Ir para o Conteúdo
imgcentral

Café com o Sensei

Pensamentos e comentários do Sensei


Últimas postagens:

24-mai-2011

10º TBIK 6 - O Senhor das Armas x Zona de Conforto

Diante dos vídeos técnicos apresentados recentemente (CS 20-05 Kenjutsu-Gedan Tsuki e CS 23-05 Kenjutsu-Wakigamae Tsuki) será interessante ouvir o que sentiram os competidores envolvidos :
Transcrevo para você o depoimento de um deles:

"Segue as impressões que eu tive ao participar das semi-finais do Kenjutsu 3°kyu e acima neste 10° TBIK em BH.

Eu estava bem curioso para saber como seriam estes embates com armas e kamaes (posição de combate) solicitados.
No Gashuku em Guarulhos pudemos ter uma leve idéia de como seriam estes embates no torneio.
No Kobudô tem que ter estratégia. Dependendo do adversário, você irá preferir utilizar uma combinação específica para aquele duelo.
Não existe o kamae/arma perfeitos. Existe o kamae mais adequado para cada situação.

Pelos meus cálculos:
Kodachi (espada menor) numa sala com espaço restrito (teto baixo).
Naginata (alabarda) contra oponentes altos ou terreno acidentado (na praia ou pedras).
Ito (uma espada) contra Ito (o duelo clássico na ilha de Funajima).
Nito (duas espadas) contra vários adversários (o duelo contra os Yoshioka)

Mas numa situação extrema é preciso “se virar” com qualquer arma que estiver a mão.
Para isso temos que manter em mente o Bugey Juhappan (lema que os Samurais tinham de treinar todas as armas).
Senti isso a partir das semifinais do torneio de kenjutsu em que trocamos de armas e kamaes.
Percebi que precisamos treinar muito, o tempo todo, pois ao dominar várias armas , estamos preparados pra qualquer situação.
Quando saímos de nossa zona de conforto, aprendemos muito mais. Isso se aplica tanto no Caminho da espada quanto no dia-a-dia.

E nada mais justo, que a pessoa que está VIVENDO na guerra ha mais de 5 meses seja a mais preparada.
Omedetou Fugita, mais do que merecido a vitória no torneio.
Me venceu com a Naginata, com Nito e com a Kodachi. Foi o “Senhor das Armas”.
Arigatou Gozaimashita Sensei, por nos tirar da Zona de Conforto."

Como bem disse este aluno:  "Percebi que precisamos treinar muito, o tempo todo", no Niten, estamos muito ocupados no treinamento.

Mas, que no final, será gratificante.
O "Senhor das Armas" está em cada um de nós. Basta ter a coragem de sair de nossa "zona de conforto".

A seguir vamos ver um dos combates entre o campeão Fugita e Massao, autor deste depoimento


23-mai-2011

10º TBIK 5 - Kenjutsu - Wakigamae TsukiT

Semifinal do 10° Torneio Brasileiro de Kobudo

20-mai-2011

10º TBIK 4 - Kenjutsu - Gedan Nito Tsuki


Quartas de final do 10° Torneio Brasileiro de Kobudo

19-mai-2011

10° TBIK 3 - Samurais do Niten invadem Minas Gerais

Esta reportagem foi escrita por um dos alunos jornalistas do Niten. Colocarei meus comentários à medida que se fizerem necessários.

"No dia 14 de maio as montanhas Belo-Horizontinas foram tomadas por um exército de Samurais, vindos de todos os cantos do Brasil, e também da Argentina. A missão de todos era uma só: Colocar à prova a força de seus espíritos e treinamento nas artes antigas dos samurais, travando cada um o seu próprio “Duelo de Funajima”. Era matar ou morrer

Aqui no Niten nós temos duas grandes guerras que todos os alunos devem ir. A que ocorre no 1° semestre, o Torneio Brasileiro Individual de Kobudo (TBIK), é você contra todos, como num duelo, por isso chamamos de Duelo de Funajima – Funajima é o nome da ilha na qual Musashi Sensei enfrentou o mais habilidoso adversário da época, Sasaki Kojiro, vencendo-o com o Tora Buri (o Bote do Tigre), golpe do 10° Katá do estilo Hyoho Niten Ichi Ryu, que praticamos.
Neste torneio os samurais do Niten mostraram toda a habilidade e destreza em todas as armas. O Troféu Kobudo, que contempla diversas armas e modalidades, sagrou como campeão o guerreiro mais versátil nas mais diferentes armas.
A 2° batalha, no segundo semestre, nós chamamos de Sekigahara: o Torneio Brasileiro por equipes de Kobudo (TBEK). Todos unidos representando um feudo ou Daymio vão à guerra.
Não são necessários mais torneios durante o ano. Torneios mensais, bimestrais, apenas tomam tempo de pais, alunos, acompanhantes, além de vulgarizar e desvalorizar o sentido de um combate.


"duelo de Funajima"


"vindos de todos os cantos do Brasil"

Quem esteve presente viu que cada duelo carregou a energia de uma batalha inteira. As novas regras para cada modalidade tornaram o espírito da disputa ainda mais próximo ao de um combate real: Nas modalidades de katas em dupla (Jô, kusarigama e jitte) os combatentes deveriam trocar de armas a cada duelo, não dando espaço para que se escondessem deficiências técnicas dos participantes.

O samurai, guerreiro como era, devia conhecer a aplicação de várias armas para conseguir seus objetivos: defender seu castelo e proteger seu senhor. Para tanto o conhecimento de Jitte, Kusarigama, Jo, Naginata eram imprescindíveis pois, para cada situação, deveria saber usar a arma apropriada.


Nota-se o Samurai ao centro com a Jitte


Jitte Tessen (leque de ferro): armas do Samurai

As mudanças mais radicais, no entanto, foram nas categorias mais avançadas do Iaijutsu, Kenjutsu e Kobudo. Na arte de desembainhar e cortar, além de sentir a verdadeira energia de combate em cada kata, os espectadores presenciaram algo inédito: o Tameshigiri, onde os competidores mostraram suas reais habilidades na execução de um corte. Assombroso para quem nunca viu: O Iai deixa de ser uma sequência de formas e vira uma técnica letal.

O Iai nunca foi uma seqüência de formas. Aquele que era habilidoso em sacar a sua espada obtinha uma grande vantagem sobre aquele que desconhecia essas técnicas.
O Tameshigiri foi um sucesso, pois vimos que em uma situação de stress, nem mesmo com uma espada afiada, nem sempre conseguimos atingir os objetivos. São necessários: autocontrole, técnica e vontade para ser vencedor na categoria Iaijutsu do Niten.


"algo inédito: o Tameshigiri"








"Assombroso"

Já nos embates diretos (Kenjutsu e Kobudo), o destaque foram as semifinais, marcadas por duelos de melhor de três, nos quais, no segundo e terceiro combate, os competidores lutaram com armas e kamaes sorteados. A mudança colocou à prova a capacidade de improviso e adaptação de estratégia de cada um, e também o conhecimento dos guerreiro das diversas posturas e armas do Kobudo, qualidade tão valorizada por Miyamoto Musashi.

Um guerreiro, seja de qual civilização for, está proibido de dar a desculpa de que utiliza somente tal arma ou tal Kamae (forma de lutar) perante seu adversário. É um especialista. Não um guerreiro.
É o que pensava Musashi Sensei sobre essa versatilidade:
“O verdadeiro conhecimento implica uma verdadeira liberdade, e qualquer preconceito em relação a uma arma ou a uma postura (Kamae) ou a qualquer coisa que seja, serve apenas para estorvar um homem ou colocar vendas em seus olhos: (nas palavras de Miyamoto Musashi): ‘Mas com as armas, bem como com outras coisas, você não deve fazer distinções ou ter preferências. É errado generais ou soldados terem preferências por uma coisa e desgostarem de outra.(..) Quando você arrisca sua vida, é bom que todas as armas possam ser usadas’.”


Postura do Hidari Naname Chudan


Defesa com a mão no dorso da lâmina


Estocada com a espada menor

Qualquer que tenha sido o resultado para cada um dos competidores, todos emergiram vitoriosos! Ao final do evento o Sensei destacou o crescimento do nível técnico do grupo ali reunido, e convidou aqueles que perderam seus combates a refletir sobre as pequenas nuances que foram cruciais para a vitória do adversário.

Vimos lutas fantásticas, que vão ficar marcadas na memória de todos que estiveram lá.


Myamoto Musashi em Nito Hidari Waki, uma das técnicas do Niten

O evento foi especialmente coroado pelos 10 anos do Niten em Belo Horizonte, e pela hospitalidade do povo mineiro, que mais uma vez abriu as portas de suas casas para o Niten. Que venham mais 10 anos de vitórias, não importam as adversidades que o caminho apresente!

O tempo urge e é incrível constatar que em uma das cidades mais importantes desse país, tão distante do Japão (Belo Horizonte), comemorou-se 10 anos de artes samurais em Belo Horizonte, através do Instituto Niten.
Naquele dia fomos testemunhas de que, através de um trabalho sério, honesto e de coração chegamos aos objetivos traçados, superando a desonra, falta de caráter e ambição desenfreada.
Meus aplausos aos samurais mineiros que, mantendo-se fiéis a seus princípios e ideais, proporcionaram o crescimento do Niten Belo Horizonte e a perpetuação das virtudes samurais.


"fiéis a seus princípios e ideais"

Por fim, as palavras do Sensei deram todo o tom do evento: Mais do que apenas preservar, o Niten é o único “local” no mundo que realmente resgata as artes antigas. E neste final de semana, foi o que fizeram estes guerreiros: cruzaram espadas, fizeram amigos, e resgataram mais um pouco deste legado, que nas mãos do Niten, nunca há de morrer."

Para não alongar mais o Café de hoje, deixarei para falar sobre esse assunto noutra oportunidade.


"legado que nas mãos do Niten nunca há de morrer"

18-mai-2011

10° TBIK 2 - Videos Shiai de Katas

10º TBIK marca dez anos do Niten em Belo Horizonte

No último dia 14 de maio, Belo Horizonte voltou a ser a sede dos combates entre os Samurais Modernos no 10º  Torneio Brasileiro Individual de Kobudo, trazendo lutadores do Brasil e da Argentina. Durante todo o sábado o ginásio do Clube Recreativo, no centro da capital mineira, tremeu com os shiais entre representantes das Unidades do Instituto Cultural Niten. Para os samurais mineiros, o torneio foi acrescido de uma emoção especial, além da energia gerada pela expectativa natural não apenas pelas lutas mas pelo reencontro de velhos e novos companheiros no caminho da espada. A Unidade Belo Horizonte completou dez anos de atividades, coroados pelo 10 TBIK. Segundo o coordenador da Unidade, Adeval Santana, um período de trabalho ao final do qual todos saíram ganhando: “Pelo tamanho da vitória que estamos conquistando hoje, digo que cada um é responsável por este belo evento. Só posso pensar na frase de Ghandi quando dizia o seguinte: ‘ Você nunca sabe que resultados virão da sua ação, mas se você não fizer nada, não existirão resultados.’" O Coordenador agradeceu aos Samurais que se mobilizaram para viajar à Belo Horizonte, bem como “os esforços de todos que participaram das diversas formas nos bastidores  e se empenharam ao máximo não poupando seu ki* em nenhum momento”.

Ele sintetizou o pensamento de todos os que voltaram para refletir sobre as lutas, os treinamentos do domingo e os momentos de confraternização de pessoas de lugares tão distantes entre si: “Agora vamos continuar dando passos firmes rumo a nossa evolução no Caminho”.

*Ki = energia


Shiai de Jojutsu
Tsuba Wari (Rachando a guarda)

 

Kusarigama
Jujomji (A cruz da morte)

 

Jitte
Irime (Abertura na entrada)

 

Iaijutsu
Encai (O revidar da andorinha)
 

17-mai-2011

10° TBIK 2 - Cobertura do evento1

"No final de semana dos dias 14 e 15 de maio, foi realizado o 10º Torneio Brasileiro Individual de Kobudo no Clube Recreativo Mineiro em Belo Horizonte. Guerreiros de todo o Brasil e Argentina se reuniram na capital mineira para resgatar as tradições japonesas antigas através das técnicas do Kobudo.


todos na fila

Sob orientação do Sensei Jorge Kishikawa, os alunos do Instituto Cultural Niten participaram de disputas nas categorias Kenjutsu, Iaijutsu e Jojutsu, organizadas de acordo com as respectivas graduações.


na mesa com autoridades

 Além disso, os samurais brasileiros também executaram técnicas de Jitte, Kusarigama, Naginata Combate e Kobudo. Em conjunto com as apresentações de katas de Naginata e Bo, os participantes demonstraram amplo conhecimento das diversas armas e estilos centenários, desenvolvidos pelos Samurais.


Naginata


Kusarigama


Jitte


Segredos no Torneio


Kir Jovem


Iaijutsu


Iaijutsu


Kenjutsu

Nessa edição do evento, também houveram novidades quanto a definição dos vencedores das fases semifinal e final das categoria de Kenjutsu e Iaijutsu dos alunos mais graduados (5º Kyu e acima). No Kenjutsu, a vitória nesses estágios só foi alcançada numa melhor de três disputas, sendo que em duas delas os combatentes ficaram restritos a armas e kamaes aleatoriamente definidos. No Iaijutsu, além das execuções rotineiras de katas, os guerreiros também participaram do Tameshigiri, executando cortes com a espada de fio.


Tameshi

Findos os combates, o campeão geral do torneio foi agraciado com o Troféu de Kobudo, além da oportunidade de viajar para o México, onde irá lançar a pedra fundamental para o estabelecimento de uma nova Unidade. A criação de algo novo anda de mãos dadas com o respeito ao antigo, pois, ao mesmo tempo, os samurais belohorizontinos iniciaram as celebrações dos 10 anos da fundação do Instituto Niten em sua cidade.
" Ver o sorriso no rosto dos alunos e a satisfação dos senpais foi a maior vitória alcançada nesse final de semana. Atendidos esses requisitos, o sentimento é o de missão cumprida.A participação dos colegas de todo o Brasil também foi especial. Seja auxiliando na execução das tarefas, seja passando conselhos e experiência, todos contribuíram de alguma forma e ajudaram a compor a grandiosidade do evento. Em momentos como esse, resta claro que, observados os katas do Bushido, não há como falhar.Contagiante, também, foi a confraternização. A energia dos presentes estava ótima e todos se divertiram ao sabor de uma boa comida mineira.
Acima de tudo, o torneio foi uma celebração daquilo que torna o Niten apaixonante. Seja pelos bons momentos, seja pelos difícies, tudo que passamos aqui é guardado num lugar especial em nossos corações. É com esse sentimento que agradeço aos colegas de todo o Brasil pela presença, aos senpais pelos exemplos passados, aos colegas de BH pelo companheirismo e ao Sensei pelas lições.
O Niten também é um lar para todos nós. Honto ni arigato gozaimashita."

emocionou-se Fonseca, campeão Brasileiro de Kenjutsu na categoria 4o e 5o kyu.


"ver o sorriso no rosto dos alunos foi a maior vitoria "


"o Niten é um lar para todos nós"


" todos contribuiram de alguma forma e ajudaram a compor a grandiosidade do evento"


"celebração daquilo que torna o Niten apaixonante"


"missão cumprida"

16-mai-2011

10° TBIK 1 - Resultados


Victor Fugita - Vencedor do 10º Torneio Brasileiro de Kobudô


Vitória e alegria de todos que estiveram lá

 
RESULTADOS

RESULTADOS DO TROFÉU KOBUDO
1º Fugita - São Paulo
2º Patrick - Taguatinga
3º Bispo - São Paulo

KENJUTSU 3º KYU E ACIMA
1º Fugita - São Paulo
2º Mendes - Ana Rosa/SP
3º Marques - Ana Rosa/SP
3º Masao - Ana Rosa/SP
Honra ao Mérito Joel - Argentina

KENJUTSU MASCULINO 5 E 4 KYU
1º Fonseca - BH
2º Breno - Niterói
3º Stefam - RJ
3º Patrick - Taguatinga
Honra ao Mérito Meloni - SP

KENJUTSU MASCULINO – 6 KYU
1º Loures – BH
2º Tonon - BH
3º Sanzio - BH
3º Pierin - Florianópolis
Honra ao Mérito Del Vecchio - Ribeirão Preto

KENJUTSU MASCULINO – 7 KYU
1º Apoena – Ana Rosa
2º Ratto – Espírito Santo
3º Arias - Franca
3º Fukuta – Ana Rosa
Honra ao Mérito Rausch - BH

KENJUTSU MASCULINO 0 KYU
1º Ivan - BH
2º Delfino - SP
3º Fábio - BH
3º Jo – Vila Mariana
Honra ao Mérito – Duartes - Franca

KENJUTSU INICIANTE SEM BOGU
1º Gonçalves - SP
2º Glauber - BH
3º Giovani - BH
3º Stellini - Campinas
Honra ao Mérito Alves - BH

KENJUTSU FEMININO – 0 E 7 KYU
1º Karine – Ana Rosa
2º Eva - BH
3º Campos - Ribeirão Preto

KENJUTSU FEMININO – 6 KYU
1º Ana – Ana Rosa /SP
2º Simone - Sorocaba
3º Laura – BH
3º Nuria - SP


KENJUTSU FEMININO 5 KYU E ACIMA
1º Laura - SP
2º Bruna - SP
3º Camila - Brasília

KIR JOVEM – YOYONEN ATÉ 6 ANOS
1º Alexandre – Ana Rosa
2º Takemitsu – Ana rosa

KIR JOVEM IFANTIL 7 – 10 ANOS
1º Miguel - RJ
2º De Pieri - BH

KIR JOVEM IFANTO JUVENIL 11 – 14 ANOS
1º Mota - Franca
2º Víctor - BH

KENJUTSU SENIOR
1º Joel - Argentina
2º Numa - SP
3º Fukuta - SP
3º Cadu - DF
Honra ao Mérito Del Rio – Volta Redonda

IAIJUTSU – 5 KYU ACIMA
1º Fugita – ADM São Paulo
2º Danilo - Campinas
3º Kenzo - RJ
3º Massaro – Ana Rosa SP
Honra ao Mérito – Fujimura - Florianópolis

IAIJUTSU – 6 KYU
1º Fukuta – Ana Rosa/SP
2º Schues – Ana Rosa/SP
3º Kuhn - Brasilia
3º Patrick - Taguatinga
Honra ao Mérito – Ishida - SP

IAIJUTSU – 0 E 7 KYU
1º Yamashita - Campinas
2º Marques – Ana Rosa/SP
3º Ribeiro – São Paulo
3º Pierin - Florianópolis
Honra ao Mérito – Gabriela - BH

JOJUTSU 5 KYU
1º Bispo e Fugita – Ana Rosa
2º Danilo e Holschu – Campinas
3º Uehara e Patrick – Ana Rosa/Taguatinga
3º Kenzo e Cortes – Rio de Janeiro
Honra ao Mérito – Joel e Guilherme - Argentina/Campinas

JOJUTSU 6 KYU
1º Marques e Apoena – Ana Rosa
2º Ana e Fujimura – Ana Rosa/Florianópilos
3º Fukuta e Sartori – São Paulo/BH
3º Drawin e Fonseca – BH
Honra ao Mérito – Guimarâes e Merigueti – Ponta Grossa e RJ

JOJUTSU – 0 E 7 KYU
1º Estevão e Meloni - SP
2º Mitsu e Masao - Guarulhos
3º Vaz e Carbonete – Rio de Janeiro
3º Mendes e Yamashita - SP/Campinas
Honra ao Mérito – Spada e Valentina - BH

KUSARIGAMA
1º Bispo e Fugita – Ana Rosa
2º Uehara e Patrick – Ana Rosa/Taguatinga
3º Danilo e Holschu – Campinas
3º Drawin e Fonseca – BH
Honra ao Mérito – Mitsuo e Masao - Guarulhos

JITTE
1º Patrick e Mendes – DF e SP
2º Bispo e Fugita – Ana Rosa
3º Drawin e Bernardo - BH
3º Danilo e Hoslchu – Campinas
Honra ao Mérito – Apoena e Marques – Ana Rosa


NAGINATA COMBATE
1º Fugita - ADM
2º Massao - SP
3º Mitsuo - Guarulhos
3º Donegá - Ribeirão Preto
Honra ao Mérito Bispo - SP

KOBUDO COMBATE
1º Joel - Argentina
2º Mitsuo - Guarulhos
3º Drawin - BH
3º Cortes - RJ
Honra ao Mérito Camillo - Ribeirão Preto

 

12-mai-2011

Luta contra a Kodachi

"Ano passado decidi treinar a kodachi (espada curta) com afinco, ser o melhor na luta com espada curta. Em todas as minhas lutas, usava kodachi. Ficava pensando e estudando as técnicas. Mas uma dúvida me incomodava: "Não há katas de kodachi contra nitô (duas espadas)... E agora? Onde vou me basear para conseguir derrotar as duas espadas?" E não achei solução, lutava "na marra" mesmo.
Eis que, ontem de manhã, o Sensei pegou a kodachi para me ensinar. Parei por um instante e me senti invadido por felicidade: "Finalmente vou ver o Sensei lutar de kodachi!". Quando chegou minha vez de lutar, peguei as duas espadas, justamente para ver como o Sensei reagiria, como a kodachi venceria as duas espadas. Pensei que seria simples pra mim, armei o jodan nito (espada maior na mão direita ao alto) e logo pensei: "Mas está tudo aberto, até eu consigo acertar o Sensei assim..." Mas quando ataquei ... *Tsuki! (estocada no pescoço), tomei. De onde veio esse golpe?! Antes que eu pudesse reagir o Sensei já havia penetrado minha defesa e me estocado. E continuou assim, não conegui acertar o Sensei, mesmo com duas espadas. Às vezes parava e refletia sobre o que o Sensei havia feito, como são as técnicas que usou. Nestes momentos eu levava mais golpes. É assim que aprendemos, levando!
Depois de lutar com o Sensei, corri e deixei a tachi (espada maior) e pude experimentar só com a kodachi o que havia visto na luta com o Sensei. Por sorte, meu companheiro estava com duas espadas. Não consegui entender completamente o que o Sensei fez, mas me esforcei para aplicar tudo que vi de diferente entre as lutas que fazemos e a luta que fiz com o Sensei.
Foi como ver terra após muito tempo de mar. Mar, mar, mar.... "Como derrotar as duas espadas?". Agora tenho uma referência e me sinto mais confiante para lutar."

Fugita - Unidade Ana Rosa

Neste final de semana em Belo Horizonte, o Brasil assistirá ao que posso chamar de "verdadeiro embate" dos Samurais na modalidade Kenjutsu e também no Kobudo.
Os participantes escolherão suas  as armas, as posições de combate (posturas) e as estratégias preferidas .
Espadas, adagas, alabardas. Tanto faz. O que importa é a busca pelo conhecimento e o uso eficaz das estratégias adequadas a cada arma e posição.
Aquele que teima em não estudar e muito menos reconhecer a eficácia da arma de seu oponente será vencido de forma devastadora no dia de seu juizo final.

11-mai-2011

Luta contra lança

"Ontem a noite estava eu treinando na unidade Ana Rosa quando fui chamado para colocar os sunes (caneleiras) e lutar com o Sensei.
Já estava empolgado, há algum tempo não tinha a oportunidade de lutar com o Sensei, que ainda estava armado com a naginata, uma espécie de alabarda.
Eu estava com duas espadas, em gyaku nitou  e lutamos por algum tempo, uma luta difícil, como sempre é com o Sensei, mas com muito aprendizado, até o momento que em um tsuki (estocada) da naginata, abaixei o braço para defender e a ponta da arma acabou quebrando. Pensei no momento, bom, acabou a luta, agradeci o Sensei e estava pronto para sair.
 
Foi quando o Sensei virou a naginata ao contrário, utilizando o cabo da arma como uma lança e reiniciou o combate, foi completamente inesperado para mim, era uma arma nova, a qual nunca vira ninguém treinando, muito menos lutando contra. A lança era curta, parecia ter um alcance bem menor que o da naginata. Continuei com o mesmo kamae (gyaku nitou) e parti para o ataque, parecia simples desviar da ameaça da lança e entrar com os golpes da espada.
Engano meu, era uma arma diferente, não tinha nenhum conhecimento para enfrentá-la, os ataques que pensei em fazer acabaram mostrando-se ineficazes.

O Sensei, com destreza na arma, e minha falta de conhecimento sobre ela acabaram mostrando a lança como um problema maior que o da naginata, em uma série de tsukis (estocadas) que recebi.
Apanhei, apanhei,apanhei."
-  Marques (Un Ana Rosa)



"A eficácia da lança em Lobo Solitario"

Os escritos dos antigos registram que quando o samurai perdia a lâmina de sua alabarda durante o combate, esta se transformava num bastão longo (bo).
Tecnicas de bastão longo incluem as de estocada, como as de uma lança.
No caso relatado, o uso de armadura (bogu) dificultam a aplicação de técnicas do bastão longo, o que acabou se transformando num treino de lança contra a espada.
Pergunta para um bom estrategista:
- Foi melhor assim?  Ou nao?




topo

(+55 11) 5539-3587 seg-sex 9h-18h
(+55 11) 99734-6497 seg-dom 9h-22h