas crianças pequenas, de minha mãe, que acabara de ficar viúva, e administrar a casa. Mas, meu marido insistiu. Até que lançou um argumento que foi decisivo: vamos fazer uma atividade em comum, em família; vamos trilhar um caminho todos juntos desde o início. Sugeriu que fosse feita, ao menos, uma tentativa. Iríamos visitar o Dojo, observar e, quem sabe, experimentar...

Já se passaram três anos e agradeço por ter rompido as barreiras que nós mesmos criamos, por desconhecimento, insegurança, preconceito, falta de autoestima ou mesmo preguiça. Não é fácil sair da zona de conforto, mas é muito gratificante ficar fora dela.

Viver o Niten tem sido muito transformador, para cada um de nós, individualmente, e também para a família. Nossa família está muito unida e forte. Acredito que até criar os filhos ficou muito mais fácil. A atenção, os ensinamentos e a inesgotável (tomara) paciência do Sensei, o carinho e a dedicação dos Senpais e também o convívio com as outras crianças e jovens que compartilham o mesmo Caminho, nos ajudam, como pais, a desenvolver nossos filhos, com exemplos e experiências concretas, que não seriam possíveis em outros ambientes.

De início, acreditava que treinando junto com meus filhos, daria um bom exemplo. Mas, olhando com mais cuidado, percebi que, na verdade, quem nos dá o melhor exemplo são nossos filhos, com sua mente e espíritos abertos para aprender, para tentar, insistir e nunca desistir, sua inesgotável energia e alegria, sua leveza com “kiai”. E descobrir isso, é muito mágico.

Espero que este relato sirva de incentivo para que, especialmente, as mulheres aceitem o convite de seus maridos e seus filhos para trilharem o Caminho no NITEN juntos. Ao menos, experimentem.

E para os filhos e maridos, que querem verdadeiramente treinar em família, vai a dica: ajudem sua esposa ou mãe em casa com as atividades que ela faz enquanto vocês estão treinando, pois as mulheres Samurais não ficavam sozinhas cuidando da casa, elas iam junto para a Guerra. Acredito que isso também faz parte do treinamento em família.

Domo arigatou gozaimashitá por tudo, Sensei." 






Palavras da Fernanda (6 anos) colhido em uma série de bate-papos em família, sobre o NITEN...
Porque o NITEN é importante para mim e para a minha família?


Eu gosto muito do NITEN. Gosto muito de ir lá. O NITEN é importante porque a gente aprende muita coisa. É o lugar que eu mais gosto de brincar. Também adoro ir para o NITEN para desenhar. O Sensei disse que os samurais adoravam desenhar e eu adoro desenhar também. Gosto muito de ouvir o Sensei nos Momentos de Ouro com as outras crianças. É um lugar onde a minha família está junto com outras famílias e isso é muito legal! Eu adoro quando tem as festinhas e os passeios com essas outras famílias. E eu também gosto muito de viajar com as famílias do NITEN para brincar em lugar diferentes.”



O Eduardo, por sua vez, fez questão de fazer o depoimento dele de próprio punho, junto com um desenho dedicado ao Sensei.
Esse depoimento do Eduardo foi feito inteiramente por ele, sem a intervenção dos pais.
Trancou-se no quarto e saiu com essa carta, que revela muito do que ele tem no coração dele em relação ao NITEN.
Banzai!











Palavras de Evandro Pontes (Pai) 

"Nossa saga no NITEN começa muito antes de nosso ingresso no Dojo Vila Mariana. Na verdade, começou em 2008, quando nasceu o Eduardo.

Nesse tempo eu e Cristiane, já casados há tempos, tínhamos nossas atividades físicas separadas. Embora frequentássemos os mesmos clubes e academias, quase nunca fazíamos as atividades juntos: cada um administrava suas próprias atividades, conciliando os interesses e horários.

Meu envolvimento com artes marciais vem de longe e minha paixão pela Cultura Japonesa veio sendo compartilhada paulatinamente pela namorada e depois esposa.

Mas quando recebemos de Deus a responsabilidade de cuidar do Eduardo e, dois anos depois, em 2010, da Fernanda, concluímos que as atividades precisariam se consolidar em um Caminho Único para toda a família.

Depois de vagar por muitos dojos e alguns “amontoados de tatames” (que pretensiosamente se autointitulavam “Dojo” disso ou “Dojo” daquilo), intensificamos as pesquisas e descobrimos o NITEN na virada de 2012 e 2013. Pedi para a Cristiane ler atentamente o site e as informações. E antes de nossa primeira visita, estudamos o site, a biografia surpreendente do Sensei e após assistir alguns treinos no Templo Nykkioji na Vila Mariana em meados de 2013, decidimos experimentar uma aula inaugural.

Minha estratégia foi entrar por último. Cristiane e Eduardo fariam a aula inaugural primeiro e uma vez no Caminho, eu seguiria depois. Do meu lado, eu tinha a certeza de que a escolha tinha sido correta, mas necessitávamos de plena adaptação da Cristiane (que tinha tido experiências muito superficiais com artes marciais) e do Eduardo (que apenas tinha experimentado judô escolar de qualidade muito duvidosa e um judô de academia de excelente qualidade). Tínhamos combinado que trilharíamos todos juntos o Caminho e a decisão teria que ser unânime, para não repetirmos as experiências negativas de antes. O problema com o Judô é que não servia à Cristiane e, ao mesmo tempo, me colocava numa condição muito diferente em relação aos meus filhos. Como tinha sido um competidor nos idos das Décadas de 1980/1990, as academias, por melhores que fossem, insistiam em me colocar num caminho (aqui, com letra minúscula mesmo) de torneios semanais e isso estava me separando do Eduardo, ainda que estivéssemos frequentando o mesmo espaço físico.


Precisávamos de algo onde todos nós seríamos iguais e partilharíamos um Caminho verdadeiro e, todos, lado a lado.

Naquela manhã fria no Ibirapuera, em que o NITEN escolheu para celebrar seus 20 anos de existência, Cristiane fez sua aula inaugural com Senpai Drawin enquanto o Eduardo foi recebido pelo Senpai Costa. A paixão pela arte da espada foi instantânea!
Na semana seguinte, ambos matriculados, fiz minha aula inaugural com Senpai Hori e desde esse momento, partilhamos lado a lado um mesmo Caminho. O Caminho é o mesmo para todos, mas guarda ainda a individualidade e a percepção de cada um no convívio que temos com o Sensei e com os Senpais e que tem sido, desde então, o nosso principal alimento para a alma.

Não tem sido um Caminho fácil, pois na medida em que evoluímos, nossos defeitos vão ficando mais evidentes, mas o fato de estarmos nessa jornada juntos, apenas melhora a nossa capacidade de superação e, no lado positivo, amplifica bastante as virtudes: Momentos de Ouro que são capturados por oito ouvidos, posso comprovar, são muito mais eficazes do que quando são captados por apenas dois. E esse é o hidensho que compartilho: falar sobre virtudes em casa, sobre Momentos de Ouro e compartilhar essas experiências (tanto as “vitórias” quanto os “sapinhos”), criaram em nossa casa uma energia diferente. Nossa casa e nossa vida em família tem uma energia diferente graças ao NITEN e ao Sensei.

Shin Hagakure, Gashukus, Momentos de Ouro, Momentos de Diamante, Shugyos, Bonnekais, Viagens, eventos do KIR Jovem e, logicamente, os treinos: essas coisas fazem parte da nossa vida tanto quanto as palavras “pão”, “arroz”, “feijão” e “água”. Encontramos no NITEN um verdadeiro TEMPLO PARA A FAMÍLIA que reverbera em nossa casa as virtudes que cultivamos e que queremos que nossos filhos cultivem no futuro para nossos netos, depois para os netos deles e assim por diante. Justiça, Coragem, Benevolência, Sinceridade, Honra, Lealdade – não apenas no Dojo, mas principalmente e sobretudo em Casa, no Trabalho e na Escola, um zelando pelo outro, um cuidando do outro e todos cuidando da família ao mesmo tempo.

E por fim, se alguém acha que conhece bem a própria esposa, o próprio marido ou os seus filhos ou pais, lançamos um desafio: cruze espadas em um keiko, em um shiai e descubra o que essa pessoa (que você acha que conhece) tem a lhe revelar em cada men, em cada kotê, em cada dô, em cada tsuki, em cada Sassen, em cada kaishidô, em cada saque de kataná seguido de um corte num kata de Suio Ryu Iai...


Anne Frank, uma menina que enfrentou a guerra, chegou a escrever em seu diário: “Você só conhecerá de fato uma pessoa depois que lutar com ela: conhecerá verdadeiramente o seu caráter e personalidade”. Se você pretende saber o significado dessa frase além das letras frias do papel, coloque o bogu em sua família toda, empunhe sua katana ou seu jo e.... venha para a “guerra” treinar conosco – em Família!!!
Okage Samadeshitá... "


Tags: Familia,

Bushido em Família

por Café com o Sensei - blog - 21-nov-2016




Seguir o Bushido em família é um modo de vida louvável.

Muitos se enganam ao pensar que seguir o Bushido é treinar e correr atrás de medalhas e títulos. Está muito longe disso.

Seguir o Bushido é colocar em prática a antiga sabedoria no Dojo e em casa, algo muito raro e cada vez mais difícil hoje em dia.

Para tanto, é preciso um mestre do Bushido que oriente, endireite, e se preciso bata, como os monges zen, na esperança de elevar a alma do discípulo.

O verdadeiro mestre do Bushido é aquele que, mesmo comprando a antipatia de seu discípulo, insistirá em colocá-lo no Caminho da Verdade.

Uma família que tem um mestre assim, estará mais perto de um modo de vida louvável e feliz.



Tartarugas sobre toco de arvore no Rio Riachuelo em Buenos Aires 

Tags: Familia,

Pequenos Samurais - Família Miyamoto

por Niten - blog - 04-nov-2016



KIR JOVEM Pequenos Samurais
Marcia Miyamoto treina Kenjutsu com seu filho no Instituto Niten,
acompanhe um depoimento sobre união,
amor e comprometimento de sua família nos treinos do Niten.

Tags: Familia,
comentários   1 de 1

Cristiane Barbosa - Campo Grande MSShitsurei shimassu,

Minha eterna reverencia e gratidão, ao Niten e ao Sensei Kishikawa, por compartilhar as experiencias familiares dos companheiros de Dojo. Nossa família aqui em MS, também segue o Bushido, juntos, do Dojo para casa e de casa para o D (Continua)

Cuidando de Pérolas - Família Yamauti

por Niten - blog - 03-nov-2016





"22 de outubro de 2016. Encontro-me em mais um Torneio de Kobudo em meio a combates, porém desta vez há uma sensação diferente: vim acompanhado de meu filho, Katsuo, que disputará pela primeira vez. Meu foco não está apenas em me concentrar nos combates e nas tarefas a realizar, mas também me concentro em fazer com que a experiência do Torneio seja boa para ele.

Refletindo ao escrever este relato lembro-me que ao iniciar no Caminho do Guerreiro busquei adquirir valores que me ajudaram a sanar deficiências em minha formação pessoal. A ausência destes valores me fez falta em muitas situações antes de ter iniciado meu treinamento e me impediu de aproveitar inúmeras oportunidades.

Hoje em dia posso trilhar o Caminho junto a meu filho, o que me permite compartilhar estes valores que adquiri, minha vivência e experiência, garantindo que ele terá a possibilidade de reconhecer e aproveitar melhor as oportunidades da vida. Também me permite que eu conviva e passe de forma prazerosa meu tempo ao lado dele.

Otsukare sama deshitá Sensei, por permitir que eu possa compartilhar meu Caminho junto ao meu filho.

Arigatou gozaimashitá!
Sayounará." 

Édio  - Unidade Salvador







"Niten: Lar.
No ultimo dia 22 de outubro, eu tive a oportunidade de ir a mais um torneio do Instituto Niten. Não sei se acontece com todos, mas em mim, sempre bate aquela tristeza quando tudo termina. É como deixar minha casa.

Neste último torneio, em que tive o prazer de ver meu filho competir, percebi que o Niten para minha família é mais que um dojo: é como nosso lar.

Lar é o lugar em que a gente se sente bem em deixar, mas se sente ainda melhor ao voltar. E em tempos em que quase ninguém se olha nos olhos, receber a alegria das pessoas apenas pela sua presença é motivo de gratidão e felicidade.

Há uma força quando cada pessoa sabe o que o lar representa - quando sente que ele verdadeiramente tem valor além de ser apenas estabelecido legalmente como tal. O lar equipa cada membro da família com um parâmetro que permite medir suas ações e crenças. É um lugar onde se aprende sobre si mesmo, não importa quantas viagens tenha empreendido com esse fim. É onde o valor do trabalho é ensinado e cada um faz a sua parte para mantê-lo funcionando. É nele que adquirimos a base de sustentação para nossas vidas.

Aos companheiros de caminho, saibam que todas as vezes que vocês nos acolhem, ouvimos em nossos corações apenas uma palavra: tadaima!

Domo arigato gozaimashita! "

Ariadne  - Unidade Salvador







"Para mim foi bom ter ido ao Torneio, pois nunca tinha visto tantas crianças juntas e que tinham muito em comum. Lá os adultos me respeitavam muito e mesmo sendo criança, me tratavam como um samurai.

Mas o que eu mais gostei foi de fazer novos amigos e reencontrar antigos, então com certeza vou voltar lá."

Katsuo - Unidade Salvador 

Tags: Familia,

Niten: Paz em Família (Família Matsuda)

por Niten - blog - 01-jul-2016



"O Gashuku do Kokushikan vai ficar para sempre na minha memória, muitos marcos importantes da minha vida aconteceram nesse evento. Primeiro, meus dois filhos foram conosco, pela primeira vez, a um evento no Niten fora de Caxias do Sul. O Sensei nos disse várias vezes pra levá-los, e várias vezes nós planejamos isso, mas uma doença de última hora ou uma eventualidade financeira por várias vezes nos fizeram mudar os planos.







Fiquei imensamente grata e feliz em poder ter os pequenos lá, sempre tive preocupação de que eles não se adaptassem, atrapalhassem o treino dos demais participantes. O que aconteceu foi justamente o contrário, eles se entrosaram, se empolgaram com o Niten, gritaram, pularam, bateram men men men junto com o Gashuku,




(...)








Continua (post completo)

Tags: Familia,

Kimono Niten (Família Delfino)

por Niten - SP/São Paulo - 14-nov-2015



As impressões de um casal que veste o Kimono Niten. No Dojo, fora dele, e com novidades chegando.



Edição e Captação: Renato Kendi Yoriyasu

Tags: Familia,

Pequena samurai

por Café com o Sensei - 24-nov-2014

Recebi mensagem hoje sobre o nascimento de uma samurai do Niten.
Mais do que me alegrar pelo noticia de seu nascimento, foi a de ver a atitude de seu pai em relação ao Caminho. Em relação a Vida.
Enquanto que possivelmente a maioria relaxaria o nó do guerreiro, como é comum em casos como este, ele, ao contrário, amarrou o seu elmo para vir a guerra.
Pois ele sabe que a "guerra" da qual falo, não é a do Niten. É a dele próprio.
Este sabe que, a partir de hoje, não terá sossego por 50 anos...



"Ohayou gozaimasu Sensei,

Muito mais que uma forma de lazer, o Niten é um grande construtor de caráter e virtudes. Diferente de outros “esportes”, a filosofia aprendida durante os treinos, se extrapolada para o nosso dia a dia, tem o poder de desbloquear o potencial humano.

Observando os alunos do KIR Jovem e convivendo um pouco com os filhos do Sensei, percebi isso nitidamente. São crianças diferentes com muita energia, alegria, são prestativas e sinceras.

Nesse mês de novembro nasceu a Olivia, que irá aprender todas os valores e virtudes para se tornar uma pequena samurai do Niten.

Eu não iria para o Gashuku, mas suas palavras me fizeram refletir sobre o que é ser um samurai moderno.

Estarei aí!
Arigato gozaimashita."
- Dangelo (Unidade Curitiba) 



Olivia segurando a katana

Tags: Familia,

Kir Jovem - Treino para Crianças

por Niten - blog - 04-jun-2014




O KIR Jovem é a modalidade do Niten para crianças até 12 anos.

Temos treinos para as crianças disponíveis em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Salvador, Porto Alegre, Florianópolis e Buenos Aires.

"O Objetivo do KIR JOVEM é incentivar as crianças a serem confiantes, alegres e transparentes. Não é só disciplina. É ter crianças integradas, felizes e ativas" Sensei Jorge Kishikawa


Ficha Técnica:
Captação: Renato Kendi
Edição: Renato Kendi

Tags: Familia,


Tag  familia        Retornar para últimas postagens


topo

(+55 11) 5539-3587 seg-sex 9h-8h
(+55 11) 99734-6497 seg-dom 9h-22h