Ir para o Conteúdo
imgcentral

Café com o Sensei

Pensamentos e comentários do Sensei


Últimas postagens:

01-jul-2016

Niten: Paz em Família



"O Gashuku do Kokushikan vai ficar para sempre na minha memória, muitos marcos importantes da minha vida aconteceram nesse evento. Primeiro, meus dois filhos foram conosco, pela primeira vez, a um evento no Niten fora de Caxias do Sul. O Sensei nos disse várias vezes pra levá-los, e várias vezes nós planejamos isso, mas uma doença de última hora ou uma eventualidade financeira por várias vezes nos fizeram mudar os planos.







Fiquei imensamente grata e feliz em poder ter os pequenos lá, sempre tive preocupação de que eles não se adaptassem, atrapalhassem o treino dos demais participantes. O que aconteceu foi justamente o contrário, eles se entrosaram, se empolgaram com o Niten, gritaram, pularam, bateram men men men junto com o Gashuku,







foi muito emocionante para mim ver isso, em especial porque quero muito que eles cresçam dentro do Niten, com as orientações do Sensei no Caminho.







Fiquei imensamente grata a todos os irmãos de espada que tão gentilmente ajudaram a facilitar a estada de duas crianças de 3 e 5 anos, as pessoas que cuidaram deles enquanto eu e meu marido treinamos, as que cederam beliches perto da parede pra que eles não caíssem da cama, que não se abalaram quando minha filha menor chorou durante a noite ou porque tossiu bastante. Tinha receio que eles pudessem atrapalhar as pessoas, mas em momento algum qualquer um deixou de demonstrar sua gentileza e compaixão, sua presteza, todos ajudaram muito e sou imensamente grata.







Sou imensamente grata ao Sensei, que não deixou de me dizer tantas vezes pra levar as crianças, se não tivesse feito isso certamente eu teria demorado muito mais pra levar. O Sensei sempre disse: leve eles para o treino, pra ver, se acostumarem com os kiais. E como eles gostaram, foi muito tocante no final do Gashuku meu filho mais velho pedindo um kimono e um hakama, uma espada e dizendo que iria treinar conosco. Arigatou gozaimashita, Sensei!











Outra coisa que foi muito importante para mim durante esse Gashuku foi superar meus limites pessoais. No sábado acabei machucando meu pé, na hora não senti muito, estava com muita adrenalina e muita vontade de lutar, então segui com o treino dando tudo de mim, mas durante a noite o dedo machucado começou a incomodar. Houve muitos momentos na minha vida em que uma dor, por mais que suportável, serviu de muleta para que eu me escorasse e deixasse de fazer uma atividade, fosse por medo de a dor piorar, fosse por autocomiseração.







No domingo, tivemos Suyo Ryu e eu queria muito treinar mesmo com o machucado no pé (que depois descobrimos era uma pequena fratura no último osso do dedo), mas por ter conhecido o Caminho vi que a dor era suportável, e já havia sido feito uma tala. Se não fosse o Caminho, eu teria me deixado derrotar na primeira dificuldade, no primeiro percalço, mas segui treinando forte, porque a vontade de estar ali era maior. Consegui fazer o que eu acho que foi o melhor treino de Suio Ryu da minha vida, o mais focado, o que eu mais aprendi desde que comecei a treinar Iaijutsu. Depois segui no Kenjutsu, consegui fazer o treino do dia todo e só fui lembrar-me do machucado no pé quando o evento já estava acabando, quando o Sempai Wenzel puxou os pulos no final!


Eu sei que temos que ser comedidos, tomar cuidado quando nos machucamos, mas essa foi uma vitória muito importante para mim. Principalmente porque no momento que estou na minha vida, tenho altos e baixos, e nesses baixos eu costumo questionar a minha serventia, eu me critico e me considero fraca, inútil, e saí desse Gashuku me sentindo o exato oposto, me sentindo uma verdadeira guerreira, uma pessoa forte que pode superar seus limites.







Tenho um enorme sentimento de gratidão, Sensei, que não consigo colocar em palavras. Penso que há muito tempo eu não me sinto tão em paz comigo mesma como após esse Gashuku. Arigatou gozaimashita, Sensei!"
Juliana Matsuda (Un. Caxias do Sul)









30-jun-2016

14°TBIK - Hyoho Niten Ichi Ryu Kenjutsu Mojigamae




Mojigamae - 4ª sequencia de Katas do Niten Ichi Ryu com Kodachi (Espada Curta)

29-jun-2016

Em Sakurá 2




- "A 'martelada' do Sensei endireita a nossa espada" - Furtado (Un. Brasília)



- "Nos seios de uma família, cujos valores são o respeito e o zelo" - Coelho (Un. Belo Horizonte)



- "Inspira-me a querer mais" -Erick (Un. Santos)



- "Oferecer o Caminho aos que precisam" - Petersen (Un. Porto Alegre)




- "O Sensei mantém-nos atentos" - Malaquias (Un. Vila Mariana)



- "Elemento que o Sensei insistiu neste convívio: observação" - Rohwedder (Un. Campinas)



- "A curva de treinamento do Sensei faz recondicionar o nosso corpo pois a idade chega para todos" - Cortes (Un. Rio de Janeiro)



- "Transportados a épocas longínquas de sakura e olhar do mestre" - Danilo (Un. Campinas)



- "Aperto no espirito" - Kuhn (Un. Brasilia)



- "Confidência do Sensei: Desta vez, os objetivos foram nobres!!" - Kate (Un. Sorocaba)



- "Retribuir o mínimo ao Sensei" - Padilha (Un. Caxias do Sul)



- "O melhor de tocar na orquestra com a regência do Sensei" - Otávio (Un. Brasilia)




- "Sentir o foco e energia de todos voltado para um só objetivo"  - 
Gabriela (Un. Belo Horizonte)




- "Um Gashuko para superar os limites"
- Malaquias (Un. Vila Mariana)




- "A energia do coletivo foi essencial"
- Cavalcante (Un. Sumaré)



- "Lotado!" - Samuel (Un. Vitoria)




- "Que o tambor do Sensei ecoe para sempre em nosso corações" - Gabi (Un. Belo Horizonte)



- "Levei muito dever de casa" - Sionek (Un. Curitiba)

27-jun-2016

Niten no revezamento da Tocha Olímpica







Veterano de Kenjutsu, arte da espada inspirada nas técnicas de luta dos samurais, conduz a Tocha Olímpica Rio 2016 em Campo Grande




Wenzel Böhm conduz a Tocha Olímpica em Campo Grande

Divulgação/Cobertura Oficial do
Revezamento da Tocha Olímpica
Campo Grande – Duas tradições milenares unidas pelas mãos de um condutor. Nascido na Áustria e criado no Brasil, Wenzel Böhm é Sempai (veterano) de Kenjutsu, arte da espada inspirada nas técnicas de luta dos samurais que protegeram o Japão por anos. Foi ele, convidado pela Nissan, o responsável por levar a chama olímpica pelas ruas de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, neste sábado.

"A Nissan é uma empresa japonesa e fiquei muito honrado de poder representar a filosofia Kenjutsu no Revezamento da Tocha Olímpica Rio 2016. Eu me sinto pequeno diante de tantas histórias que são contadas nesse trajeto, mas é um reconhecimento muito importante. Quando as coisas têm tanta tradição assim, elas carregam muita energia".

Durante o percurso, uma prova da admiração que Wenzel carrega pelo Brasil: alguns de seus alunos, vestidos com o "hakama", calça usada nas lutas, acompanharam cada passo do "Sempai", tirando muitas fotos. Braço direito de Jorge Kishikawa, precursor do Kenjutsu no Brasil e fundador do Instituto Niten, Wenzel começou a treinar há 20 anos e em pouco tempo já se tornou professor, passando a viajar por todo país difundindo a filosofia japonesa.

"A Tocha Olímpica carrega vários valores que nós também acreditamos e trabalhamos muito, como coragem, energia, vontade de ir além. Se você vê um samurai, você enxerga nele uma energia, uma entrega diferente, ele vive intensamente. Vejo que com os condutores da tocha olímpica também tem muito disso".

Hoje o Instituto Cultural Niten está em 16 estados, em todas as regiões do Brasil, e também na Argentina, Chile, Uruguai e México.

(Matéria publicada no Site da Nissan)












Veja a Matéria dos selecionados para levar a Tocha Olímpica

24-jun-2016

Em Sakurá 1






- "Niten: onde as coisas feias se transformam em Sakurá" - Marília (Un. Vila Mariana)




- "Simplicidade espartana e gratidão por me levar aos portões do Niten" - Barreto (Un. Ana Rosa)




- "Coincidência ou destino, veio o Café com Sensei para me levar ao Gashuku e superar a perda de minha avó" - Shindi (Un. Curitiba)




- "Sem desvios ou delongas" - Calzolari (Un. Juiz de Fora)




- "O conhecimento que não é falado" - Ataide (Un. Curitiba)




- "Avaliações preciosas próximo ao Sensei"  - Durval (Un. Juiz de Fora)




- "A capacidade do Sensei em organizar varias tropas é impressionante" - Helano (Un. Fortaleza)




- "O que não se aprende com palavras: Mágico" - Pontes (Un. Itaim)




- "Legal foi lutar de duas espadas e pegar gafanhotos na mão com o Hiro e a Haifa" - Eduardo (Un. Vila Mariana)




- "Um intensivo do 1º e 2º voto" - Holschuh (Un. Americana)




- "Fazer a coisa do jeito certo!" - Vermaas (Un. Campinas)




- "Mudança de rumos" - Mara Núbia (Un. Porto Alegre)




- "Mais do que superar o cansaço, superar as dores" - Bergamini (Un. Botucatu)




- "Ou corto ou não corto" - Huarte (Un. Buenos Aires)




- "Rompi uma casca e renovei o meu espirito" - Bento (Un. Florianopolis)




- "Sensei disse: repetindo o certo é o que faz a diferença" - Gabrielle (Un. Caxias do Sul)




- "Nesta existência, encontrei um Mestre com uma energia sem igual!" - Mendes (Un. Caxias do Sul)

23-jun-2016

60º Prêmio Paulista 2




Placa de Homenagem recebida por Sempai Basílio



Matéria Publicada no Jornal Nippak de hoje:





Leia a matéria completa


22-jun-2016

14°TBIK - Hyoho Niten Ichi Ryu Kenjutsu Uke Nagashi



Uke Nagashi - 3ª sequencia de Katas do Niten Ichi Ryu com Kodachi (espada Curta)

20-jun-2016

O Corte Perfeito

17-jun-2016

60º Prêmio Paulista 1

Palavras de Basílio no Jantar em comemoração à premiação:

"​É um orgulho para mim receber o Prêmio Paulista​

... Sensei hoje perguntou o que eu me recordava de quando eu iniciei [a treinar no Niten].
​Me lembro de quando iniciei e cheguei, Sensei logo falou que como ​eu ​vi​nha de longe [da Argentina para o Brasil] não tinha tempo a perder, e que deveríamos começar a treinar agora mesmo!
​Pode ser talvez uma frase que Sensei diga sempre, mas.. para mim ficou. Foi forte!

...e um tempo atrás contei esta anedota a outros companheiros na Argentina
e eles disseram notar que realmente eu nunca perdia tempo.
Nunca desde que comecei a treinar, nunca senti que fazendo tivesse a impressão de estar perdendo tempo.

..e ontem voltei a escutar o video da nossa colega que está no Site do Niten , e a forma como termina muito me emociona.
Quando termina ela diz: "ser forte para os outros",
"um samurai tem que ser forte para os outros",

E acaba que ela resume perfeitamente: eu não me considero uma pessoa forte, porém trato de treinar tudo que eu posso, poderia treinar ainda mais, mas não me esquivo. Quando estou presente não me esquivo, e faço 100% do que tenho que fazer, e vou buscar realmente fazer por completo.

e quando poderia parar para descansar e há uma atividade a mais.., quando Sensei pergunta: "quer ainda experimentar o BO (Bastão) do Niten Ichi Ryu?", pego o BO e vou fazer! Não sei se vou gostar ou não, mas vou fazer... Essa frase para mim resume o sentimento: "ser forte para os outros". Eu não me considero uma pessoa forte, mas devo ser forte para os outros, para minha unidade, meu país , minha família, para todos.

Creio que é isso. Hoje me caem todas essas fichas assim, de que o treinamento para mim é isso.

E hoje ao receber este prêmio,... não me considero muito exemplo, mas creio que é bom para a Argentina, e é bom também para expor o que fazemos, é bom também para que se veja aqui que [nossa atividade] não é somente desenvolvida no Brasil, mas também na Argentina,
e também
a exposição e atenção que nos dão em um evento assim ajuda muito a sermos reconhecidos "


Basílio - Coordenador na Argentina





Basílio Parachin - Unidade Argentina - Homenagedo do Kobudo



Autoridades Presentes



Aluno e desembargador, Samuel Meira entrega a homenagem do Judô



Deputado Federal Walter Ihoshi entrega a placa ao Basílio Parachin (Sensei à Direita)



Os Homenageados da Noite



Sensei ao lado do Homenageado do Kendo



Basílio concede entrevista para a Mídia Japonesa



Os Samurais do Niten



Dr. Raul Takaki com os Samurais do Niten




topo

(+55 11) 5539-3587 seg-sex 9h-8h
(+55 11) 99734-6497 seg-dom 9h-22h