Ir para o Conteúdo
imgcentral

Café com o Sensei

Pensamentos e comentários do Sensei


Últimas postagens:

11-fev-2009

Pensamentos do Mestre Baba 3

Uma das qualidades que mais importam ao mestre no Caminho é a sinceridade de espírito no discípulo. Sincero vem do latim sine cera, que costuma ser associado a "sem cera". Os antigos costumavam dizer que as colunas de mármore que ficavam desgastadas com o tempo eram completadas com cera em seus buracos. Eram colunas "com cera". - Shin Hagakure pag 74

Tomando as palavras de mestre Baba (10fev - Pensamentos do Mestre Baba 2), um golpe precisa ser "sin cero", não importando se é leve ou não.

Seja um golpe sobre o men (cabeça), um kote (antebraço), um do(abdome) e principalmente um tsuki (estocada sobre o pescoço).

É isto.
O que vale é o golpe ser "sin cero".
Verdadeiro.
Um golpe que não deixe sombra de dúvidas aos olhos de todos e, principalmente, daquele que o toma.(19jan - Um toque Basta!).
Sem força e sem perigo.

Palácio José Bonifácio


Fachada do Palácio José Bonifácio, em Santos

10-fev-2009

Pensamentos do Mestre Baba 2

"Sobre a força do golpe e uso da kodachi*

Para exercer a prática com Nito verdadeiramente, temos que fazer uso das duas espadas.
Quando se fala de golpes no kendo, muitas vezes é utilizado o adjetivo "leve". Mas isso não significa que um golpe deva ser pesado. Em vez de dizer "leve" ou "pesado", é preferível considerar o seguinte critério: o golpe é sincero ou não?
Com Nito, a partir de uma boa postura, temos de fazer um golpe sincero e avançar.
Por seu tamanho, a kodachi (espada curta) tem um impacto reduzido. Mas, mais uma vez, a força no golpe não é uma exigência, temos de considerar a sinceridade do golpe. Há diversos exemplos à mão: Há, nos kata* de kendo, formas que utilizam kodachi..
"


Dando continuidade ao pensamento de mestre Baba, aproveito para colocar uma observação em relação ao "golpe leve", que foi citado.
Na minha opinião, diria que não é somente devido ao tamanho que o impacto se torna reduzido.
Mas porque os pontos vitais não se encontram necessariamente em planos profundos. Tomemos como exemplo as artérias e veias que, lesadas, nos levam a derrota em pouco mais de alguns segundos.
Na realidade, o impacto não se torna reduzido se for executado por um leigo ou inexperiente. Ao contrário, se torna tão forte e perigoso (por ser a kodachi mais densa), e é por este motivo que somente após o aluno atingir um nível técnico razoável, permito utilizá-la no combate com equipamentos de proteção.
combate com duas espadas
 
*kodachi = espada menor *kata = sequencias simuladas sem o uso de protetores; utiliza-se espadas de madeira

09-fev-2009

Pensamentos do Mestre Baba 1

A partir de hoje, coloco aqui no nosso Café, pensamentos do Mestre Baba, que estará aqui com mais um mestre 7° dan kyoshi e os universitários da Universidade Kokushikan.

"Sobre combate com várias armas

Os samurais eram mestres em equitação, na arte de lidar com a lança, e outras práticas. Uma vez no campo de batalha, cavalgando um cavalo, eles eram capazes de lutar com a lança em uma mão e a espada na outra. Em suma, eram capazes de empunhar a espada com uma mão.
Miyamoto Musashi, que viveu em tempos de guerra, nem sempre lutou com espadas, pois observava o seguinte princípio: lutar com todos os meios disponíveis, com espada longa e com a curta. Assim, provavelmente, era levado a lutar contra todos os tipos de adversários. Para sobreviver precisou provar ser um especialista, em todas as armas possíveis: lança, espada e bastão entre outras.
Do mesmo modo, Sasaki Kojiro, o famoso rival de Musashi, começou a estudar o estilo Toda-ryu de espada curta mas, em seguida, mudou para uma espada muito longa, que, aliás, foi batizada pelas pessoas da época de 'varal'.
"

Estas palavras vão ao encontro do que, por influência direta ou não, praticamos aqui no Niten.
A versatilidade, desde que bem orientada, faz parte do Caminho.

06-fev-2009

Relógio

O aluno, autor da mensagem que transcrevi abaixo, me presenteou com um relógio no final de ano.
Um relógio para me lembrar de não esquecer de correr atrás do tempo perdido. Ou talvez para contar os minutos de "sapinho" (07jan - Sapinho). Não sei.
Bem, de qualquer forma, me mandou este email hoje:

"Aproveito para falar também ao Sensei que não pude estar presente fisicamente no Gashuku (02fev - Kudens a 43° graus) de Santos mas saber que meus colegas de treino, meus irmãos de espada, estavam se esforçando no Caminho, foi essencial para ajudar no "kakarigeiko" que enfrentei aqui no Rio. As guerras estão grandes e em tempos de crise tudo se torna mais imediato, o tempo livre é escasso, parece que todos querem que o tempo passe mais rápido a fim de chegar logo em um futuro mais tranquilo.
Sensei, tudo o que eu aprendi no Niten durante esses anos de treino se apresenta agora como experiência genérica, me colocando numa posição confortável independente da missão. A espada, de fato, me deu vida em abundância.

E é por isso que envio esse e-mail ao Sensei agradecendo com todas as forças (ainda que com um certo problema de timing), não só pelo ano de 2008, mas por todos esses anos em que treinei sob a tutela do Sensei.

Otsukaresamadeshita Sensei!
Desejo ao Sensei e à família muita felicidade, saúde e prosperidade em 2009 e reafirmo mais uma vez minha total disponibilidade para ajudar no que for preciso.
Mais uma vez, doumo arigatou gozaimashita Sensei!
M. R. -Unidade Rio de Janeiro
"

De qualquer forma, de uma coisa eu sei: que a gente deve cuidar bem de nossos minutos, uma vez que as horas já se cuidarão por elas mesmas.

05-fev-2009

Errata de ontem

Eu sei.
Tem alguma coisa errada com o Café de ontem. Aqueles que estão ontem não surpreenderiam ninguém aqui do Niten. E nem temos que "tirar o chapéu" por eles, pois são os "casca dura" aqui do Niten.

Colocaram a foto errada.
Eu falo de outros.
Ei-los, finalmente:

04-fev-2009

Tirem o chapéu

Ouvi dizer de alguns que muita gente não iria ao Gashuku porque este ia ser "puxado".
E foi.
Tanto é que, ao contrário do programado, ninguém deu um mergulho na praia.
É. Treinamento para guerreiro não é para qualquer um.
Tem que estar determinado.
Bem, mas de todos os vencedores, destaco hoje, a bravura de alguns que me deixaram muito orgulhoso e que, certamente, aqueles que estiveram lá hão de concordar em tirar o chapéu.

Ei-los:

03-fev-2009

25 mil calorias

Bravos foram os que decidiram por não sucumbir neste Gashuku (Kuden a 43graus).
Só Deus e os que aprenderam comigo há 20 anos sabem como é o meu Gashuku.
O jornal A Tribuna, de Santos, publicou em sua matéria no caderno Esportes de domingo:
O coordenador do Niten, explicou que a prática da arte samurai chega a gastar 1,2 mil calorias por hora - a
medição foi feita pela Cia Atlética de Belém do Pará, segundo ele"
O que não foi dito é que esta medição foi feita com um professor em treinamento leve com alunos menos experientes, além de não necessitar quase de nenhum movimento complexo com duas espadas em kenjutsu, o que demandaria, no mínimo 50% a mais de calorias.
De posse destes dados, posso afirmar, sem exagerar, que os nossos "sobreviventes" perderam nada menos que 25 mil calorias nestes dias.
25000 mil.
Caiu a ficha?

"O maior de todos os projetos é tomar uma decisão" - Marquês de Vauvernagues

02-fev-2009

Kudens a 43 graus

Omedeto* a todos os que estiveram comigo e o meu Arigato a todos que vieram de longe para convivermos juntos estes três dias ( 29jan - Várias Armas para o Gashuku)
Sob o calor de derrubar ate os mais ousados, de 43 graus em Santos, os 'sobreviventes' aprenderam os Kuden (13jun2007 - ###Kuden) , entre outros
que é possível vencer uma naginata* com uma espada menor,
que o que importa não é a idade,
que o taiatari* não é força,
que prender a almofada não é prender o travesseiro,
que tanto o útil como o inútil podem ser úteis,
enfim,
que Kuden não se aprende com sombra e água fresca!

*omedeto = parabéns
*gashuku = treinamento intensivo
*naginata = lança com lâmina curva na ponta
*taiatari = "empurrão" no combate

Sensei, durante os momentos de ouro no Gahsuku

30-jan-2009

"Velho" não dá

Nesta semana, treinei os shugyosha* com a naginata*. Este relato sintetiza o sentimento de todos aqueles que retornam depois deste desafio.

"'Sou muito velho pra isso' uma das desculpas citadas pelo Sensei referente às pessoas que não aspiram por um crescimento pessoal.

Eu, com certeza, não sou velho (tenho 26 anos) mas ultimamente tenho me sentido como um. Não tanto pelo joelho machucado ou por qualquer tipo de cansaço causado pelos treinos. Sinto que essa "velhice" não tem uma origem meramente superficial.

Com o tempo, eventualmente, um corte vai cicatrizar e o cansaço também vai passar mas a fraqueza não segue a mesma lógica.

Sensei com a naginata na mão em seu kamae*. Preciso de uma oportunidade para atacar. Se eu espero por uma, o Sensei não hesita e golpeia. Tenho que criar uma oportunidade.

Avanço e tento alguns golpes e já me sinto mais vivo, acordado, "jovem " de novo. Meus ataques melhoram aos poucos e o Sensei também golpeia com mais ímpeto. Mas a essa altura, meu oponente já não é mais o Sensei e sua naginata. Me sinto rejuvenescido pois agora estou lutando contra minhas próprias fraquezas de espírito e já me sinto mais apto a encará-las.

Não estive lá em 1929, mas acredito que aqueles que estiverem "velhos", dificilmente vão sobreviver desta vez.
"

Bem, deixe me vestir porque o Gashuku* vai começar.

* shugyosha = aluno que vem a SP para treinar 24h com o intuito de fortalecer espírito, mente e corpo
* naginata = lança com lâmina curva na ponta
* kamae = postura, guarda
* gashuku = treinamento intensivo
Shugyo

shugyoshas Fujimura (Higienópolis SP), Joé (Caxias do Sul) e Dutra (Rio de Janeiro)

29-jan-2009

Várias armas para o Gashuku

O Gashuku* começa amanhã e você, como guerreiro já deve estar fazendo a manutenção das suas armas. Tirar farpas, afiá-las, reforçar os cordões e todos os cuidados que um guerreiro deve ter com as suas ferramentas.
É bom ter duas peças para cada arma que for utilizar. Para não ficar parado, caso as quebre.

Mas o que quero dizer hoje é sobre a pág 18 do Livro dos Cinco Anéis*, onde se lê:
"Heiho ni bugu no ri o shiru to iu koto"

e que foi traduzido em português para
"Conhecer as propriedades de cada arma"

Musashi sensei finaliza nesta parte:
"Não é aconselhável preferir uma técnica em particular - o aprimoramento apenas de uma arma é tão ineficaz quanto não saber manejá-la".

Já comecei arrumar as minhas: uma, duas, três, quatro espadas, e outras. Vou ter que levar muita coisa, pois 3 dias de combate vai ser um quebra quebra...

*Livro dos Cinco Anéis = o maior tratado de Estratégia do Japão, escrito pelo samurai mais famoso de todos os tempos, Miyamoto Musashi, em 1643
*Gashuku = treinamento intensivo

Armas do Kobudô




topo

(+55 11) 5539-3587 seg-sex 9h-18h
(+55 11) 99734-6497 seg-dom 9h-22h