Ir para o Conteúdo
imgcentral
Thaíde e seus companheiros de Shugyo, da esquerda para a direita: Meloni (SP), Costa (RJ),Fugita (SP), Wenzel, Thaíde, Fujimura (SP/Florianópolis), Vaz (RJ) e Gilberto (SP) - Agosto 2011

Shugyo

Treinamento espiritual e físico intensivo para alunos graduados


Fortalecer o corpo e o espírito por meio de um treinamento severo, intenso e desafiador: esse é o Shugyo!
Reservar um tempo para conhecer suas limitações, físicas e emocionais, e se colocar à prova para forjar a espada da alma para as batalhas do cotidiano.

Muito tradicional nas diversas artes japonesas, o Shugyo sempre foi para o guerreiro, o Samurai, um Caminho para a compreensão profunda do que significa lapidar a alma por meio do Bushido. Uma rotina austera de treinamento, meditação, trabalhos manuais e abnegada disposição para servir, constituem alguns dos elementos que podem esclarecer a mente do guerreiro sobre os valores e princípios essenciais para uma vida plena e feliz.

No Instituto Niten, frequentemente, alunos, monitores e coordenadores de todo o Brasil e América Latina desembarcam em São Paulo para períodos de treinamento intensivo com o Sensei Jorge Kishikawa e os veteranos da sede do Instituto. São momentos de grande impacto existencial, momentos de combate, reflexão, visita aos limites físicos e emocionais, momentos de aprendizado com o Mestre.

Deixar de lado a mente, o ego, para dar lugar ao coração, ao sentimento puro, são alguns dos objetivos do treinamento Shugyo. Uma imersão completa no Caminho do Guerreiro, atestam os Samurais do Instituto Niten, é uma limpeza profunda do espírito, renovando a energia desses guerreiros para a difícil batalha da vida.

São aceitos no Instituto Niten para fazer Shugyo alunos que já tenham graduações a partir 5° Kyu (terceira faixa que equivale a pelo menos 2 anos de treino aplicado). Alunos mais veteranos chegam a fazer Shugyos com frequência, buscando, a cada nova experiência de treinamento intensivo, o aprofundamento na compreensão do Caminho da espada.

Os perfis dos discípulos que vêm treinar com o Sensei Jorge Kishikawa são variados, desde jovens até os mais vividos, homens e mulheres. Os desafios de cada um portanto também variam, de forma que sejam para todos difíceis, intensos, porém transponíveis, pois foco do Shugyo é proporcionar àqueles que têm o coração aberto a oportunidade de descobrir novos limites e horizontes, e crescer para dentro de uma existência ampliada através da experiência do treinamento profundo: trazer os benefícios da Espada que dá a Vida, em abundância.

Cada Shugyo, por isso, é uma experiência de vida única, memorável, inesquecível. Ao final de cada Shugyo, o Guerreiro Samurai pode fixar os olhos, do alto da montanha, a todo o fardo inútil que o cotidiano acumula em nossas costas. Espírito renovado, limpo e cristalino, eles estão prontos para voltar aos compromissos do dia a dia com a espada do espírito afiada, atenção plena, e coração treinado para continuar no Caminho com decisão e força!


Shugyos no Niten



Diário de um Shugyo

por Carlo Corvello - RS/Porto Alegre - 01-mar-2008

Os primeiros dias de um shugyo.

Comecei a fazer este shugyo no dia três de janeiro. Na noite anterior ao fatídico dia, assisti ao filme "Tropa de Elite", que narra o dia a dia de policiais das forças especiais cariocas, em especial, o treinamento deles. Não consegui dormir naquela noite; na primeira noite de shugyo; e nem na segunda, cada vez que caía no sono acordava dando um men ( um soco no teto ou na parede, na verdade).

Porém, apesar da insônia, assim como o número cada vez menor de aspirantes que seguiam no curso ao longo do filme, pareço estar cada vez mais adaptado, menos cansado e mais disposto, e tudo isso sem ter que tomar tiro de bandido, nem comer no chão. Agora minha atenção está dirigida em não ser o 01 (o primeiro a pedir pra sair!?) e ficar firme até o final.


"Ou você se omite;
ou se corrompe;
ou então vai pra guerra!"

Capitão Nascimento personagem interpretado por Wagner Moura em
Tropa de Elite.


Naginata: foco na estratégia


Na charutada da última sexta-feira o Sensei divulgou uma notícia bombástica: ele irá colocar bogu e lutar em todos os treinos de kenjutsu em que for este ano. Dito e feito: sábado, lá estava o Sensei de bogu e naginata. Volta e meia o Sensei ia perseguindo sua víti... isto é oponente pelo dojo. Alguns praticamente percorriam a quadra de fora a fora de costas, o Sensei não recuava um milímetro, outros, menos afortunados, eram imediatamente encurralados contra uma parede. Eu fui o último a lutar, minha tachi contra a naginata do Sensei. Se chegar perto do Sensei vale-se ippon, acho que eu teria conseguido um yuko. O imenso maai da naginata parecia impenetrável para a espada.

Segunda-feira lutei com o Sensei de novo. Se dizem que não se deve cutucar onça com vara curta, o mesmo deve valer para a luta. Sendo assim, mudei minha estratégia: agora seria naginata contra naginata. O resultado? Não diria que adiantou muita coisa contra o Sensei. Continuei apanhando, e bastante! Mas pelo menos a recompensa é grande: estou aprendendo a usar a naginata diretamente com o Sensei.

Arigatô gozaimashita Sensei!


Tags: Shugyo, Relatos,


Retornar para últimas postagens


    topo

    (+55 11) 5539-3587 seg-sex 9h-18h
    (+55 11) 99734-6497 seg-dom 9h-22h