Ir para o Conteúdo
imgcentral

Café com o Sensei

Pensamentos e comentários do Sensei


Últimas postagens:

12-jun-2009

Feriadão e Jitte

Estamos aqui, neste feriadão, fazendo um treinamento em meio a paz aqui da cidade.
Uma semana em cujos Momentos de Ouro estou falando sobre os samurais e a satisfação nas refeições...
Aproveito para lembrar você que no Gashuku da semana que vem vamos dar mais um grande passo ao Caminho do Samurai: o Bugei Juhappan.
Entre as várias armas, você vai aprender o Jitte.
Lembro que todos, inclusive os iniciantes, poderão conhecer a magia desta arma junto com o leque.
 

monitor Patrick e Sensei em Brasilia

10-jun-2009

Ouvir

Continuando (09jun - Livros).
O ouvir.
Há quem pense que se ouvir tudo que eu falar, compreenderá tudo o que eu falei. Ledo engano. Lembro-me de ter visto uma pesquisa, ainda nos meus tempos de adolescência, que de tudo que é dito apenas 20% é assimilado no nosso pequenino cérebro. Pior ainda: existe a grande chance de se equivocar quanto ao que foi dito (e que na grande maioria, é o que acontece e é a causa da pior parte dos males de todas as confusões).
É um problema. As pessoas só ouvem o que querem ouvir.
- Então o que devo fazer? - dirão alguns.
Primeiro: ir a escola.
Segundo: prestar atenção na aula e
E finalmente em terceiro: estudar.
- Ah! mas isso eu não gosto! - dirão a maioria.
Não há o que fazer. Problema deles.
Mas, continuando a nossa conversa, existe um outro grande problema: o perigo de se ouvir estórias com "e", e não histórias.
Charlatões existem em todas as áreas e todos se dizem mestres ou discípulos de grandes mestres. Aproveitam-se da poeira deixada pelo tempo para contar fatos que nunca viveram ou mentiras que nunca existiram.
- Então devo tapar os meus ouvidos porque tudo é mentira?
Em parte. Tape um pouquinho.
- E depois? O que eu faço pelo amor de Deus! - perguntarão alguns, um tanto angustiados.
Deixemos para depois do feriado.
Ate lá, fique esperto!
 

09-jun-2009

Livros

A partir de hoje, comento a você, as palavras que me chegaram de um aluno, e que certamente poderão ser de valia:

"Entrei no Niten um dia antes da chegada da comitiva do Kaminoda Sensei, em 2005. Não participei do evento, pois achei que não iria aproveitar a contento, afinal com somente uma aula... ah, se arrependimento matasse! Voltando para entrada no Niten, comecei no Kenjutsu, e me lembro até hoje que quando me perguntaram o que buscava ali, e minha resposta foi, resumidamente: Conhecer mais fundo o Bushido. Sabia somente o conceito de livros e filmes (colecionador de histórias Zen), mas realmente foi esta busca, aliado aos treinos, que ajudou em minha transformação."

Ao meu ver, o aprendizado se da através de 3 formas: o convívio, o ouvir e o ler.
No ocidente, tem-se a forte concepção de que é na leitura que encontramos a ferramenta para a aquisição do saber.
Alguém já disse que os livros são os melhores companheiros.
Nem sempre.
Alguns são bons, outros medianos e, muitos, péssimos.
Mas nunca os melhores.
Tudo bem, vamos conversar, antes que me interpretem mal.
A pergunta que é melhor fazer estaria aqui:
- Melhor em relação a quê?
Eu te respondo:
-Em conhecer a alma guerreira.
(e muitas outras coisas boas...)

livros

08-jun-2009

Imagens incompreensíveis

Ainda antes de encerrarmos o Café de sexta-feira, me perguntaram o porquê de eu colocar montanhas e pedras na foto (05jun - Fazer o combinado nos Momentos de amanhã).
Adoro pedras sim, mas não se trata de mostrar imagens que eu aprecio o fato de eu colocá-las no Café.
- Cada dia tem o seu porquê. Ou não. - expliquei.
- Como escrevi no Shin Hagakure:
"Uma imagem vale mais que mil palavras" - continuei
- Mas, o problema é que não é sempre que todos entendem o que quer dizer a imagem que o Sensei coloca - disse-me um deles.
Aí não tem como.
Sinto muito, mas aí o que falta é o treinamento. Tem que treinar.
Mas fazer o quê, não é mesmo? Os koans* também são assim...
Raspe a cabeça e vamos lá.
Tente entender o porquê da imagem de hoje:



*koan= Um koan (公案; Japanese: kōan, Chinese: gōng-àn, Korean: gong'an, Vietnamese: công án) é uma narrativa, diálogo, questão ou afirmação no Zen-Budismo que contém aspectos que são inacessíves à razão. O koan tem como objetivo propiciar a iluminação do aspirante zen-budista. Um koan famoso é: "Batendo duas mãos uma na outra temos um som; qual é o som de uma mão?" (tradição oral, atribuida a Hakuin Ekaku, 1686-1769).(wikipedia)

04-jun-2009

O Bugei Juhappan

Quantas são as artes que o guerreiro deve dominar para ser considerado Samurai?
A resposta é clara: 18. Ao samurai era conferido o título de "Bugei Juhappan", ou seja, aquele que domina as 18 artes do Kobudô.

Este Gashuku* em São José dos Campos estará voltado ao treinamento de katas das várias artes, parte integrante (senão a mais importante) para a evolução e compreensão das técnicas e do Caminho.
A carga horária destinada a cada uma das artes será o suficiente para aprimorar os katas que já conhecem e assim chegar a perfeição. Além disso, acredito que poderá, cada um no seu ritmo, levar para casa um novo kata.
Estilos novos como o Nippon Kendo Kata e Echigo Ryu Iaijutsu começam a ser parte integrante das artes praticadas no Niten.

Aprender o Jitte e o Kusarigama (foice e corrente), artes incomuns até no Japão.
E, no final de cada dia, falaremos sobre as leis que regem o combate, o Heiho no Hansei, em Momentos de Ouro.
Quantas você domina?

*Gashuku= treinamento intensivo

kusarigama

03-jun-2009

A carta e o Beneditos

Hoje, enquanto tomo o meu café da tarde, leio esta carta que acaba de chegar.



clique para ampliar

 
Hoje em dia, palavras de agradecimento vem por email (quando vem) mas esta foi escrita com o próprio punho, raros hoje em dia. Enviou-me também um Beneditos, biscoito tradicional de Curitiba. Uma delícia, que pecado é não comer!

02-jun-2009

Menos tempo comigo?

Você deve estar imaginando que tipo de "palavrão" é isto: Kachoufugetsu.
Não. Não se trata de um palavrão, mas um local abençoado por Deus.
Retornei ontem de lá e no frio aqui de 11 graus em São Paulo fui a Unidade Ana Rosa.
Após o treino dos iniciantes , foi a vez dos veteranos, com os quais , treinei um a um...
No final da aula, um deles me perguntou:
- Sensei treinou comigo menos tempo que os outros. Por quê?
Ao que respondi:
-Muito capim não entra.*

 


*Se você não entendeu, leia o Café da quinta-feira passada.

01-jun-2009

Kachoufuugetsu


29-mai-2009

Pássaros

Pássaros (25mai - Mundo Animal)
Falarei hoje sobre pássaros, mais especificamente sobre os pardais.
Como você deve saber, pardais dificilmente permitem se aproximar (bem como muitos pássaros, não?).
Vou lhe contar uma experiência ímpar que tive nestes dias.
Estava eu num restaurante no meio da mata onde pássaros vivem em abundância.
Meio que parecendo um conto de fadas, pássaros gorjeavam de lá e de cá e timidamente pousavam perto de minha mesa em busca de alimentos.
Um grão de arroz, feijão ou farofa.
Experimentei colocar um grão de feijão a uma distância onde minha mão ainda alcancasse.
No começo, meio que desconfiados, não se aproximavam.
Voavam e pousavam de um lado para o outro, mas nunca tão perto a ponto de eu conseguir apanhá-los.
Eis que, com o tempo e após quase uma hora de espera, um deles chegou, chegou, não só ao ponto onde eu pudesse alcançá-lo, mas a uma distância (acredite!) de 30 cm!
Veio, pegou o seu feijão e foi-se.
Muitos arriscam a vida para satisfazer suas necessidades imediatas. E arriscam por pouco.
 

28-mai-2009

Cavalos

Ok, hoje vamos aos cavalos (25mai - Mundo Animal)
Quando veio a comitiva do Japão para as comemorações do Dia do Samurai
(24abr - Dia do samurai 2009), fomos todos a uma fazenda montar a cavalo.
Foi um dia de sol, e pelo horário que lá chegamos, o pior do dia: o das onze até as uma.
Eu, mestre Baba e mestre Ouchi de traje cerimonial e todos os outros vinte de traje normal. Eu de preto, entende? Foi de rachar.
Você nem imagina como foi escolher os cavalos, pois nem todos eram mansos e excetuando três dos integrantes (incluindo eu), ninguém havia montado na vida.
Ou seja, sobraram os mais ariscos para nós e para alguns que, mesmo não sabendo a montaria, teriam que se virar. Enfim, nem te conto.
Maior stresse !Uma aventura!
Começa a cavalgada. De início, todos assustados, sendo o papel dos que já haviam montado, monitorar se tudo estava em ordem. Meio que como cães pastores.
Atravessando vales e montanhas, terminamos, sem intercorrências.
Apenas um susto. O nosso melhor cavaleiro, por estar no mais arisco, foi jogado ao chão.
E não foi por inexperiência, pois no ano passado, foi um dos que desfilaram a cavalo no Grito Samurai em 2008 (05jun - Grito Samurai), inclusive com armadura.
Conclusão: alguns são tão arredios que nem um bom cavalheiro pode entrar em acordo.
 




topo

(+55 11) 5539-3587 seg-sex 9h-18h
(+55 11) 99734-6497 seg-dom 9h-22h