Ir para o Conteúdo
imgcentral

Reflexões sobre Momentos de Ouro


Simonassi

Ohayou gozaimassu, yoroshiku onegai shimassu sensei.

Os momentos de ouro que tivemos com o sensei no último sábado na unidade Faria Lima, foram cheios de significados e estou certo de que algumas delas eu ainda não assimilei.
Mas abaixo envio um texto com algumas coisas que refleti sobre a mensagem.

Ao final do treino o Sensei nos falou sobre o Kantannoho.

Começou a falar sobre as trilhas que nos desviam do caminho e que todos nós temos internament os elementos que nos levam a elas.

É comum vermos isso acontecer, não somente no Caminho da espada, como em qualquer outro. Lembrei neste momento de vezes em que me vi indeciso diante de uma "encruzilhada" sem saber que rumo tomar. Lembrei de amigos de infância que tive e que hoje passam por dificuldades, se sentem arrependidos por não terem levado mais a sério coisas como o estudo, tomando decisões movidos pela imaturidade, sem ouvir os conselhos de seus pais.

Fosse por teimosia, orgulho, imprudência, ou qualquer outra razão, a semente deste processo, o início de tudo, o sensei revelou para mim quando nos mostrou os ideogramas que traziam: Esquecer seus Deveres.

Ficou muito claro naquele momento, que esse é o primeiro passo rumo às armadilhas. Temos deveres para com nossos pais, mestres e para com a sociedade. Muitos problemas poderiam ser evitados se as pessoas mantivessem sempre em mente essa verdade.

Quando esquecemos de nós mesmos, procuramos imitar outras pessoas que achamos mais interessantes, ou melhores que nós. É literalmente imitação. Não tem conteúdo pois não tem nada a ver com as qualidades da pessoa imitada, sendo apenas exterior, na forma de falar ou de agir.

O sensei chamou a atenção para que tenhamos uma individualidade. Não é errado ter alguém como modelo a seguir, mas precisa saber que você é você, ele é ele. Podemos caminhar juntos mas cada um no seu próprio passo, fazendo suas próprias descobertas.

"Na província de kan-tan, na China, as pessoas tinham a fama de serem elegantes. Por esse motivo pessoas de outras províncias vinham a Kan-tan, para tentar aprender como serem também elegantes. Mas o resultado mais comum era o visitante piorar. Não era mais ele mesmo, nem era igual ao povo de Kan-tan. Situaçoes bizarras podem surgir quando tentamos ser algo que não somos".

O sensei prosseguiu dizendo que devemos ter nosso kamae, nosso kiai. Deve ser SEU, mas não pode ir contra a lógica da espada. A lógica é vencer e não perder a vida.

De tudo isso o que ficou mais claro para mim é o quanto somos privilegiados em ter alguém para nos abrir os olhos, desta maneira como o sensei faz.

Não significa que seremos imunes aos erros, eles podem acontecer. A diferença é ter coragem para admitir os erros e correr de volta para o Caminho, deixando as armadilhas para trás e seguindo adiante.

Sei hoje que se me deparar com alguma "encruzilhada" lembrarei firmemente dos meus deveres e assim terei uma chance muito maior de escolher a direção certa.

Domo arigatô sensei, por ser nosso guia e um modelo para todos nós.
Sayounará
Simonassi-Vix


topo

Instituto Niten Vitória
(27) 99846-0106
vitoria@niten.org.br