Ir para o Conteúdo
imgcentral

Treinamento Intensivo no Templo Nikkyoji

Dias 22 e 23 de Agosto de 2015 - No Templo Nikkyoji - São Paulo


Café com Sensei de 17-09-2015



É certo que o Caminho é longo.
Mas só há uma forma de encurtá-lo: exercitar com muita intensidade - até ralar a pele, moer os musculos e triturar os ossos.
Normalmente, pela vida atribulada que temos no dia a dia, deixamos para fazer o ¨com intensidade¨ e ficamos no saldo negativo.
O Gashuku serve para saldar o que cada um deve para não ficar devendo no Caminho.



"Este fin de semana pudimos viajar desde Buenos Aires una comitiva de alumnos para para asistir al Gashuku en el Templo Nikkyoji.
Fueron 2 días de entrenamiento sin tregua que me llevaron al límite de mis fuerzas. Esto, explicado luego por Sensei, es que nunca sabemos cuándo podemos llegar a necesitar de esta energía y para ello hay que entrenar."
- San Giorgio (Unidade Buenos Aires)


"Me considero uma pessoa de sorte por poder participar de um Gashuku de Kenjutsu combate com apenas dois meses de treino. Quando ingressei no Caminho e escutava os mais antigos falarem sobre os gashukus que haviam participado, não fazia ideia de como seria participar de um. Achava que isso era coisa de quem já era mais graduado e que não seria bem visto um zero kyu se "aventurar" num treinamento desse nível. Com o tempo e conversando com os Senpais (veteranos), vi que, muito pelo contrário, era bastante recomendável um iniciante participar de um gashuku pois valeria por "meses" de treinos regulares e seria uma ótima oportunidade de evoluir. Quando recebi o email do Niten informando sobre a realização do evento, não pensei duas vezes, comprei as passagens para São Paulo e na próxima aula me inscrevi para o gashuku. Confesso que fiquei um pouco ansioso, imaginando o que encontraria por lá e como seria conhecer pessoalmente o Sensei. Essa ansiedade passou no momento que vi o dojo , que por si só já passa uma grande tranquilidade, e também pela amigável recepção dos Senpais vindos de todos os cantos do Brasil e até da América do Sul. Iniciado o treinamento, já me senti bem confortável e pude desfrutar de várias horas de combate com os colegas, verificando impressionado ao final do dia, o quanto consegui melhorar minhas técnicas de combate. Lutar contra adversários mais altos, mais baixos, mais habilidosos ou menos habilidosos, contra duas espadas ou contra uma, tudo isso proporciona um desenvolvimento espantoso de nossas técnicas que não conseguimos ter num treino regular." - Matta (Unidade Ponta Grossa)


"O gashuku deste final de semana mudou meus parâmetros sobre exaustão. Eu nunca tinha passado por um treino tão intenso e prolongado usando bogu. Ainda estou refletindo as experiências do gashuku e absorvendo as mudanças, mas posso garantir que a convivência nesse final de semana me preparou melhor para os próximos eventos e os treinos em Juiz de Fora." - Calzolari (Unidade Juiz de Fora)


topo

(+55 11) 5539-3587 seg-sex 9h-8h
(+55 11) 99734-6497 seg-dom 9h-22h